Bom dia!

Daqui para frente, tudo vai ser diferente. Isso é um verso de música ou de alguma coisa assim que eu sei desde criança e não faço ideia do que seja, mas acho que se aplica bem a esse episódio de Yagate Kimi ni Naru.

Que alguma coisa, em algum momento, iria balançar a convicção da Nanami, a gente já sabia. Sem isso a história ficaria estagnada.

E finalmente aconteceu.

A garotada do Conselho Estudantil foi para seu acampamento de ensaio. Acampamento é um pouco de exagero, pois eles só estão dormindo na escola mesmo no fim das contas. A Koyomi, a escritora, continua dormindo em casa normalmente, inclusive.

Mas isso é coisa adolescente, né? É tudo novo, é tudo grande, é tudo exagerado. Dormir na escola é acampamento, apresentar uma peça de teatro é deveras importante, e os amores são todos avassaladores.

A história geral da peça já havia sido revelada no episódio anterior, mas o final não. Nesse episódio finalmente descobrimos, e a Yuu gostou: a protagonista não recupera suas memórias então decide escolher uma das personas e seguir a vida como se fosse ela. A escolhida é a relatada pela namorada.

Logo se vê porque a Yuu gostou. A Koyomi ainda está insatisfeita, e eu concordo com ela, qualquer pessoa deveria estar insatisfeita com um final desses.

 

Koyomi não está feliz com o final da peça que escreveu

 

A ideia por trás é que a namorada é alguém que a protagonista escolheu especialmente, ao contrário do familiar, que ela nunca escolheu, e do amigo, que não é exatamente uma escolha única e especial. Tem lógica, e por isso é ruim.

Vidas não são lógicas.

Durante a primeira noite, as três garotas (Yuu, Nanami e Sayaka) estão nervosas. Yuu não demonstra porque não pode dar pinta, Nanami não demonstra porque faz parte de sua máscara, e a Sayaka … a Sayaka demonstra. Alguém com o olhar mais astuto, como o Maki, teria percebido a inquietação da garota, mas ele não é uma garota então estava longe delas àquela hora.

Coloque três adolescentes em um triângulo amoroso para tomar banho e dormir juntos e assista os hormônios entrarem em ação.

Desculpe se escrever isso possa fazer perder um pouco o ar romântico da coisa, não é a minha intenção. Eu ficaria louco em uma situação dessas também, e tenho mais que a idade da Yuu e da Nanami somadas. O ponto é destacar o quanto elas são e podem ser tão intensas por causa da idade. Tenho certeza que passar por isso e ter que se controlar na idade delas é muito mais difícil do que depois de adulto.

E elas se controlaram muito bem. A Yuu mais do que todas, talvez para seu próprio desespero em futuro próximo. A garota continua seu teatro de fingir que não gosta, que não se importa, e para isso se esforça para agir com indiferença.

Por dentro é uma pilha de nervos e um caldeirão de desejos tanto quanto as outras. A mais contida é a Sayaka, o que simplesmente combina com sua personalidade.

 

Elas parecem estar calmas, mas essa deve ter sido uma noite difícil de dormir

 

Curiosamente, a mais infantil é a Nanami. Já deitadas, enquanto Sayaka e Yuu lamentavam não poder tocar a presidente, ela só queria olhar para o rosto da Yuu. Ao mesmo tempo, ela reconhece o tamanho do desejo que a habita, e suspira lasciva pela Yuu mais de uma vez no episódio, até mesmo depois que já está deprimida pela grande revelação.

Revelação esta aquela previsível: sua irmã Mio não era quem ela achava que era. No artigo anterior eu escrevi sobre como ninguém tem como saber como realmente outra pessoa é, e como a peça da Koyomi retrata exatamente isso.

A Touko só conhecia a face que Mio queria que ela conhecesse. Não sabia como ela era com outras pessoas, não sabia o que se passava em sua cabeça, em seu íntimo, quais eram seus desejos, suas aspirações. Será que a Mio fazia questão dessa peça que, não obstante, é a culminação da determinação de Touko em viver a vida da irmã? Era uma tradição da escola, e talvez Mio estivesse fazendo isso só por obrigação.

Agora, como a protagonista que irá interpretar, Touko precisa decidir quem ela quer ser. E está devastada. A até então perfeita presidente do Conselho Estudantil mal consegue disfarçar sua melancolia. Ela está frágil, perdida.

 

A conversa que demoliu tudo o que Nanami sempre acreditou que fosse verdade

 

Yuu é a primeira a perceber que Nanami não está bem. Mas que ela pode fazer? Ela tem que manter seu “papel”. Não pode tomar a iniciativa de perguntar, de oferecer-se para escutar o que a Nanami tem a dizer. Isso estragaria seu papel de pessoa indiferente.

E a Nanami em todo caso não quer colocar mais pressão na Yuu. Ela acredita no papel que a Yuu está interpretando, e está a todo custo evitando ter qualquer contato mais íntimo, por medo de que a garota passe a odiá-la.

 

Yuu percebe que Nanami está mal, mas não pode fazer nada

 

Isso cria uma abertura para a Sayaka agir. Não, ela não é maquiavélica assim, tenho certeza que está legitimamente preocupada com a amiga. Mas no grande esquema das coisas, é isso que acontece, não é?

A Yuu não pode fazer nada, a Nanami não pode depender da Yuu, então a Sayaka oferece um ouvido e um ombro amigo. A presidente não deve estar menos deprimida por causa disso, mas é sempre reconfortante saber que alguém se preocupa com você. Ela agradece a Sayaka, diz que não se importa que ela saiba de coisas tão íntimas sobre si, e isso com certeza significou o mundo para a garota que até alguns episódios atrás havia desistido de amar outras garotas de novo.

 

Sayaka fica surpresa quando Nanami se abre com ela

 

É claro que isso é uma aproximação entre as duas, em prejuízo de Yuu. É injusto, mas a vida não é lógica nem justa. A Yuu já tinha tentado se aproximar da Nanami e foi rejeitada. A Sayaka teve mais sorte. Foi apenas circunstancial.

Com isso, um triângulo amoroso está oficialmente definido, com Nanami no centro das atenções românticas de Sayaka e Yuu, que é sua primeira e preferida.

Com a aproximação desse episódio e sem mentiras envolvidas em sua relação, Sayaka está em vantagem, mas ela se apaixonou pela Nanami em primeiro lugar porque ela é uma pessoa esforçada. E sabemos que ela é assim para emular a irmã, mas agora que ela descobriu que a irmã é o exato oposto disso, o que será que irá fazer?

Se Nanami decidir não se esforçar mais tanto assim, será que a Sayaka ainda a amará?

A Yuu, por outro lado, se apaixonou justamente por esse lado fraco porém honesto da Nanami. O relacionamento das duas é baseado em mentiras e por isso elas não conseguem evoluir, mas a Yuu vai continuar imóvel vendo a aproximação da Sayaka?

  1. Avatar

    Bom dia, ótima análise como sempre 🙂
    Primero quero falar de algo um tanto simples mas q me deixou feliz, especificamente na parte do banheiro, as pessoas de modo geral tendem a achar que meninas nunca se incomodam em ver outras nuas. A cena foi perfeita em demonstrar esse sentimento de que “somos garotas então não sinto nada” há vários sentimentos envolvidos, por exemplo a yuu tentando não fixar os olhos, a sayaka nervosa por não saber como reagir, a autora é uma pessoa muito sensível em aspectos como esse.
    Quero destacar também que a correlação entre o roteiro da peça e o próprio roteiro do anime deixa tudo mais fácil de analisar (mais uma vez a autora brinca com a nossa função de espectador, primeiro com o personagem do Maki, agora com essa visão “dupla”). Bom como vc ressaltou, tudo daqui pra frente vai ser diferente, ja que as protagonistas ja perceberam o que se passa com elas pelo roteiro da peça, a Yuu quer ser mais íntima sentimentalmente e a expressão dela no fim demonstra bem isso, ela pode ter ficado desapontada(e por consequência com ciúmes) porque esperava que a touko corresse pra ela e contasse o que estava a deixando triste, é o que se espera de um relacionamento como esse, o pacote de amante+confidente. Yuu não ta satisfeita e com razão, mas isso também é parte do “acordo” de não se apaixonar, esse ja até foi pro ralo kkk

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Hayssa, tá boazinha?

      Certamente há essa visão, bastante fetichizada, de que garotas não se importem de ficar perto de outras garotas nuas. Suponho que em algumas circunstâncias isso possa ser verdade, como em vestiários esportivos, ou em vestiários no geral de gente que por profissão ou coisa parecida está sempre em vestiários com seus pares – e isso vale tanto para homens quanto para mulheres. Mas uma pessoa normal não costuma ver outras pessoas nuas com frequência, sejam elas do mesmo sexo ou não. Vestimos roupas, escondemos nossos corpos o tempo todo, como é que alguém não sentiria nada – nem ao se expor nem ao olhar – ficando nua junto com outras pessoas? Só é verdade no mundo do fetiche mesmo.

      E sim, o grande destaque desse episódio, para além do óbvio (a descoberta da Touko de que sua vida até então havia sido uma mentira), é em como as mentiras na relação entre Yuu e Touko estão cobrando seu preço. Não tenho dúvida que a Sayako ajudou, mas ao mesmo tempo tenho certeza que a Nanami teria preferido confidenciar-se com a Yuu, como ela já fez antes. Mas ela não pode, porque não quer “incomodar” a Yuu. A Yuu, por sua vez, quer muito ser “incomodada” por esse tipo de coisa, e percebeu que a Touko estava perturbada, mas ela não pode tomar a iniciativa de perguntar o que se passa.

      Eu ainda não estou convencido de que o amor é uma corrente, como pensa a Touko, mas acredito que se for, pelo menos é uma corrente bem menos nociva do que a corrente do passado a qual ela se prende de livre e espontânea vontade.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! ☺

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Muito obrigado, Trix! Volte sempre para ler os meus artigos de YagaKimi e outros animes, bem como os artigos dos meus companheiros de blog! 😊

Comentários