Em meados do final de 2015 Steins;Gate recebeu um OVA cujo conteúdo iniciou uma rota beta que veio para substituir os dois últimos episódios da série de TV e fazer com que a franquia entrasse em uma nova fase – a fase 0 – na qual a heroína principal do anime, Makise Kurisu, teve que morrer para impedir uma cadeia de eventos que resultariam na morte da amiga de infância, a fofa Shiina Mayuri, do protagonista Okabe Rintarou – o auto intitulado mad scientist, Hououin Kyouma. A série animada de Steins;Gate é adaptação de uma visual novel, a qual dispõe de diversos finais diferentes de acordo com as escolhas do jogador, e foi se aproveitando desse formato que os criadores do jogo lançaram uma continuação para ele, o Steins;Gate 0, na mesma época de lançamento desse OVA. A nova visual novel ganhará sua adaptação para anime na temporada de abril de 2018 e seguirá o bad end no qual a carismática cientista e Labomen #04 de cabelos ruivos não está mais presente. Ou será que está?

“Se for para morrer, que ao menos seja em seus braços.”

Antes de comentar o que esse episódio especial propiciou, enquanto continuação seguindo uma rota alternativa à da série original, é importante comentar o que diverge nele em comparação aos últimos episódios do primeiro anime. Ao invés de “enganar” o destino simulando a morte da Christina o que acontece é que por uma fatalidade quem acaba a ferindo mortalmente é o próprio Okabe, o que resulta na criação de uma nova linha do tempo e nessa o enérgico mad scientist já não tem mais força alguma para tentar de novo, para desafiar ainda mais as intempéries do tempo. O que ocorre a seguir é que a vida continua normalmente para os personagens que restaram e o Okabe vai ter que carregar o fardo, pelo resto de seus dias, de ter ceifado a vida da mulher que amava. É o que deveria acontecer, mas ele acaba por se envolver em um projeto que irá mudar a sua vida mais uma vez.

Trata-se do Projeto Amadeus, que consiste em armazenar a memória de um indivíduo em um dispositivo e através dele criar simulações tendo como base suas características e personalidade. É óbvio que a pessoa que serviu sua memória para o experimento é a Makise Kurisu e é a partir disso que a história dessa rota 0 se desenrola, com o Okabe se “reencontrando” com a sua falecida amada – ou, no caso, tendo contato com a informação que ela deixou sobre si antes de sua morte. A partir disso diversas situações envolvendo drama e ficção científica devem acontecer e quem sabe até a própria personagem não pode voltar à vida em carne osso, não é mesmo? A máquina do tempo ainda existe nessa linha do tempo, então seria ilógico de nossa parte descartar tal possibilidade.

Considero corajoso, e deveras arriscado, da parte de uma franquia que se tornou um sucesso muito por conta da popularidade de seus personagens optar por uma continuação em que abre mão de uma das protagonistas. É claro que o estrago não é maior justamente por haver esse “alter ego”, mas o que ele possibilita de interessante a ser trabalhado sobre as diversas questões que devem ser abordadas no anime pode agir como uma faca de dois gumes caso não seja realmente bem feito – o quê, como grande fã da obra, torço para não ser o caso. Aposto que uma tendência dessa nova fase será se aprofundar em questões existencialistas que devem proporcionar mais momentos nos quais o Okabe beirará a insanidade, sendo levado ao seu limite por ter que lidar com o que tornava a pessoa que ele amava quem ela era sem, contudo, ser essa pessoa. Diferente do primeiro anime esse já começa com um fator dramático forte e, de tal forma, deve seguir por caminhos diferentes já que os d-mails e a máquina do tempo devem perder espaço para o ambicioso e peculiar Projeto Amadeus.

É verdade que é possível ver os 22 primeiros episódios do anime clássico, ver esse OVA e então acompanhar o novo anime, afinal, isso já é tempo mais que o suficiente para proporcionar todo o envolvimento emocional necessário para fazer com que a morte da heroína principal impacte. Contudo, como um apreciador da obra que já viu o anime, leu o rushado mangá e deve jogar a visual novel em breve – ela se encontra oficialmente na Steam em inglês, uma compra que indico para os amantes da obra que tenham o mínimo de domínio da língua –, indico que você que ainda não viu o anime não deixe de ver o good end da obra, pois ele é muito satisfatório dentro daquilo que ela se propôs desde seu começo e deve criar um paralelo interessante entre essas duas rotas exploradas na adaptação animada. O filme e os quatro especiais curtos não são obrigatórios, mas se você gostou do que viu antes, são mais que indicados; o outro OVA age como episódio 25 e é um bom complemento ao final da série. Resumindo, se ainda não viu, veja tudo de Steins;Gate para que possa apreciar – ou não – melhor a fase zero, se já viu não se esqueça de preparar a pipoca e o coração para o que virá!

Estão preparados para viajar para dentro do ser que era Makise Kurisu?

Discussão