Um episódio interessante que “tocou na ferida” de uma forma que eu não esperava, mas fez isso muito bem. Acredito também que ele foi um divisor de águas para definir quem vai ou não vai se “molhar” com este anime, pois ou você acha moralmente aceitável uma história de romance entre pessoas com tamanha diferença de idade, ou você não acha e isso inevitavelmente deve “selar” seu julgamento. Enfim, quem está na chuva é para se molhar, então vamos de encontro a ela agora!

Antes de mais nada, preciso dizer que a pouca resistência do Kondou aos avanços da Tachibana – no que diz respeito a dá-la alguma esperança de que esse romance possa dar certo – me incomodou um pouco, pois achava que ele fosse demorar mais a aceitar sair com ela. Contudo, no fim do episódio fica claro que o problema dele não é com o que os outros vão dizer ou com as barras que eles vão ter que enfrentar – ele é um “peixe morto” para a sociedade e, de certa forma, até entendo ele não ligar tanto para a opinião alheia – caso fiquem juntos e sim com o seu medo de acabar se machucando.

Tachibana é decidida e sabe bem o que quer! #GirlPower

Ele já está mesmo levando a situação a sério a esse ponto? Pensava que ele ainda ia demorar para “cair na real” e responder a Tachibana devidamente, mas okay, ela foi bem incisiva com ele e estava séria enquanto conversavam, o que contrastou tanto com a sua personalidade normalmente passiva que deve ter feito ele se “deixar levar”. O problema é que eu acho que ele como adulto precisa pensar mais nela. Não é errado que uma pessoa pense mais em si, mas ele é mais velho e quando ela se machucou ele pareceu bem preocupado com a situação da garota. Será que ele não pensa que a pessoa que mais pode se ferrar com isso tudo é ela? Se ele acha que já não tem muito mais a ganhar ou perder na vida, então não seria prudente ele se preocupar mais com o quadro geral da situação do que com como um encontro entre eles ser ruim para ela, não acham? Senti falta disso nas ações dele. Até o momento em que ele “deu um passo para trás” no café foi mais por causa da própria insegurança, pois mesmo tendo pensado em como tudo aquilo era estranho – ela estar lá com um cara bem mais velho –, no fim das contas tudo se resumiu só ao medo dele de acabar mal por isso.

Isso ainda pode ser “consertado” e acho importante que seja logo, pois pelo que vimos nesse episódio a Tachibana não deve desistir do Kondou e deve continuar insistindo até que eles realmente venham a ter um romance. Sendo assim, é preciso que ele como adulto não pense tanto só nele, mas analise a situação da melhor forma possível para fazer com que esse relacionamento dê certo, pois os dois podem até não ligar para a opinião dos outros, mas a Tachibana não é dona do próprio nariz, então eles vão ter que ter no mínimo a aprovação da mãe dela e vão ter que saber lidar com a situação no ambiente de trabalho que os dois dividem. Para esse romance realmente ver o sol depois das nuvens, por muita tempestade ele ainda vai ter que passar e trovejar usando o colega de trabalho deles foi uma boa forma de ir avisando a Tachibana que uma forte ventania se anuncia no horizonte.

Considero que usar o Kase para dar um verdadeiro “choque de realidade” na Tachibana foi o ponto alto deste episódio, pois as atitudes dele após tomar conhecimento da situação expressam bem como a maior parte da sociedade deve ver o romance entre ela e o Gerente, como algo reprovável e repugnante. A situação que levou a isso foi sutilmente bem bolada e executada, pois antes ela já havia demonstrado falta de atenção e impulsividade ao se declarar para o Gerente – falta de atenção na primeira vez e impulsividade na segunda –, então ela ter tido o seu segredo descoberto daquela forma até bem boba não é nada incoerente dada as ações da personagem, que às vezes faz as coisas sem pensar direito, sem se dar conta de como aquilo pode a prejudicar. Ela agir assim é completamente normal, pois adolescentes fazem besteira sem querer o tempo todo e escrevem o nome da pessoa que gostam no caderno – eu vi na Tachibana muito do que eu era alguns anos atrás.

A trilha sonora nesse trecho me deixou realmente triste… que cara mais detestável, hein!

Uma outra coisa bem-feita foi a forma como o Kase reagiu ao saber que ia dar aulas a um garoto e não a uma garota e até a forma como ele, levado pelo assunto, observou a Tachibana com desejo e demonstrou interesse nela. Pode parecer conveniente mostrar que ele é assim só agora, mas é só agora que isso é necessário, só agora que a bolha que envolvia os dois personagens principais foi quebrada e que os coadjuvantes devem passar a ter grande importância para movimentar a história.

Reparem em como ele falou com o amigo e reparou na garota, okay que ele é um jovem adulto e não há nada de incomum em se sentir atraído pelo sexo oposto, mas a predileção dele por lecionar para uma mulher – pode até ter sido só brincadeira, mas aquilo era trabalho, então o sexo da pessoa deveria sequer ser discutido ali? – e a sua chantagem para guardar o segredo da Tachibana mostram o tipo de pessoa escrota, machista e de caráter questionável que ele é. A sociedade toda não é assim, é obvio, mas aqueles que devem ser os primeiros a apontar o dedo e julgar um casal “diferente” são pessoas que pensam e agem exatamente como ele, então usar o personagem agora e para isso foi extremamente desconfortável, mas necessário para ir mostrando que dificuldades eles enfrentarão se quiserem que um relacionamento amoroso dê certo. Esse foi um “mal necessário”. Nem vou falar como achei ruim ela ter aceito a chantagem mas, devido ao estado da sua paixão e aos problemas que decorreriam do que ele dissesse, entendo ela ter topado ir se encontrar com ele.

Os dois encontros terem sido praticamente iguais e ao mesmo tempo muito diferentes também considerei algo bem desconfortável – quando via ela com o Kondou lembrava do Kase e isso me embrulhava o estômago –, mas útil por mostrar como só de alguém tão mais velho estar ao lado dela isso já dava uma impressão diferente – mesmo que ninguém de fora tenha aparecido para apontar nada quanto a isso. O conteúdo dos dois encontros foi mesmo muito diferente e não acho que há muito a se comparar, pois ela realmente só saiu com o Kase para que ele não contasse a ninguém o seu “segredo” e ele foi previsivelmente desagradável com ela – chegando até a roubar dela um beijo na bochecha. Ele poderia ter insistido mais com ela, mas isso seria uma idiotice sem igual, pois ele poderia acabar se dando mal – ela poderia acusá-lo de assédio, por exemplo – já que a Tachibana não é o tipo de garota que aguentaria calada – até estranhei ela não ter dado um tapa no cretino.

Talvez até dê para comparar o beijo que o Kase deu a força nela com o beijo que ela quis dar no Kondou – o qual, aliás, rendeu um belíssimo momento no qual o tempo parou para que ela demonstrasse o seu amor, mas ela não conseguiu tirar o seu desejo do plano das ideias –, mas não vejo muito significado por trás deles além de aumentar o contraste entre um encontro e o outro. Me pergunto como a Tachibana não ficou incomodada em fazer os mesmos programas com duas pessoas que significam coisas tão diferentes para ela – o normal seria fazer outra coisa para esquecer o encontro desagradável. Talvez ela pensou em ver como se sentia com um e com o outro na mesma situação, mas a verdade é que ela está perdidamente apaixonada pelo Kondou, então mesmo que o encontro tivesse sido ruim ela muito provavelmente acharia bom e ainda “vomitaria borboletas” ao chegar em casa. Uma coisa interessante desse anime são as reações da Tachibana a qualquer pequeno avanço com o Kondou, as quais são bem espontâneas e fofas, o normal para uma adolescente apaixonada – mesmo que o alvo do seu amor seja um homem 28 anos mais velho.

Isso deve incomodar a alguns, mas temos que lembrar que essas situações sempre ocorrem sob o ponto de vista da Tachibana – mesmo que haja outro personagem na cena –, então isso até poderia ser cortado, mas é válido para ilustrar melhor o que ela sente. Acredito que isso não “normaliza” o envolvimento deles justamente por se referir somente a ela e que o certo é que a história continue a não tratar de forma comum esse romance – este episódio exemplificou bem o que estou dizendo.

Um dos momentos mais lindos desse anime até agora!

Koi wa Ameagari no You continua muito bom em quase todos os sentidos, o que falta agora é que as adversidades se acentuem e que o Gerente mostre que realmente se preocupa com a Tachibana, que não quer só não sofrer, mas também não quer fazê-la sofrer. Isso é importante para se o romance for mesmo concretizado – acho necessário fazer com que o público sinta mais empatia pelo Kondou e passe a torcer pelo sucesso do casal –, pois ele ainda parece estar em estado de deslumbre por uma garota jovem e bonita gostar dele e não mostrou sinais tão evidentes de que esteja realmente interessado nela – o interesse ainda parece muito unilateral, é o que quero dizer.

Tudo o que estou falando aqui pode soar estranho por causa da “peculiaridade” desse romance mas, como disse antes, ou você aceita que a provável mensagem principal do anime seja de que o amor entre duas pessoas com uma diferença tão grande de idade pode sim dar certo ou você acha que passar tal mensagem é errado e o anime vai ser uma experiência ruim para você. Eu decidi aceitar isso e torcer pelo casal, e você? Só espero que a história não desande até o fim do anime.

Até a próxima, pessoal!

Só eu adorei a mãe da Tachibana e espero que ela apareça mais a partir de agora?

  1. Bem se o casal vai adiante com torcida ou não isso só o andamento irá dizer…Mas o que atrai mesmo…
    …E a doce melancolia masculina do Kondou san, aquilo que o machucava com a idade da Tachi hoje é doce como o café açucarado que toma. Melancolia…A doce tristeza que traz felicidade…E não me canso Kondou san gambatekudasai!!!
    Agora o grande catch da história toda o que a mãe da Tachi (sim ela é valiosa na trama…) vai pensar de tudo isso???

    E como sempre uma resenha sempre boa do Anime 21 caras vcs são otimos!!!

  2. Eu amei o episódio e sempre torço pelo casal para que fiquem juntos e acho muito comum e normal pessoas de idades diferentes e sexo oposto ficarem juntos. Nota episódio: 10/10.

Discussão