Vamos ser sinceros. Eu sabia, você sabia, todos nós sabíamos que esse dia chegaria. Hasuki finalmente descobriu o segredo de Inuzuka e Persia e como eu já havia imaginado, ela ficou totalmente fora de si, inclusive chegando a cogitar seppuku. Apenas mais um dia normal no Colégio Grigio.

Para aqueles que já estavam apaixonados pela Hasuki pelos três primeiros episódios – como eu – o desta semana foi excelente, principalmente por ela ser o foco da história. Pudemos conhecer como começou sua amizade com Inuzuka e entender totalmente o lado dela após descobrir a verdade sobre o relacionamento dele com Persia. Por mais que ela tenha usado medidas drásticas demais, acho difícil alguém não se colocar no lugar dela e entender seus sentimentos.

Por outro lado, mesmo que Inuzuka não tenha contado o segredo para Hasuki desde o início – o que também é compreensível – pelo menos ele teve coragem suficiente para dizer a verdade em algum momento, apesar de não contar com aquela reação. No fim, não tinha como fugirmos desse conflito, pois um fato não muda: Inuzuka não sente pela Hasuki o que ela sente por ele.

Esse seu modo tsundere seria mais fofo se você não estivesse em um bueiro.

Tudo começou com o acampamento de estudo dos Black Dogs, que a própria Hasuki criou para ajudar todos os alunos do dormitório Inuzuka. Pensando nesses três dias de estudos constantes, é claro que nosso protagonista ia arrumar um jeito de ficar perto de Persia, ou melhor, Julio. E por falar na volta desse personagem que todos amam, vocês também perceberam um detalhe neste episódio?

É impressão minha ou o Maru tem uma queda pelo Julio? Isso vai dar uma treta…

Outra personagem que nos foi apresentada nesse episódio foi a Alter-Hasuki, uma versão alternativa da Hasuki fofa que ganha vida quando está de óculos. Apesar dela ser muito severa neste modo, há algumas contradições. Por exemplo, sua versão infantil de óculos não era rígida daquele jeito. Por outro lado, ela estava usando óculos quando correu atrás do Inuzuka com uma espada.

Por falar nessa versão infantil da Hasuki, foi fundamental que o episódio tenha reservado alguns minutos para mostrar o background dos dois personagens na infância. Isso ressalta a personalidade difícil de Inuzuka antes de conhecer Persia, e que era bem pior antes de conhecer Hasuki. Além disso, também foi legal ver as situações engraçadas em que ela se metia por ajudar ele nos estudos.

Que menino estudioso.

Por fim, o episódio também contou com a volta de Char, assim como prometido. É legal ver que ela não será totalmente uma amiga e nem uma inimiga, ficando em uma zona cinzenta que quer matar Inuzuka, mas salvar Persia.

E então chegamos no momento mais crítico do episódio, onde até o mais forte dos espectadores tiveram que amolecer o coração: a declaração da Hasuki. O mais louco desse momento é que todos nós já sabíamos onde isso ia dar desde o início. A história foi feita de forma como se fôssemos quase cúmplices desse romance proibido, então por isso foi tão triste ver as esperanças da Hasuki desaparecem. Infelizmente, não podíamos ter feito nada para reverter essa situação.

Apesar dessa ideia já ter sido usada no último episódio, achei que a Hasuki também usaria essa informação contra o Inuzuka ou a Persia, talvez usando seu modo severo para se tornar a nova líder do dormitório ou algo do tipo. No fim, ficou claro que ela realmente não teria coragem de prejudicar Inuzuka, nem através de seppuku, já que a espada não era verdadeira.

A verdade é triste demais.

Assim como já era esperado, obviamente ela não aceitou isso numa boa. Mas o que mais chamou atenção foi o fato de haver uma placa dizendo que se alguém dos Black Dogs se apaixonasse por alguém dos White Cats, o resultado seria suicídio. Aparentemente, Inuzuka já sabia disso, então por que ele não pensou um pouco mais antes de se apaixonar pela Persia? Ainda acho que ficar com a Hasuki não seria uma escolha ruim e daria bem menos problemas, por exemplo.

O resultado foi um confronto de alto nível, principalmente se levarmos em conta que esse anime não é um battle shounen, e sim uma comédia romântica. Além disso, é praticamente impossível não se sensibilizar minimamente pela Hasuki no final. Diferente de Inuzuka, ela foi sincera dizendo que realmente o odeia.

E esse episódio foi tão diferente dos demais que no fim das contas a própria Persia não recebeu tanto destaque, apesar de estar diretamente envolvida no conflito. Com certeza, no futuro, ela terá muitos outros episódios para brilhar, mas vamos deixar a Hasuki ter seu momento pelo menos uma vez. Aparentemente, o problema já foi resolvido, mas não duvido que isso volte em algum outro episódio.

Agora, precisamos fazer justiça. Se Hasuki teve um episódio só para ela, incluindo flashbacks de infância e um destaque maior que a Persia, nada mais justo que Scott também ganhe um. O personagem é praticamente a versão Hasuki dos White Cats – mas nesse caso ele sempre usa óculos. Além disso, ele está um pouco sumido nesses últimos episódios…

Apesar de não ir tão além quanto imaginei que fosse, esse conflito foi tão bom quanto imaginei. Para a próxima semana, tudo indica que teremos um Festival Esportivo – não no mesmo nível do que aconteceu em My Hero Academia – e a apresentação de mais um personagem, seguindo a regra de uma nova adição no elenco por semana. Será um rival? Um aliado? Um rival que depois vai se tornar aliado? Eu chutaria a última opção, mas só saberemos na próxima semana!

Comentários