Bom dia!

O dia da gincana esportiva do colégio chegou e já passou, em um episódio em ritmo tão acelerado quanto se espera desse tema. Até a animação mudou um pouco, foi mais dinâmica, fluída, permitiu aos personagens ficarem mais distorcidos, foi bonita de ver mesmo.

Nas cenas íntimas entre Yuu e Nanami, porém, a mesma animação de sempre, que também é bonita para o que se presta.

Na pista de atletismo, todos queriam atravessar a linha o quanto antes. Entre quatro paredes, a ansiedade se misturou com o medo. Algumas linhas foram atravessadas, outras foram mantidas a duras penas.

Antes da gincana começar, a escola já estava uma correria com os preparativos. O Conselho Estudantil, claro, super atarefado. Como consequência disso, Yuu não teve mais nenhum momento de intimidade com Nanami. E ela sentiu falta disso.

Mas será que Nanami sentia o mesmo, se perguntava Yuu. A dúvida é compreensível. Por um lado, Nanami diz que a ama. Por outro, a relação é às escondidas, estritamente nos termos dela. E ela estava mesmo muito atarefada.

Mas será que Nanami sentia o mesmo? A Yuu nem teve tempo de ficar se perguntando muito: trombou por acaso com a presidente no depósito do ginásio. Ela parecia feliz apenas em revê-la. Nanami queria mais.

E Nanami teve mais, para o desconforto e constrangimento de Yuu.

É certo que em parte a Yuu gostou também – ela estava sentindo falta da Nanami, afinal. Mas a inadequação do momento, o fato de ser inesperado e ter sido consideravelmente mais audacioso do que tudo o que a Nanami já fez deixaram Yuu assustada.

Se seguiu um compreensível pedido de bom senso por parte da Yuu. E a resposta da Nanami foi controversa: ela prometeu se comportar até o final do torneio se a Yuu a desse um prêmio – um beijo, é claro. E um beijo em que a iniciativa partisse da Yuu.

Explico a controvérsia. Antes, esclareço que estou usando esse termo porque os sentimentos da Yuu são confusos, porque se fosse para analisar friamente a atitude da Nanami, não estaria falando em controvérsia mas em abuso mesmo.

Enfim, a controvérsia é: na prática, Nanami exigiu ser premiada por se comportar corretamente. A sugestão que fica no ar é que se a Yuu não concordasse com o prêmio, Nanami iria se comportar mal. Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come. Ou, na versão Nanami, se não beijar depois, ela força um beijo antes.

Se o relacionamento entre elas fosse normal daria para interpretar isso como parte do jogo, mas não é. E creio não precisar explicar porque não é.

Isso tem algo a ver com a personalidade da Nanami, como se pôde ver depois no festival esportivo, em uma manifestação benigna. Em sua ânsia para se tornar como sua irmã, que era a aluna modelo, perfeita, melhor em tudo, ela se tornou extremamente competitiva, e deriva prazer e satisfação de superar os outros.

No caso da Yuu, ela parece ter se atraído pelo desafio de conquistar uma garota que não possui sentimentos e que tem coragem de a rejeitar.

Lembra quando ela disse para a Sayaka, noutro episódio, que sem ela provavelmente não teria chegado tão longe? A Sayaka trabalha duro naturalmente, ao contrário da Nanami. A Nanami então sentiu-se motivada para superar a Sayaka, e ao fazer isso se aproximou do ideal de perfeição que ela persegue.

No festival em si, descobrimos que ela tem uma rivalidade com o Clube de Basquete, não menos! É preciso ter alguns parafusos a menos para achar que o Conselho Estudantil possa vencer o Clube de Basquete em uma competição atlética, mas Nanami em momento algum duvidou de que isso fosse possível.

Seu esforço é inspirador para todos a sua volta, e provavelmente a Yuu ficou feliz – e mais apaixonada – por descobrir um lado da Nanami que ela ainda não conhecia. Quero dizer, ela já sabia o quanto a Nanami se esforça naquilo em que ela é obviamente boa e uma das melhores, mas não havia ainda testemunhado-a se esforçando tanto quanto mesmo em uma disputa que já está perdida antes mesmo de começar, não obstante sem deixar de acreditar que pode vencer.

 

Yuu entra em transe assistindo Nanami correr

 

E assim terminou a gincana. As garotas ainda estavam com a adrenalina correndo pelo corpo quando Nanami veio cobrar seu “prêmio” da Yuu. Mas Yuu recusou.

Não é que ela não queira, não é que ela não deseje a Nanami. Mas é certo que a Yuu não quer tomar a iniciativa, e isso muito provavelmente é reflexo de como ela se sente nesse relacionamento.

Como eu disse acima, como eu disse noutros artigos, a Yuu está sempre à disposição da Nanami, que é quem determina o quê e quando. Isso por si só já seria uma situação conflituosa. Apenas tente se imaginar em situação semelhante. Mas nessa relação há ainda um agravante:

Nanami não quer que a Yuu se apaixone por ela. Então elas ficam assim, a Nanami diz estar apaixonada, e eu até acredito que seja verdade, e pode fazer o que quiser, quando quiser, com a Yuu, mas a Yuu não pode sequer se apaixonar.

Yuu não é apenas passiva, mas praticamente um objeto. Enquanto ela permanecer passiva, pelo menos pode preservar parte de seu amor próprio dizendo para si mesma que é a Nanami quem está fazendo tudo aquilo. A partir do momento em que a Yuu fizer, e se fizer por ordem da Nanami, nem isso mais ela poderá dizer. Amar é bom, sim, mas não se nos esquecemos como amar a nós mesmos antes.

Não que a Yuu racionalize a coisa toda desse jeito, porém. Ela instintivamente sente que não deve ultrapassar essa linha, mas não consegue explicar a si mesma por quê. Na falta de explicação melhor, ela tenta então se convencer que isso decorre do fato de que ela não ama a Nanami, afinal, então não tem porque sentir desejo.

Só é bom porque é a Nanami, e a Nanami é boa, mas não é que ela anseie especialmente pela Nanami. Essa vem sendo a ferramenta de defesa mais importante da Yuu, mas ela é limitada, mormente porque é óbvio que ela ama a Nanami e deseja a Nanami.

Quando Nanami a beijou, e um beijo com língua ainda por cima, ultrapassando mais uma linha no relacionamento, Yuu quase se perdeu no colo da namorada-que-não-deve-amar. Seu coração acelerou, enquanto mentia para si mesma que era só a Nanami. Aproximou a boca, querendo mais.

Mas não beijou.

Foi beijada.

 

Talvez nenhuma delas tenha percebido, mas ultrapassaram uma linha sem volta

 

 

Até semana que vem! Quando será que os recuos da Yuu se tornarão uma barreira que a Nanami será obrigada a superar? Como será que a presidente vai reagir a essas pequenas rejeições?

  1. Avatar

    Então, suas análises são bem interessantes e me mostraram o quão tenso é a relação delas principalmente no que tange a certos atos abusivos e para a o pobre Yuu que fica se reprimindo (e como diz a música dos Menudos reprimir não é nada legal). Mas, tem dois pontos que me chamaram atenção: o primeiro é que de fato a Nanami usa a Yuu para sanar seus estreses, mas a Yuu também não fica muito atrás. Ao meu ver, o fato da Yuu querer aprender a amar com a Nanami se deve justamente por essa falta de cobrança de reciprocidade sentimental da Nanami é como se a Yuu pensasse:” Bom, até o momento, do amor eu só sei da teoria, e provavelmente vou ficar só nisso mesmo, então quem melhor para tentar me ensinar isso na prática, sem me “cobrar” retorno afetivo? A Nanami!” É obvio, que foi um pensamento bem ruim e o tiro saiu pela culatra, como já estamos vendo. O segundo é que realmente a Touko é competitiva e gosta de conquistas, mas não acho que isso envolva a Yuu. Ao meu ver, para Touko a Yuu é o seu refúgio e apoio não um prêmio a ser conquistado. Seria tipo: “Vou te conquistar para te chutar depois!” Se fosse esse o caso diria que a personagem é bem desprezível, mas apesar de seus problemas e pesares ainda tenho muita fé na Touko.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Ana, tá boazinha?

      Sim, a Nanami sem dúvida nenhuma “usa” a Yuu. Para ela a própria noção de amor é essa: o amor é uma corrente que prende. Ela quer prender a Yuu e submetê-la, e só não vai mais longe porque não é uma pessoa maligna (ainda bem!), e porque tem medo de que a Yuu a odeie. Isso ela não quer. Já a Yuu, de que forma ela está usando a Nanami? Ela está só aproveitando o momento. Sim, você pode fazer esse seu argumento todo de que ela está “usando” a Nanami para “aprender o que é amar”, mas eu acho que isso é só uma forma bem indireta de dizer que ela ama a Nanami e quer ficar perto dela, quer conversar e quer trocar carinhos, o que é absolutamente normal em um relacionamento amoroso, não é? De fato, é disso que relacionamentos amorosos são compostos: pessoas que querem ficar juntas, conversar intimamente e compartilhar prazeres físicos.

      Quanto a eu talvez ter exagerado ao dizer que a Nanami enxerga a Yuu como uma conquista, acho que você está certa. Não foi por isso que a Nanami se aproximou da Yuu e ela definitivamente não pensa na Yuu nesses termos. Não obstante, ela é uma pessoa competitiva e isso influi em sua personalidade, inclusive quando ela está apenas com a Yuu. Ela praticamente vira outra pessoa quando está seduzindo a Yuu.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! 😊

Comentários