Bom dia!

Duas coisas importantes foram reveladas nesse episódio: a peça escrita pela Koyomi para o Conselho Estudantil interpretar, e a circunstância da morte da irmã mais velha da Nanami, origem de toda a sua personalidade e traumas.

Ao longo do episódio, Yuu, que preferia não interpretar papel nenhum na peça, “interpreta” o papel de não-apaixonada pela Nanami e as duas encenam um romance que não sai do lugar.

Ler o artigo →

Bom dia!

O dia da gincana esportiva do colégio chegou e já passou, em um episódio em ritmo tão acelerado quanto se espera desse tema. Até a animação mudou um pouco, foi mais dinâmica, fluída, permitiu aos personagens ficarem mais distorcidos, foi bonita de ver mesmo.

Nas cenas íntimas entre Yuu e Nanami, porém, a mesma animação de sempre, que também é bonita para o que se presta.

Na pista de atletismo, todos queriam atravessar a linha o quanto antes. Entre quatro paredes, a ansiedade se misturou com o medo. Algumas linhas foram atravessadas, outras foram mantidas a duras penas.

Ler o artigo →

Bom dia!

Todos os episódios de Yagate Kimi ni Naru são divididos em duas esquetes, antes e depois do intervalo, mas o ritmo da história é normalmente tão natural que é como se fosse exatamente a mesma coisa: a segunda esquete é continuação direta da primeira, tanto narrativamente quanto tematicamente.

Dessa vez não foi assim. A primeira esquete manteve o foco na Sayaka, que veio desde o episódio anterior, só que dessa vez serviu para esclarecer as coisas entre ela e a Yuu, além de aliviar a tensão que existia entre elas.

A segunda esquete voltou ao casal principal, e retomou o que eu disse no episódio do rio: será que para a Nanami poderia ser qualquer uma?

Ler o artigo →

Bom dia!

Ao invés de não ter os clichês do gênero, como cheguei a acreditar nos primeiros episódios, YagaKimi os usa com parcimônia e se esforça para que sua história seja verossímil.

Um clichê comum em yuris é que não só o mundo tende a ter apenas garotas, como elas tendem a ser todas lésbicas. É yuri para todos os lados. Claro que nem todos são assim, mas nós vemos isso, por exemplo e para falar de uma obra recente, em Citrus.

Sakura Trick, um pouco mais antigo, é um anime no qual literalmente todas as personagens são garotas e têm uma namorada. Um exemplo ainda mais antigo e mais famoso (e digno dessa fama) é Aoi Hana, com sua escola feminina com vários casais (tem teatro em Aoi Hana também, aliás).

Não me entenda mal. Não estou no time de quem acha que “clichê é ruim”, muito pelo contrário. Clichês são necessários. Mas há uma diferença entre simplesmente usar um clichê para que ele conte a história por você ao invés de contar uma história na qual o clichê se encaixa e a reforça.

Yagate Kimi ni Naru até aqui se encaixa nesse segundo caso. Por isso no começo achei que estava simplesmente evitando clichês. Não estava. Só estava contando sua história no ritmo que achou por bem contar. E agora sim, no episódio 7, as lésbicas começam a vazar pelo ladrão.

Ler o artigo →

Bom dia!

Rios e a imaginação humana têm uma longa história conjunta. Rios dos mortos, como o Aqueronte do submundo grego, ou o Sanzu do budismo japonês, mas também rios sem nome e bem menos populares como aquele de Guimarães Rosa em seu conto A Terceira Margem do Rio.

O rio é uma barreira natural. Uma das mais fáceis de superar, seja a nado, embarcado, ou a pé mesmo, se for raso o suficiente, mas mesmo que construamos uma vistosa ponte para atravessar um rio em segurança, ele continua lá embaixo, imovível, dividindo o mundo entre o lado de cá e o lado de lá.

Ler o artigo →

Bom dia!

A Yuu é uma pessoa observadora, analítica até. Ela conhece as pessoas observando como agem, como se comportam, o que fazem. Foi assim que ela, e só ela, percebeu que a Nanami estava nervosa com a eleição para o Conselho Estudantil.

Esse episódio começou com a Yuu mostrando de forma inequívoca suas habilidades de observação. Ela conhece suas amigas pelo tipo de literatura que consomem. Como sua família tem uma livraria, na qual ela trabalha de vez em quando, ela tem um ponto de observação privilegiado.

Sabe quando você vai comprar uma coisa em uma loja e fica pensando o que o atendente vai pensar de você? A maioria dos lojistas reais não pensa nada. São muitos clientes e eles têm preocupações maiores na vida. Mas se você for na livraria da Yuu, ela vai pensar coisas de você.

E a coitada da Nanami passou lá só pra ver a Yuu e comprou, sem saber do que se tratava o conteúdo, um romance lésbico bastante picante 😂

Ler o artigo →

Bom dia!

Olá, tudo bem, como vai? Se já vinha acompanhando YagaKimi aqui no Anime21 deve estar se perguntando: “cadê o Frisk?”.

Indo direto ao ponto, por motivos pessoais que não cabem aqui no blog, eu irei assumir Yagate Kimi ni Naru a partir desse episódio. Em compensação, o Frisk passou a cobrir Release the Spyce, que eu pretendia cobrir, e já publicou seu primeiro artigo nesse domingo, vá lá ler, eu recomendo!

Pelo menos essa mudança de redator aconteceu em um bom momento, já que o anime acaba de dar uma guinada na história.

Começam os trabalhos do Conselho Estudantil. Personagens novos. E pretendem encenar uma peça teatral? Yuri escolar com teatro, será que estou assistindo Aoi Hana?

Ler o artigo →

Descobrimos bastante coisa sobre a Yuu e sobre a Nanami nesse episódio, indo da famosa “infância conturbada”, até a família da Yuu ser proprietária de uma livraria da cidade, que inclusive gera um momento ultra “cute-cute”.

Também não poderia faltar o desenvolvimento do casalzão da porra nosso lindo casal. Consigo prever que a Yuu vai finalmente declarar seu amor pela Nanami lá para o episódio 6, podem anotar o que estou falando!

Chega de enrolação, vamos ao episódio!

Ler o artigo →

Se tem algo que definitavamente não é característica do amor, esse “algo” é a justiça.

Mesmo quando é um amor correspondido, alguns sentimentos de “frio na barriga”, conhecido pelos japoneses como “doki doki” (e acredite, não estou falando de nenhum clube de literatura), vêm sem que a gente queira, em momentos que não dá para saciar esse desejo de abraçar uma pessoa amada.

Nossa eu tô muito meloso… Vamos para o artigo para entender o porque desse sentimentalismo!

Ler o artigo →

Também conhecido como: “Bloom into you”

Existe muita coisa complicada na vida, falar que o amor não é uma delas seria simplesmente uma mentira.

Na verdade, há quem diga que não tem sensação melhor do que amar e ser amado, mas afinal… o que é o amor? Mesmo esse sendo o tema principal de um certo anime sobre escrever cartas, Yagate dá uma definição bem legal sobre o que é o amor.

Fala sobre aquele friozinho na barriga, quando você vai encontrar alguém, sabe? Aquela sensação gostosa…

Em tempos de violência e discursoso odiosos, principalemente contra pessoas que só querem amar, é bem legal ver animes que falam coisas desse tipo. Afinal, a proposta do anime é de que:

A gente não escolhe quem a gente ama.

Ler o artigo →