Sword Gai é mais um dos 30 animes que a Netflix prometeu que iria trazer esse ano para seu catálogo. Com um lançamento simultâneo de todos os 12 episódios, a série está “completa” para quem se interessar. Sim, tivemos um final aberto que deixa bem claro a possibilidade de uma nova temporada. Mas vamos falar sobre a obra.

O anime adapta o mangá já finalizado (2012-2015) que inclusive possui uma sequência que encontra-se em publicação. Já a história fala sobre armas amaldiçoadas que possuem pessoas com sentimentos negativos. Alguns acabam sucumbindo a esse poder e perdem sua humanidade enquanto outros conseguem mantê-la apesar disso ser apenas um retardo do processo. Diante disso, seguimos a história de Gai, um garoto que acaba sendo encontrado com uma espada amaldiçoada quando recém nascido.

A premissa do anime inicialmente parece promissora mas se mostra confusa conforme você vai avançando na história. Com furos aqui e ali no roteiro a “degustação” da obra é bem prejudicada. Prova disso é que no começo o anime não especifica que se trata de armas em geral em vez de espadas, deixando subjetivo que apenas elas são amaldiçoadas e tudo mais (isso sem esquecer do próprio nome do anime). Além disso, a animação peca em algumas cenas produzindo momentos bizarros. Por outro lado temos uma boa consistência nas batalhas e o CG acaba sendo agradável. Ah, e caso você goste, a dublagem está aceitável e acredito que não deixa a desejar ou ficar devendo (mas considere também que eu não sou muito crítico nesse aspecto e não comparei com a original).

Sim, no anime as poucas armaduras que aparecem são em CG

Já em relação aos personagens, a obra trabalha com vários deles. Gai, o protagonista, é um garoto sombrio e solitário que apesar de ter seu estilo de vida “justificável” em momento algum evolui (seja como pessoa ou como combatente) e particularmente eu considero isso bem negativo pois diversas vezes ele acaba deixando a desejar. Por outro lado temos Sayaka, filha do benfeitor e mestre de Gai, a jovem garota é a típica personagem que corre atrás de um “emo” que não dá a mínima para ninguém e nem para si mesmo. Infelizmente a obra sequer tentou explorar a relação entre os personagens e por isso várias vezes tivemos cenas onde ela recordava de algum momento que teve com ele e o mesmo sequer lembrava completando com o mesmo discurso negativo e sombrio. É encabeçado por essa relação, a maioria das relações entre os personagens é superficial/profissional e com isso a seriedade que o anime mostra estar disposto a passar é visível.

Gai e Sayaka

E esse talvez seja um dos grandes problemas do anime: não desenvolver praticamente nada. A impressão que se tem é que durante 12 episódios você teve uma grande carga de informações e algumas lutas no meio disso. Claro que olhando pela perspectiva de uma nova temporada isso até pode ser tornar justificado, podendo classificar essa temporada como uma base ou uma preparação de terreno para a próxima. De qualquer forma nem todas as informações ficam claras e algumas vezes você se encontra boiando na história. Porém, apesar desses pontos negativos, Sword Gai te explica gradativamente as informações importantes e necessárias para o momento atual e isso te ajuda a não ficar tão perdido assim. E por mais que essa explicação tenha ficado confusa, tenha em mente que o anime explica bem o que acontece (a maioria dos detalhes) para que você não fique tão perdido, mas muitas coisas que ele deixa de explicar te deixam extremamente confuso. Ou seja, eles acertam aqui e erram ali.

Talvez não pareça mas se fosse dar uma nota para o conjunto da obra, daria um 6 bem redondo. Apesar de inconsistências e falhas, o anime provou ser uma pedida boa o bastante para se acompanhar como um mero passatempo. Junte isso a bons mistérios e detalhes interessantes que aparecem no decorrer e você terá em mãos Sword Gai.

Discussão