Bom dia!

Eu achei o episódio 19 interessante, eu gostei mesmo de ver o Ash resgatado no episódio 20 e tudo o mais que aconteceu nele, e daí ele é capturado de novo no episódio 21.

Vamos contar quantas vezes ele já foi capturado, preso ou se entregou?

  1. Ele é capturado no início pelos homens do Golzine e do Arthur
  2. Graças ao Eiji, sua gangue e à polícia, consegue fugir, mas logo em seguida é preso em uma emboscada em que acabou acusado de homicídio
  3. Sai da prisão pagando fiança e viaja para Los Angeles, onde o Eiji é capturado e ele se entrega
  4. Graças ao Yut-Lung, de dentro, e a sua gangue e a do Sing, que invadem por fora, Ash consegue fugir da Mansão Golzine
  5. Se vinga de Arthur e acaba preso de novo. Do hospital é levado para a instalação onde o banana fish está sendo aprimorado para ser usado como cobaia
  6. Consegue escapar de lá sozinho e ainda volta para resgatar Ibe e Max, que haviam ido lá resgatá-lo. Blanca é contratado para assassinar Eiji e por causa disso ele se entrega para Golzine

Esse foi o ponto em que o anime parou no episódio 18. Capturado 6 vezes em 18 episódios, ou 1 vez a cada 3 episódios. Esse artigo engloba 3 episódios, então adivinha só o que acontece com ele no final do episódio 21?

.eiji ativo

E como Banana Fish terá 24 episódios, aposto que o Ash ainda vai ser capturado mais uma vez – talvez de forma definitiva. Seria um final e tanto, não é?

O destaque desse arco foi o Eiji participando ativamente, como um gângster de rua. Ele tomou a iniciativa, propôs o plano, ajudou no planejamento e esteve na linha de frente em sua execução. Chegou até a ter o Dino em sua mira e disparou contra ele.

Pena que é muito ruim de mira e só acertou em seu ombro. Curiosamente, o ombro oposto ao que o Ash havia acertado antes, mas como o Dino nem foi hospitalizado dessa vez creio que tenha sido só um tiro de raspão.

Essa é uma mudança positiva. Demorou, mas é positiva. O Eiji certamente não é o único culpado por isso. Ele foi ativo desde o começo, afinal, quando saltou um muro com um pedaço de cano podre sem nem saber o que teria do outro lado.

De lá para cá, o Ash superprotegeu ele. Considerando que o Ash viu, em curto período de tempo, três pessoas morrerem por sua causa (Skip, criança associada a sua gangue, Griffin, seu irmão, e Jennifer, sua madrasta), é justificável que ele tenha se tornado superprotetor.

Mas isso levou a problemas de confiança entre ele e Eiji, que já mencionei em artigos anteriores, e que no final das contas contribuíram para que ele fosse capturado mais uma vez.

Com o Ash capturado e o Eiji livre, dessa vez o japonês decidiu que não iria ficar parado esperando. E mesmo depois do resgate ele continuou assertivo, não permitindo que o Ash apenas retomasse o controle de tudo, como ele tentou fazer logo que teve a oportunidade.

 

Ash agora conversa com Eiji como se fossem iguais

 

Esse novo Eiji, reconhecido pelo Ash, o ajudou a pensar melhor e quase permitiu que escapassem no episódio 21. Duas cabeças pensam melhor do que uma, mas ainda não foi o suficiente.

Outro personagem que se destacou nesse arco, mas não de forma positiva, foi o Yut-Lung. Quero dizer, não sei se dá para afirmar com certeza que seja positivo ou negativo.

Ele é impulsivo, muito mais do que sua personalidade fez parecer quando o conhecemos pela primeira vez. Tem uma necessidade maníaca de ser reconhecido e respeitado, e uma tendência a perder a calma quando não pode obrigar alguém a obedecê-lo ou reconhecê-lo ou mesmo concordar com ele.

Tudo isso poderia ser muito interessante se o enredo fosse orientado ao desenvolvimento de personagem, mas como não é, ele acaba só passando por alguém irritante.

O que esperar do Yut-Lung? Sei lá. Quando for interessante para a história, ele vai encurralar os heróis. Ele capturou o Ash assim. Quando não for, eles vão sair de dentro de seu palácio dizendo desaforos para ele e ele não fará nada. Ele levou Eiji à sua presença e tentou fazê-lo se sentir culpado pelo Ash ter sido capturado, mas fracassou. Até o Sing zombou dele e disse que pretendia se aliar ao Ash.

Mas o Yut-Lung não foi o ponto baixo do arco. Não poderia ser, ele é só um coadjuvante afinal. Eu diria que o ponto baixo foi o Ash ter sido capturado de novo, mas isso é muito fácil, então vou com outra.

O momento nesses três episódios em que eu me senti mais ofendido pelo anime foi quando o Ash narrou para os militares o mesmo plano que ele próprio havia descoberto há vários episódios atrás, sem tirar nem por. Os militares pareceram estar surpresos, afetaram até mesmo indignação pelo Ash estar propondo algo tão ultrajante.

 

Ash irrita os militares ao descrever um plano que totalmente parece algo que um militar que conspira com a máfia pensaria por conta própria

 

E o golpe de misericórdia foi o Dino ter dito que o Ash impressionou muito por ter dito aquilo. Afinal, ele teria adicionado ao plano, que já existia, como o Ash bem lembrou, seu próprio toque de gênio.

Ele não disse nada diferente! E diferente ou não, quer dizer que os militares ainda não sabiam daquele plano? Difícil de engolir. Mais difícil ainda é engolir que eles tenham, àquela altura, na mansão de um mafioso, pruridos morais o suficiente para se mostrarem indignados.

Aquela cena foi horrível. O Ash entrou em depressão depois por convencer o governo a fazer algo tão horrível, mas eu quase entrei em depressão porque a cena foi muito horrível mesmo.

Em depressão e com anorexia nervosa provocada por ela, sem conseguir comer nada sólido há semanas, praticamente preso a uma cadeira de rodas e ainda por cima cego porque o Dino aplicou uma droga nele especificamente com esse propósito.

Nada disso fez adormecer o Rambo com 200 de QI que habita o corpo de Ash. Mal havia se levantado da cadeira de rodas, ainda não enxergava nada, mas sacou rapidamente uma arma e matou um capanga que ameaçava a fuga deles.

Mais algumas horas e uma sopa de lata depois, Ash estava plenamente curado. Não faz sentido nenhum, mas admito que ver o Ash chutando bundas é sempre divertido, por mais que esteja se tornando cada vez mais over the top. Inverossímil, inacreditável.

 

Tá bom assim ou quer mais?

 

Quem é que vai conseguir parar o Ash assim? Quem pode parar uma pessoa dessas? Bom, muita gente. Como vimos, ele é recapturado a cada três episódios.

No meio disso tudo, uma nova ameaça. Ou melhor, duas novas ameaças. Vou começar pela que continua sendo só “ameaça”.

O braço direito do Sing é Lao, que já foi braço direito do Shorter. Como o Sing, seguindo ordens do Ash, não contou a verdade sobre a morte do Shorter para ninguém, Lao e os chineses não estão exatamente confortáveis em ajudar o protagonista e arriscar suas vidas por ele.

Aproveitando isso, Yut-Lung sugeriu a Lao que fizesse algo misterioso que o anime não revelou ainda. Mas quando ele fizer, totalmente vai poupar a vida do Sing e de todos eles, e será algo ruinzão para o Ash e o Eiji.

O que será? Sei lá. Será que é relevante ainda? Quero dizer, o Ash já foi capturado. Bom, não vou nem dizer que espero que seja porque já tem tanta coisa acontecendo e são poucos os episódios até o fim, vai ser melhor se essa linha de enredo terminar em um beco sem saída.

E a ameaça de verdade? Dino Golzine contratou um exército mercenário para capturar o Ash. O moleque é brabo, precisa de um exército pra capturar ele. E mesmo assim, ele que se entregou, não foi capturado. Outros foram feitos de reféns, e ele, como sempre, se entregou.

Isso que dá você ter um Rambo: precisa de ameaças cada vez maiores e mais inverossímeis. Quero dizer, uma unidade militar de elite agindo em plena Nova Iorque e nenhuma autoridade se mexe? E nenhum transeunte nota nada, e nada vai parar em tempo real na internet, em uma era de hiper-conectividade e redes sociais?

O Ash ser o Rambo é legal. Precisar de um inimigo novo, ou um exército deles, a cada par de episódios, nem tanto.

E não é como se já não houvesse inimigos o suficiente, não é? Tinha o Yut-Lung e a Máfia Chinesa, por exemplo. Pena que o chinesinho é um idiota completo, não escutou nem mesmo os conselhos do Blanca, que vem a ser ninguém mais ninguém menos do que o mestre do Ash, o cara que eles estão tentando capturar.

 

Infelizmente, Yut-Lung continua vivo

 

Resultado? Yut-Lung é feito refém. Pelo Ash. Ele estava agindo por conta própria, queria capturar o Ash antes do Dino para ganhar moral, mas tudo o que conseguiu foi se desmoralizar completamente.

Em outro anime, esse personagem poderia ser muito interessante. Em Banana Fish ele passa por apenas um idiota.

Alguns personagens retornaram ao palco nesses episódios. O mais notório deles foi o Max, que foi demitido pelo seu jornal mas foi de mentirinha, na verdade ele continua investigando … coisas. E pede ajuda do Ash para isso, porque o moleque claramente está à toa, sem muito com o que se preocupar.

Enfim, eles vão para um bar gay e a coisa mais interessante que aconteceu lá foi o Max sentir na pele o que é sofrer assédio, como mulheres sentem todos os dias, em todos os ambientes. E como o Ash deve ter sofrido mil vezes pior também. Ele foi um escravo sexual, afinal de contas.

No mais, o Max reapareceu para ser capturado. E para que a sua ex-esposa reapareça também. Por que ela viajou até Nova Iorque? Eles não estavam se separando? Por que ela se importa? E ainda por cima deixou o filho para trás. A Jessica é louca, sinceramente.

Outro que deu as caras é o irrelevante vendedor de armas de chapéu branco, que eu nem lembro nem quero lembrar o nome (ele tem nome?). Eis que ele é um informante também, e descola umas informações pro Ash.

Enfim, estou puto. Mas não achei esses três episódios tão ruins quanto a nota que estou dando (2 de 5) sugere. Na verdade o episódio 20 foi muito bom. Mas o conjunto é tão corrido, a adição de mais personagens tão sem graça (uma hora cansa), que ficou escancarado o quanto o enredo é repetitivo.

O Ash foi capturado de novo! Será que no mangá a sensação de frustração a essa altura da história é a mesma?

Não me espantaria se a culpa for do estúdio. O Mappa é um ótimo estúdio, gosto muito da maioria de seus animes, mas eles têm um problema sério com o ritmo narrativo. Acontece a mesma coisa em Re:Creators, em Inuyashiki, em Garo: Vanishing Line, nas duas temporadas de Rage of Bahamut.

Pelo menos estão acertando e fazendo um trabalho muito bom em Zombieland Saga. Fico na torcida por Dororo, na próxima temporada. Mas antes disso fico na torcida pelo próximo episódio de Banana Fish mesmo. Até lá!

  1. Banana Fish tá sendo aqueles animes de “se você não se questionar muito, fica foda pra caralho de assistir”. Só gosto do Yue Lung por causa do estilo, e por ele ser muito gostoso (sei que eu não devia estar falando isso de um cara de 16 anos, mas eu também tenho 16 anos, será que é errado mesmo assim?), aquela cena dele matando o irmão e o close na cara dele piscando por causa do tiro aa. Eu amo os Dracos Malfoys dos animes! Estou assistindo com fogo no rabo e emoção, meio que só pelo fanservice mesmo. No mangá tudo é melhor e tudo faz mais sentido, só que o estilo antigo do mangá dá um pouco de agonia e a tradução pra português ainda não saiu completa, mesmo sabendo inglês, gostei muito da versão traduzida também. Ler apenas o mangá com o anime existindo pra mim é como uma criança lendo um livro sem imagens pela primeira vez. Não sei se é porque eu comecei a assistir animes a muito pouco tempo ou se é porque eu tenho um gosto horrível e me impressiono fácil demais, mas toda quinta feira é meu coração pegando fogo por ep novo de Banana Fish. Anime do ano!!!!!! (único anime que lançado esse ano que eu assisti, a não ser que a terceira temporada de Boku No Hero conte também)

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá, Carlo! Tudo bonzinho?

      Banana Fish com certeza é um anime divertido, e não tenho motivos para não achar que seu mangá deva ser também. Mas a essa altura, se aproximando do final, está soando repetitivo demais. Mais novo personagem acrescentado, mais problemas novos sem que os antigos tenham sido resolvidos ainda. Assistindo a cada episódio isoladamente não há muito do que se queixar: alguns são melhores, outros piores. Há episódios mais intimistas, com mais diálogos e que oferecem um insight à personalidade, mentalidade e conflitos dos personagens, e há episódios com mais ação, que é sempre divertida de se assistir, ainda que todo o suspense seja, na maioria das vezes, imaginar como o Ash vai se safar mais uma vez. Ou como vão pegar ele dessa vez – e nesse caso, quase sempre, ou talvez sempre mesmo, fazem isso usando reféns, porque o Ash em si é imbatível.

      Mas quando a gente olha para trás e percebe que já estamos no sexto mês do anime no ar e que basicamente sempre foi isso desde o começo é difícil evitar um pouco de frustração. Aliás, estou sendo injusto, nem sempre foi exatamente assim não (embora não fosse muito diferente). Na primeira metade o anime foi bem mais interessante. A história foi contada com mais vagar, o próprio Ash ainda era um mistério para nós, bem como a droga titular banana fish, conhecemos pessoas e ambientes diferentes. Foi na segunda metade que o anime ficou muito mais corrido e seu caráter repetitivo ficou escancarado.

      Como eu comentei brevemente no final, isso é um problema comum a muitos animes do estúdio Mappa, sejam originais (Garo: Vanishing Line, os dois Rage of Bahamut, Re:Creators), sejam adaptações (Inuyashiki e, agora, Banana Fish). Alguém ensina os roteiristas por lá como escrever histórias com ritmo mais agradável, por favor!

      Obrigado pela visita e pelo comentário! 😃

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Não é inesperado que esteja apressado, mas mesmo com tempo curto é possível fazer um trabalho melhor.

      Quero dizer, embora 19 volumes em 24 episódios seja um pouco apertado (~1,3 episódios por volume), principalmente quando comparamos com outras boas adaptações de mangá como Parasyte (10 volumes em 24 episódios, 2,4 episódios por volume), Shigatsu wa Kimi no Uso (11 volumes em 22 episódios, 2 ep/vol) ou Bem-vindo à NHK (8 volumes para 24 episódios, impressionantes 3 episódios por volume), também há exemplos de animes bem adaptados em ainda menos episódios por volume, como Ushio to Tora, que adaptou seus 33 volumes em 39 episódios (~1,2 episódios por volume, quase igual a Banana Fish).

      Os problemas de ritmo são, antes de tudo, culpa da produção do anime – mesmo se forem originários do mangá, porque tiveram a oportunidade de corrigir isso na adaptação, se tiver sido o caso.

      Obrigado pela visita e pelo comentário!

  2. Sim, sim. Acho que essa repetição só começou a me incomodar agora que já está na reta final, e sinceramente não quero nem mais olhar pra cara do velho seboso burro e desinteressante do Golzine, ele é muito chato, podiam ter melhorado o Yue Lung (meu amor) junto com o Blanca porque eles têm muito mais potencial pra serem fodões mas eles só ficam fazendo pose demais (poses bonitas que estão fazendo eu deixar meu cabelo crescer pra conseguir fazer um penteado bonito que nem o do chinês, porém as motivações de quase todos os vilões são ???). Me sinto meio desnorteado às vezes com alguns exemplos porque eu sou 100% leigo quando se trata de qualquer audiovisual, então qualquer anime vai ser algo completamente novo e revolucionário pra mim. Gosto muito de ler reviews pra criar um senso, tipo quando o Ash mostra o plano pros caras ricos lá, como eu não sei quase nada sobre Afeganistão ou como funciona planos de ricos poderosos eu só fiquei olhando pra tela com cara de “Oooh caralhoooo Ash sabe de tudooo que cara fodaaa ai mds lindoooo” mas na real, me senti meio idiota por me impressionar com tão pouco por causa de crushzinhos fortes demais em personagens 2d (também acontece demais com o Yue Lung e com o Eiji, até faria comparação com os personagens de Boku no Hero mas pelo menos quando eles falam eu entendo tudo normal). Depois dessas fugas malucas todas eu só queria um encerramento impactante + final extremamente feliz e tranquilo, mas provavelmente acabará como N0.6 que inclusive é inspirado em Banana Fish. O caos eterno, eu sou muito mole pra essas coisas.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      E o Dino a autora (ou a equipe do anime, não sei se ele já é assim no original) teve a história inteira pra melhorar, né. Eu até entendo, ele é um vilão raso, do tipo comum nos anos 1980, mas eles funcionam porque a gente só vê eles na hora dos confrontos, e nem são tantos assim. Em Banana Fish, acompanhamos o Dino quase tanto acompanhamos o Ash. E simplesmente não há nada sobre ele para acompanhar. Ele não é nada. É só “O Vilão”.

      O Yut-Lung e o Blanca tinham mais potencial, mas acabaram ficando rasos também.

      E que bom que gosta de ler resenhas, espero que as minhas de Banana Fish e de outros animes que você talvez esteja acompanhando, bem como a dos meus companheiros de blog, estejam sendo úteis e interessantes para você!

Comentários