Bom dia!

Aslan Callenreese não é o nome de uma banana ou algo relacionado à bananas, mas sim o nome do protagonista de Banana Fish, que apesar do nome nada tem a ver com bananas. Decidi quebrar a longa tradição dos dois artigos anteriores e nada de bananas no título dessa vez – exceto o nome do anime, claro.

Esse foi o episódio final do longo anime, que adaptou inteiro um mangá originalmente publicado na década de 1980, tendo feito alterações necessárias como a mudança da guerra, a introdução de celulares, entre outras coisas menores.

Destaque-se que foi um episódio dividido em dois momentos: o ataque e a fuga no hospital, e a partida de Eiji, depois de tudo já resolvido. Mas o episódio inteiro, bem como o anime inteiro, foi sobre o Ash.

Se o Coronel Foxx não fosse tão orgulhoso, talvez tivesse estudado melhor seu adversário e aprendido que o Ash é que nem um gato: se você deixar sozinho, ele vai fazer a bagunça que quiser e vai sumir. Ele provavelmente até acha que o Ash é fofo como um gato, então deveria entendido melhor a dica.

E me desculpe pela piada, mas não me arrependo. Se até Banana Fish achou que era uma boa ideia inserir piadas bobas em seu pesado episódio final, por que eu não posso fazer piadas no artigo sobre ele?

O fato é que o Coronel Foxx deixou Ash sozinho. Ash estava ferido, sedado, e, como sempre, perigoso.

Outra coisa que os mercenários não souberam lidar foi com os invasores. São só gangues de rua, por favor! Ok, tinha o Blanca, e ele é, somos levados a intuir, por lógica, ainda mais mortífero que o Ash. Mas isso não ajuda muito quando ele está entalado em um cano de ventilação. Embora pareça que mesmo um Blanca entalado em um cano de ventilação é suficiente para matar alguns dos super-mercenários do Foxx.

 

Blanca entalado é o tipo de piada fora de hora que nunca faltou em Banana Fish

 

Quem roubou a cena, contudo, foi Sing. Seu sentimento de responsabilidade para com o Ash, além de seu desejo de que o protagonista não se torne inimigo dos chineses em hipótese alguma, o fez seguir o Blanca no que o anime quer que acreditemos que tenha sido a mais perigosa missão: resgatar o Ash.

Dessa vez como na maioria das outras, o Ash não precisava de muito resgate. Um pouco de ajuda foi muito bem-vinda, mas tudo leva a crer que mesmo sozinho ele teria obtido sucesso, e que se note que se não tivesse que segurar o Sing, não teria sido encurralado pelo Foxx no final.

Enquanto isso, os demais partem para resgatar os reféns. Foi uma missão particularmente fácil, principalmente depois que a Jessica apareceu vinda de não faço ideia onde e começou a atirar e a arremessar granadas. Provavelmente ela deveria ter ido para o Afeganistão, não o Max.

 

Jessica salva o dia

 

Mas apesar de estranha, a presença da Jessica ali foi plenamente justificada pela necessidade narrativa de ter uma cena de pedido de casamento no meio de um dramático resgate com tiroteios e um prédio explodindo.

Ok, isso foi outra piada. Do anime, eu digo. Desnecessário como o Blanca entalado. E foi uma piada minha também, totalmente necessária.

O combate final entre Ash e Foxx é razoavelmente bom, com tiroteios, barras e furadeiras. Foxx, como todo bom vilão, teve a oportunidade de ameaçar estuprar o mocinho, fazer manobras exageradas com uma barra só para impressionar, fazer uma cara bem feia porque o que é feio é mau, e sobreviver a uma perfuração por furadeira no abdômen.

 

Dá para saber que o Foxx é mau porque ele tem essa cara feia

 

No final, Ash foi salvo por seu pai. Dino. Que estava vivo e andando por aí depois de levar um tiro em cada peito e seu terno estava limpo como se nunca tivesse estado deitado em uma poça de seu próprio sangue.

Por que Dino salvou Ash? Eu realmente penso que Banana Fish quer que acreditemos que havia um sentimento paterno ali, ainda que um bastante distorcido. No fundo, ele não queria que seu filho, seu orgulho, seu maior projeto de vida, morresse. Ele sempre dizia para ninguém matar o Ash. Ele sempre dizia que “depois” ele ia matar o Ash. Tinha orgulho dos feitos do Ash, mesmo quando eram contra ele.

Desde que não entendamos isso como uma forma de redenção do Dino, e acho que o anime não tentou retratar dessa forma, não vejo problema nenhum nisso. É melodramático. É trágico. Como a vida do protagonista.

 

Dino salva Ash e se despede do "filho"

 

Depois de tudo dito e feito, todos fugiram, a Máfia Corsa e o governo estão em apuros, ninguém descobriu sobre o banana fish mas pelo menos supostamente os dados do projeto foram perdidos, é hora de cada um cuidar da sua vida.

Sing cobra de Yut-Lung que, usando seu poder e influência, traga a ordem de volta à Chinatown. Apesar de tudo, Sing não o odeia. Talvez seja ele a tal pessoa que o Blanca disse que um dia apareceria na vida do Yut-Lung para ele aprender algo diferente do ódio.

O Blanca, por sua vez, conversa uma última vez com Ash. Tendo já passado por tudo que essa vida de criminoso e assassino tem a oferecer, Blanca está em posição de tentar salvar Ash uma última vez.

Ocorre que Blanca só chegou a isso depois de perder o único amor de sua vida. Ele pagou caro para sair desse mundo. Ash tem uma dívida de sangue que ele não é capaz de ignorar.

Não é que Ash seja um assassino frio, uma pessoa capaz de matar outras sem remorso, mas sim que, por sua história, ele teve que aprender na carne a agir assim, ou teria sido ele a morrer, inúmeras vezes. Tudo começou quando ele tinha apenas sete anos.

Hoje, seu corpo reage instintivamente, e ele tem medo disso. No começo do anime ele já acordou uma vez apontando uma arma para o Eiji, não foi? Ao longo dos episódios ele aprendeu a se controlar. Quando está perto do Eiji, e em paz, consegue fazer adormecer a fera que habita dentro de si.

Foi por isso que quem reagiu durante a traição dos chineses foi o Eiji, não o Ash. Em situações normais, ninguém chegaria perto do Ash, e o Yut-Lung sabe disso e orientou seus assassinos a esperarem que ele estivesse sozinho com o Eiji. Funcionou. Quase funcionou.

Blanca é bem mais velho que Ash e perdeu o amor de sua vida. Não dá para saber o que ele fez para adquirir a habilidade de controlar seu instinto assassino, mas do ponto de vista narrativo, comparando-o ao Ash, é razoável supor que tenha a ver com isso. Uma grande tragédia em sua vida o despertou para uma forma de consciência mais elevada que o salvou do inferno.

Isso explicaria porque Ash sequer cogitou aceitar a oferta de Blanca e porque Blanca sequer cogitou insistir. Mas Ash receberia uma segunda oportunidade de salvação: uma carta de Eiji.

 

Ash lê a carta de Eiji

 

O japonês colocou em palavras todos os seus sentimentos, e isso, naquele momento, conseguiu alcançar Ash dentro de sua barreira. Ele aceitou a oferta.

Ao aceitar, finalmente saiu de seu estado mental normal – é como se ele já estivesse com o Eiji, ainda que o Eiji estivesse longe. Por isso ele saiu correndo. Ele só podia se sentir assim se estivesse com o Eiji.

Infelizmente, Ash não pagou por todos os seus crimes e pecados. Desprovido de seu instinto natural, foi presa fácil do rancor que semeou. Foi o Lao que o matou, o chinês que era o mais próximo de Shorter e não sabia a verdade sobre a morte dele, que não aceitou o apoio incondicional do Sing ao Ash, mas poderia ter sido qualquer um.

Poderia ter sido um personagem completamente anônimo. Talvez tivesse entregado melhor a mensagem do anime. Ash não tinha, naquele momento, direito de ir embora. Aquilo não fazia parte de sua salvação.

 

Lao mata Ash. Aqui se vive, aqui se paga, a salvação é em outro mundo

 

Não fazia, porque ele já havia sido salvo. Eiji não conseguiu tirar Ash do submundo do crime, mas conseguiu dar a ele a paz de espírito com a qual tanto sonhava desde os sete anos de idade. Ash se foi, mas foi em paz. Ash, que nunca temeu a morte, morreu feliz.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Guilherme, tá bonzinho?

      Bom, Banana Fish tinha uma vibe de que o Ash não sairia vivo desde o começo, né? Eu também estava tenso aquele tempo todo que o Ash estava separado do Eiji e sozinho. Depois ainda pensei “ok, foi só uma facada, ele já sobreviveu coisa pior”, mas o ponto é que ele nunca teve medo da morte, não é? Ele não queria mais “sobreviver”. Eiji quis protegê-lo, e de uma forma inesperada e trágica conseguiu. Ele salvou Ash das trevas em que ele vivia.

      Infelizmente, a salvação chegou tarde demais. Felizmente, conseguiram desbaratar o restaurante que servia de fachada para prostituição infantil e todos os envolvidos, na máfia e na política. Uma fábrica de produção de Ashes foi fechada.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! Semana que vem devo publicar uma resenha do anime completo, volte para lê-la, e volte para ler nossos outros artigos também! 😃

  1. E não é que o Ash morreu mesmo, estou passada. Isso quebra a bendita regra do protagonista se safar de consequências, ao menos, encontrou paz de espírito em seus últimos momentos e ter um pouco da juventude quando esteve ao lado do Eiji.

    Gostei dos alívios cômicos, sou de rir fácil quando vejo graça e a carta do Eiji colocou em panos limpos que sua estadia nos Estados Unidos, apesar dos apesares, foi importante pra ele mesmo. No fim, “Banana Fish” não é apenas uma história de gangues, criminalidade e lado podre do ser humano, é a história de um jovem rapaz que buscava um pouco de paz e ao menos, conseguiu. Gostei do anime, tem seus altos e baixos, que funcionam pela sua proposta e remeter aos filmes e seriados dos anos 80; bom que estão trazendo obras antigas em animes, só assim pra conhecer animes como este.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Escritora, tá boazinha?

      Pois é, quem é que esperaria um final trágico a essa altura? Ok, na verdade eu esperava, e até que Banana Fish fez um bom trabalho em disfarçar isso até bem perto do final. A hora que ele saiu correndo eu entendi que coisa boa não ia dar. Não é comum em filmes de ação ocidentais, mas talvez do outro lado do mundo prefiram assim?

      Quanto aos alívios cômicos, não são todos ruins, e não ruins em si, mas alguns vieram em momentos bastante inapropriados. Sim, eu ri deles, e foi esse o problema: ao me fazer rir, quebrou o clima tenso que se havia construído antes e que certamente era melhor para o que estava acontecendo em tela. Mas isso é uma característica trash de seu gênero, só podemos aceitar.

      O importante é que no final nos divertimos e nos emocionamos, não é?

      Obrigado pela visita e pelo comentário, e até o próximo anime!

Comentários