“Boa pergunta. Acho que é… é quando seus olhos começam a seguir alguém, e você procura por essa pessoa, e ela não está. Você se anima pensando que pode encontrá-la quando coloca seus sapatos de manhã na escola. E quando não, é meio desapontante. Mas então você passa por ele no corredor, e isso te deixa feliz pelo resto do dia. Te faz sentir como se pudesse aguentar mesmo que suas aulas da tarde sejam matemática e educação física. Ver esta pessoa é o bastante para te deixar feliz.”

Foi assim que nossa querida por alguns e odiada por outros, Takasaki, descreveu ao Neji o que é o amor, e sinceramente, não tem nada de errado em suas palavras. Elas me comoveram ao ponto de pensar novamente: qual é a escolha certa?

Mesmo que minha opinião não vá mudar, não consigo pensar em nenhuma maneira de descartar a Takasaki da história. Eu tenho um ódio por triângulos amorosos justamente por isso, não tem como todos saírem felizeS. Quando eu procuro uma história de amor, seja ela em animes, livros ou filmes, é para me distrair da dor que é viver a vida, não para adicionar mais um problema à minha cabeça. Não que eu esteja dizendo que obras do tipo são ruins, a minha obra favorita é um “triângulo” (Toradora), mas sim, quis dizer que me sinto mais feliz com obras do tipo Tsurezure Children, que por sinal também estamos cobrindo, já deu uma olhada? A leveza e a simplicidade de romances que dão certo, fofos e seus afins me agradam bastante, e me dispersam dessa tristeza que é a realidade.

Sobre este episódio, eu sinceramente não o achei dos melhores. Koi está caindo numa de todo episódio ser “igual”, temáticas simples e o dia a dia dos personagens. Porém, os mesmos estão evoluindo um pouco, o que deixa as coisas mais interessantes e nos prendem. Eu não entendi qual foi a do pai do Nisaka. Não vi a necessidade dele no episódio, contudo ele também não atrapalhou em nada. A parte em que o Nejima fala pro Yusuke que “Você de Julieta seria a coisa mais linda que eu já vi” bateu uma pena do coitado. O Neji tem um radar pra saber o que falar na hora certa pra agradar seus amigos, mesmo que isso depois venha a magoá-los.

O modo como ele fala dos sonhos é um tanto fofinho, mas ao mesmo tempo eu não entendo nada. Talvez só a Ririna venha a entender um dia (ela não entende ainda, como ele falou neste episódio, porém apoia).

Já a Takasaki se trata de um caso perdido no quesito estar apaixonada. Ela deixou de lado toda aquela história de “ajudar os dois a ficarem juntos” e a substituiu por “tomara que sem minha ajuda o relacionamento dos dois venha abaixo”. Ela se declarou novamente para ele neste episódio mas, ainda bem, eles não se beijaram. O anime está querendo nos deixar confusos, talvez todos aqueles beijos com ela tenham sido para gostarmos um pouco mais dela do que da Ririna. Se não tivesse este detalhe a escolha seria fácil. Eu ainda continuo decidido, e vocês? Ah! Já ia me esquecendo de comentar o quão fofos são os dois ainda estarem trocando cartas via correio, sem motivo algum. Só me reforça a ideia de que se entendem e são perfeitos um para o outro.

Que não passe disso a partir de agora!

Por hoje é só galera, espero que tenham se divertido e espero vocês no próximo artigo. Tchau!

Discussão