Bom dia!

A Yuu é uma pessoa observadora, analítica até. Ela conhece as pessoas observando como agem, como se comportam, o que fazem. Foi assim que ela, e só ela, percebeu que a Nanami estava nervosa com a eleição para o Conselho Estudantil.

Esse episódio começou com a Yuu mostrando de forma inequívoca suas habilidades de observação. Ela conhece suas amigas pelo tipo de literatura que consomem. Como sua família tem uma livraria, na qual ela trabalha de vez em quando, ela tem um ponto de observação privilegiado.

Sabe quando você vai comprar uma coisa em uma loja e fica pensando o que o atendente vai pensar de você? A maioria dos lojistas reais não pensa nada. São muitos clientes e eles têm preocupações maiores na vida. Mas se você for na livraria da Yuu, ela vai pensar coisas de você.

E a coitada da Nanami passou lá só pra ver a Yuu e comprou, sem saber do que se tratava o conteúdo, um romance lésbico bastante picante 😂

Claro que a Yuu concluiu, automaticamente, que a Nanami queria provocar uma reação nela. E evitou a todo custo exibir qualquer reação.

Não deixa de ser curioso que a Yuu, que acha que não sente, precise se esforçar para esconder o que está sentindo.

Estou exagerando, né? Mesmo sem estar apaixonada, qualquer pessoa na situação da Yuu ficaria agitada, no mínimo. Mas esse é só mais um pequeno sinal, entre tantos outros.

Se a Yuu estivesse assistindo a sua história talvez pensasse algo bem diferente dessa personagem chamada “Yuu” em comparação ao que pensa de si mesma.

E esse episódio todo do livro que a Nanami comprou foi só uma esquete de humor antes do episódio começar de verdade. Depois da abertura descobrimos o tema da semana: as provas do colégio, ou, mais especificamente, estudar para elas.

Durante um período de duas semanas o Conselho Estudantil estará fechado e nenhum de seus membros irá se encontrar normalmente. As provas em si são na segunda semana e a Yuu, estudiosa, quer aproveitar para estudar desde já. Suas amigas nem tanto.

Ela tenta a sorte com o Maki, que está no primeiro ano como ela, mas o garoto aproveita a oportunidade para dar mais um empurrão na relação que ele quer tanto assistir e sugere à Yuu ir estudar com a Nanami, que estava por ali e obviamente não se recusou.

 

Yuu e Nanami estudando na escola

 

As duas estudaram na biblioteca da escola normalmente durante os primeiros dias, mas conforme as provas se aproximaram a biblioteca lotou, então ela convidou a amiga-parceira para estudar em sua casa.

Foi aí que começou a verdadeira história do episódio da semana. Para a Yuu era só uma amiga, mas para a Nanami é a casa da pessoa que ela ama.

E não duvido que o sentimento da Yuu seja mais ou menos esse a essa altura mesmo. A Nanami é especial, mas, talvez pelo menos por enquanto, isso não provoca nela reações viscerais, não faz seus hormônios entrarem em ebulição. A Nanami não é só uma amiga, mas se ela a chamou para sua casa estudar, naturalmente não vai pensar nada demais.

De novo, se a Yuu estivesse se vendo, talvez pensasse algo diferente.

 

Yuu e Nanami estudando na casa da Yuu: Nanami ficou bastante agitada e Yuu não pôde deixar de perceber

 

A Nanami, como esperado, ficou super agitada. Enquanto esteve sozinha no quarto da Yuu, esperando que ela trouxesse chá e bolo, não pôde resistir à tentação de dar uma boa fungada na cama dela.

Para ela que já beijou a Yuu sem avisar, e já pressionou Yuu para beijá-la uma segunda vez, cheirar os lençóis da garota é só mais uma demonstração de como o amor dela é bastante carnal e como ela tem pouco controle sobre o que sente e como age.

A ironia é que talvez Nanami só tenha se apaixonado pela Yuu em primeiro lugar porque a garota parecia não ter nenhuma tendência romântica em particular, nada de segundas intenções, vontade zero de tocar e trocar fluídos corporais. Agora está aí, a Yuu é exatamente isso, mas ela é o oposto.

Yuu percebeu o quanto Nanami estava agitada, e a outra tratou de contar logo o óbvio: é lógico que, sozinha com a Yuu, no quarto dela, ela ficaria assim. Yuu aproveita para descontar a ocasião em que Nanami a chamou de pervertida e provocou Nanami, que ainda tentou fazer a garota tocar em seu peito (olha as segundas intenções aí), apenas para ser frustrada quando ela mediu seu batimento cardíaco pelo pulso mesmo.

O resto da sessão de estudo parece ter seguido sem contratempos, embora certamente com a Nanami não conseguindo evitar pensar, olhar e sentir certas coisas de tempos em tempos.

Na hora de ir embora, mais uma vez ela não conseguiu disfarçar: foi tão ansiosa ao pedir a receita do cheesecake que ela ficou sabendo que a Yuu adora para sua irmã que ela percebeu que tem “algo” ali.

Talvez ela se torne mais uma a tentar dar um ou outro empurrão na Yuu, para ver se pega no tranco? Por enquanto se limitou a enviar uma foto da irmã mais nova dormindo para a Nanami, o que fechou o dia dela com chave de ouro.

 

Nanami não consegue se segurar de excitação quando recebe uma foto da Yuu dormindo

 

O dia da Yuu, porém, termina com ela abraçando forte o planetário que ganhou de presente da Nanami, e desejando que seu coração “se decida”.

Yuu quer amar Nanami, quer retribuí-la. Ao mesmo tempo, ela já sente algo, só não é aquilo que ela leu nos mangás e escutou nas músicas que seria, nem é tão arrebatador como ela vê a Nanami sentir por ela.

Mesmo assim, se ela tivesse se vendo, talvez se percebesse de outra forma.

Para encerrar, um caminho que o anime talvez tome: a Yuu aparentemente está um pouco incomodada por se sentir “sozinha”. Logo após a Nanami ir embora, e depois daquelas coisas todas que uma disse para a outra e a outra disse para a uma, Yuu estava excessivamente consciente sobre isso durante o jantar em família.

 

  1. Avatar

    pqp, eu nao tinha percebido que até a comida tinha parceiros ausdhaudhuasdhuas. pqp kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, é a vida dando esmurros na cara de pau ai. aiai, então finalmente começamos a ver a yuu desejando sentir logo… desejando ter algo, desejando ter a nanami. acho interessante a fala que ela trás no anime: eu queria alguem para esta ao meu lado, mas poderia ser qualquer pessoa… qualquer pessoa, nao faria diferença nenhuma nao importasse quem fosse… mas é a nanami que esta aqui….
    isto simplesmente fala tudo.
    aaaaah super concordo, se a yuu estivesse lendo sobre ela mesma, com certeza ela pensaria diferentes sobre a propria “yuu” ausdhuahduahduas, mas a vida é assim ne? quem ver em terceira pessoa percebe melhor do que as pessoas q estão envolvidas por isto maki é tão precioso nesta historia.
    to esperando ansiosamente o sexto episodio da sua analise, e lembresse assista até os ultimos segundos do epi.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu sempre assisto cada anime desde o primeiro segundo até o vídeo parar porque acabou, sou desses fresquinhos que pula abertura e encerramento não, hehehe.

      E eu quase não percebi a coisa da Yuu cercada de casais no final, só vi depois de ter escrito o artigo quando estava capturando imagens pra ilustrar 😛 Por isso foi só um comentário curto, no final.

      Obrigado pela visita e pelo comentário!

  2. Avatar

    Esse episódio me passou a sensação de mostrar a Yuu aceitando de vez a Nanami. No começo eu tinha a sensação de que ela era ainda relutante por estar com a Nanami, parecia, algumas vezes, até um incomodo, mas como a Yuu é um pessoa gentil e não sentia nada ela não afastou a Nanami. Já nesse episódio, já vemos uma Yuu mais à vontade e apreciando aos poucos a companhia de sua senpai.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu acho que a Yuu escolheu a Nanami. É um pouco diferente de apenas aceitar. Se tinha algum sentimento especial no começo que a levou a fazer essa escolha ou não, ainda não tenho certeza, mas intuo que sim.

      Sobre a “santidade”: a Yuu é curiosa. E também precisa demarcar o território dela. Como o episódio 6 deixa claro, o relacionamento delas tem algo de abusivo – e a Yuu é quem está do lado fraco. É conveniente para a Nanami ter alguém que sempre vai “aceitar” o que ela quiser. Se estiver com vontade de beijar, beija. Só dar as mãos, tudo bem. Abraçar? Porque não. Mas e os desejos e vontades da Yuu? Será que ela realmente nunca tem vontade de nada? Ok, vamos admitir que ela não sinta nada físico, pelo menos por enquanto. Amor se resume a isso? Se em algum momento ela quiser fazer “algo de casal”, que não seja físico, será que a Nanami sairia de seu caminho pela Yuu, como a Yuu tem feito por ela? Bom, ela ajudou a kouhai a estudar, não é exatamente “algo de casal” mas tem isso, então a Nanami ainda está com crédito. Mas é muito fácil isso começar a desmoronar. Vamos ver.

      Obrigado pela visita e pelos comentários! =)

  3. Avatar

    Ah, outra coisa que você comentou e eu adoro nessa estória é que as personagens não são madres terezas de caucutá, muito pelo ao contrário. É evidente, que a Nanami deseja contato físico, contudo devo destacar a Yuu. A maioria das protagonistas de estórias de romance possui aquele esteriótipo de inocência e desentendimento diante dos desejos carnais do parceiro(a) que as vezes ficam estampados na cara que estão pensando ‘besteiras”. Já a Yuu, ela não tem esse problema, como evidenciado pelo diálogo: -Yuu, você está muito perto. -Senpai, eu não acredito em você (que me fez rir bastante, posto que a trilha sonora também ajudou bastante). A Yuu entende a situação das vontades da Nanami e até se aproveita da situação para dar o troco pela “ofensa” de ser chamada de tarada.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      E no entanto ela aprendeu tudo o que sabe sobre amor exatamente em mangás. O que será que ela anda lendo? =D

      De todo modo, sim, a maioria esmagadora das protagonistas é inicialmente (e isso é importante) inocente, pelo menos para quem está apenas vendo suas ações. Mas quem escuta seus pensamentos sabe que algo dentro delas se mexe, pulsa, anseia. É isso que a Yuu não sente, e por isso ela concluiu, precipitadamente, que é incapaz de sentir “amor”.

      O que não a impede de ter curiosidade, como é saudável e normal na idade dela.

  4. Avatar

    Devo dizer que você esta completamente certo, a fragilidade da relação é tão grande que é enfatizado até mesmo na abertura, por conta dessa fragilidade devo dizer que nem eu, que leio o mangá, consigo prever como esse mangá vai acabar.

Comentários