Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Eu realmente achei que estava faltando algo neste anime que fala sobre animes. Senti um caroço enorme no angu. Algo estava me incomodando demais. E parei de me sentir tão incomodada assistindo este episódio. Como não apenas bastava o discurso de Kaikai, acho que a cena em que Erika decide colocar as cartas na mesa fez com que o anime melhorasse bastante. Para mim, o que realmente faltava era a colocação da líder do Clube de Animes, o que trouxe um passado “esquisito” à tona.

Curta o anime21 no facebook:

Em primeiro lugar, digo que comparar o Conselho Estudantil com uma organização foi espetacular. Não que não exista esse clichê em 63248236 animes escolares, mas nenhum deles que me lembre colocou os membros em tal papel tão explicitamente. O pior que acabei de me lembrar: do Conselho Estudantil de Danshi Koukousei no Nichijou, onde os membros têm cara de malvados, mas na verdade têm bom coração (desculpa, mas sempre lembro de coisas aleatórias enquanto escrevo, e se eu não colocar no artigo imediatamente, essa informação ficará perdida na minha cabeça eternamente).

Isso fez com que a mente fértil da Minoa (e de nós, otakus) funcionasse a mil por hora!

E o Comitê desta vez não está pegando no pé apenas por (na visão dos membros deste) ser um grupo que não agrega a outros clubes, e sim por causa da enorme quantia gasta com produtos de mídia televisiva. Eles falaram de brindes, certo? Como leio muitos mangás, alguns (principalmente os shoujos) sempre têm ao menos 4 sessões em que os autores falam “abobrinhas”, e no meio de tantas informações, eles de vez em quando falam de sorteios ou brindes que vêm junto com a edição, seja da revista onde é publicado, seja do volume encadernado. Eu sempre fiquei fascinada por essas informações, e inclusive tinha uma época que tinha uma vontade tremenda de morar no Japão apenas para ter tais iguarias (minha época de “otakinha” era triste, sinhô!).

Além de falar sobre os produtos adicionais que vêm junto com os discos, também tem informações valiosíssimas sobre a indústria animística: como ela funciona, o que faz com que seja feita uma segunda temporada de determinado anime, entre muitas outras coisas. Infelizmente eu nunca fui muito agarrada a esses números, porém para quem acha esse detalhe interessante, o anime conseguiu esmiuçar a explicação sobre como é a criação de anime e o que leva até o produto final.

Após todas as compras terem chegado por meio de um site de compras muito conhecido de todos (Amazon manda abraços), o Comitê bateu na porta do bendito clube e, se eles não fizessem nada que os mantivessem reconhecidos como um, ele seria fechado. O perrengue que cada membro teve que passar não foi fácil, até que, finalmente, se encontraram úteis para fazer algo: roupas para o clube de teatro. E parece que a picuinha entre a líder do Clube de Anime e a do Conselho Estudantil vai além dos dias de hoje.

No episódio passado, eu havia dito que achei estranha a frase “Parece que você está fazendo isso de novo, não é, Erika?”, e realmente. Anime foi algo que desde a infância ambas carregam consigo. Mas Erika usou por causa de sua solidão enquanto estudava fora (e se não fosse pelo corpo desenhado de forma diferente, diria que as meninas eram japonesas também porque, né, tudo fluente… Eu sei, estou sendo cruel falando isso justamente em um artigo que fala sobre as dificuldades da indústria de criação de animes (q), e a menina do Conselho resolveu criar algum tipo de bloqueio, e acredito que é por causa da época de separação das duas.

Quem vê este anime sabe que tem um fã de idols ali dentro do clube, não é mesmo? Pois então eu vou abrir um espaço para dizer que até na equipe do Anime21 também tem fã de idols! E não são poucos! E dedico esta parte do artigo a eles, os fãs de idols. Principalmente porque todas as roupas feitas para a peça do clube de teatro foram inspiradas em uma das referências a esse tipo de anime.

Acredito que este anime finalmente está chegando a um bom caminho, e realmente quebrei a cara neste episódio. Como até então só havia achado o segundo episódio bom, acredito que eu ainda vá me perder nesses altos e baixos desta obra.

A Erika conseguiu complementar o que Kaikai disse. O mais legal neste anime é que cada um conta o seu ponto de vista da maneira mais sincera possível.

Muito obrigada por lerem o artigo, e nos vemos no próximo!

Comentários