Bom dia!

Nessa semana Fate/Extra teve mais um longo infodump. Pelo menos teve ação digna desse nome na porção final do episódio. E a moto voadora da Rin era bem legal.

Bom, em homenagem ao episódio vou começar esse artigo com infodump também, tudo bem? Mas não se preocupe, o meu vai ser muito mais divertido!

Quem foi Francis Drake?

  1. Folião de carnaval travestido de pirata?
  2. Capitão e corsário inglês?

A resposta certa é a 2, obviamente. Fate/Extra parece ir com a 1, mas com super-poderes inspirados no 2. O que, se você não passou os últimos 22 anos dormindo e conhece de ouvir falar ou mesmo já assistiu algum outro anime da franquia Fate sabe que não é por acaso. Personagens históricos, fictícios ou mitológicos masculinos reinterpretados como mulheres é o feijão com arroz de Fate. O que eu me arrependo é que quando a Francis apareceu no segundo episódio eu sequer cogitei que aquela pessoa extravagante vestida de pirata pudesse ser uma serva. Retrospectivamente, fez muito sentido, eu que fui burro e distraído. Prometo prestar mais atenção de agora em diante.

Conta tudo, Rin: como vocês da Shaft conseguem virar o pescoço desse jeito?

O Francis Drake real foi quem comandou a segunda viagem de circum-navegação ao redor do mundo (o primeiro foi Fernão de Magalhães), e o primeiro a completar tal viagem vivo (meus pêsames, Magalhães). Não à toa, os dois nomeiam acidentes geográficos vizinhos entre a Antártica e a América do Sul: o Estreito de Magalhães, que fica entre a América do Sul continental e as ilhas da Terra do Fogo, e a Passagem de Drake, entre o Cabo Horn (o ponto mais ao sul da Terra do Fogo e da América do Sul) e as Ilhas Shetland do Sul, que ficam ao norte da Península Antártica. Curiosidade extra: a Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira de pesquisas na Antártica, fica na Ilha Rei George, nas Shetland do Sul. Mais de uma dezena de estações de pesquisa antártica ficam nesse arquipélago. Curiosidade extra 2: Fernão de Magalhões passou pelo Estreito de Magalhões. Francis Drake também, e nunca navegou pela Passagem de Drake. Bom, ainda assim é uma homenagem merecida.

Provavelmente foi a isso, a circum-navegação, que a Saber se referiu quando disse que Francis Drake tinha “conquistado o mundo”. Mas poderia também ter se referido ao papel fundamental que ele teve na transformação do Reino da Inglaterra em Império Britânico. A Inglaterra ainda era considerada uma potência de segunda grandeza em sua época, e seus atos de pirataria contra os espanhóis em toda a costa ocidental da América, além de outras ações no Caribe e na própria Espanha, ajudaram a criar o clima de hostilidade entre as duas nações que levaram à tentativa de invasão espanhola com a sua famosa Invencível Armada. Que foi vencida pelos ingleses. Mais especificamente pelo próprio Francis Drake, vice-comandante da frota inglesa que derrotou os espanhóis e transformou a marinha real inglesa na principal força naval do mundo.

Mas esse foi o Francis Drake real. A Francis Drake de Fate/Extra parecia bem contente em ser a serva passiva de um covarde que escolheu abandonar a Guerra do Santo Graal. Ou talvez não? Quero dizer, a conversa dela com a Saber e o Hakuno no episódio anterior não permite de verdade concluir nem uma coisa nem outra. Ela é leal a seu mestre, mas isso não é escolha para os servos em primeiro lugar. E sem sombra de dúvida pareceu muito animada lutando novamente para valer nesse episódio. Então, vai saber, né? Pelo menos ela não morreu de disenteria, como o Francis Drake real.

Esse foi meu infodump, curtiu? Mas e o infodump do episódio, hein? Bom, a Rin perdeu seu servo. Como? Sei lá. Ele deve ter sido derrotado e ela desfez o contrato para não morrer, como a Francis sugeriu que o Shinji fizesse. Fora isso, parece que uma força nova de nome indiano derrotou, matou, hackeou, sei lá, o Seraph, que parecia ser o programa que governava a Guerra do Santo Graal, e… isso deve ter mudado alguma coisa. Bom, o nível mais baixo foi destruído, e isso parece que não deveria ter acontecido. Fiquei sob a impressão também que, com Seraph, Shinji não poderia ter simplesmente desistido da guerra e ficado de boa no primeiro nível. Mas ter que entender o que supostamente deveria ser para descobrir o que vai ser de verdade no anime é realmente uma chatice. Para quem conhece o game talvez nem tanto.

Teve isso também, que foi meio legal, acho

O combate pelo menos foi bem legal. Supostamente descobrir a identidade do servo é importante, mas não ficou parecendo que teria sido mais ou menos fácil vencer se a Saber não tivesse descoberto que a serva do Shinji é da classe Rider, e mais especificamente, é Francis Drake. Ela estava em um navio, a Saber abalroou o navio dela com outro navio, e me parece que isso seria eficiente com quem quer que fosse o adversário. Mas tudo bem. Fica a dica, porém, de que a Saber era uma rainha. Ou mais provavelmente, uma imperadora, já é esse o termo que ela usa. E quase certamente pode apostar que ela na verdade é um homem. Bom, eu sei quem ela é então não vou ficar insistindo muito nesse jogo porque não vou conseguir fingir que estou tentando adivinhar, então paro por aqui. Se você já sabe, não estrague a surpresa de quem ainda não sabe nos comentários – descobrir essas coisas é uma das diversões de quem assiste Fate, afinal.

Agora vamos ver como será o segundo nível. Será que vai ter outro personagem execrável com o Shinji que no final do arco o anime vai tentar redimir? Coitadinho! Ele tava traumatizado por ter matado o amigo! Hakuno tem ódio é pouco. Bom, desde que a Rin continue arrebentando por aí com sua moto voadora eu estou satisfeito, por enquanto.

Voa lá que dá tempo de pegar carona no elevador ainda!

Discussão