Uma confissão rejeitada aqui, outra ali e tudo se resolveu. Foi o episódio final desse arco e não deixou a desejar sendo surpreendente até o fim, afinal, o resultado de tudo o que aconteceu foi inesperado. Serei franco, a Mai é minha personagem favorita mas confesso que parte de mim torcia pela Tomoe que também é bem legal mas que no fim, era um empecilho na relação de Sakuta com Mai. No fim o resultado desse amor acabou sendo óbvio pois em momento algum os sentimentos de Sakuta mudaram e como foi dito pelo próprio, não iriam mudar nem em várias tentativas.

Amém.

O encontro entre os dois parecia um evento simples que terminaria toda aquela mentira que havia sido inventada mas no fim de tudo havia um problema. Sakuta sabia que Tomoe gostava dele mas de certa forma fingia não entender pois o resultados de uma ação de sua parte não eram muito agradáveis, afinal, iria ferir o coração de alguém com quem ele se importa. Era uma situação sem saída que ele acabou percebendo que deveria tomar uma atitude após falar com seu amigo sobre o assunto. O loop infinito precisava acabar e ambos precisavam seguir em frente após o fim do namoro de mentira mas Tomoe não conseguia se libertar, ou melhor, não estava muito disposta a fazê-lo.

Não promete o que você não vai conseguir fazer, mocinha

E um ponto que me chamou a atenção foi que Sakuta não mudava suas ações e atividades no segundo e terceiro encontro. Claro que isso é fácil de entender considerando que ele precisava entender o que motivava o loop, ou melhor, ele precisava ter certeza de que o ponto chave era aquilo que ele suspeitava e caso fosse, usar a melhor estratégia para diminuir os danos. E o quarto encontro, em Enoshima, acabou tendo uma bela execução de seu plano.

Do começo ao fim ele preparou o terreno para então chegar ao ponto que gostaria com Tomoe. Fazer-se de desentendida não era mais a resposta e a primeira anista precisava entender e aceitar seus sentimentos e a realidade que não lhe favorecia. E no fim, mesmo Tomoe estava num dilema onde ela queria se livrar de seus sentimentos mas cada vez mais eles cresciam. O fim de sua tentativa foi duro mas necessário para o seu crescimento pois ela pôde voltar a ser quem era de fato e conseguiu tomar as decisões corretas (como rejeitar o cara do clube de basquete por exemplo) ainda que perdesse “amizades” superficiais ao extremo.

Foi triste ver ela se confessando mesmo sabendo que seria rejeitada e ficaria na eterna friedzone mas isso virou algo positivo pois agora ela está num grupo que de fato combina consigo e como bônus continua sendo próxima de seu amado senpai. E eu confesso que fiquei surpreso ao ver que a aceitação dela simplesmente jogou os dois de volta ao passado. Eu realmente não esperava que fosse acontecer algo desse tipo e sim que a vida de ambos voltaria a andar novamente. A parte disso Sakuta também tinha seus “problemas” para resolver pois sua relação com a Mai e assim voltar a sua vida desejada.

Foi um bom episódio que conseguiu se manter interessante do começo ao fim mesmo após tudo estar resolvido. A aparição da garota que mexeu com seus sentimentos no passado ainda é um mistério e que deve ser o tema do próximo arco. Me pergunto como Mai irá lidar com tal situação, afinal, uma ótima concorrente acaba de surgir e ainda que ela tenha uma larga vantagem inicialmente, não sabemos o que pode acontecer. Ah, gostaria também que a Tomoe continuasse a aparecer assim como fizeram com a Mai pois ela traz uma dinâmica interessante para a obra.

  1. Avatar

    E aí peoples!!!!…Desse temporada que anda meio fraquinha (com exceção desse e de Double Decker – Esse o anime tá explodindo de bom e não tem resenha?) Bunny Girl está saindo melhor que a encomenda…Que fique registrado os dialogos espertissimos dos personagens (logico que é dificil essa sagacidade toda em gente com os seus 15~17 anos, mas é um detalhe de somenos importancia). Para mim o Sakuta é o MELHOR PROTAGONISTA até agora! Dá um Crunchyroll awards para esse cara!! Já!!!

Comentários