Ueno-san wa Bukiyou é o típico anime de comédia dividido em esquetes e lançado com uma duração menor que o comum para não se tornar enjoativo. Se ele vai proporcionar risos ou não acho que isso depende demais do senso de humor do telespectador – e pode ser divertido mesmo sem isso. Ueno é apaixonada por seu companheiro de clube, Tanaka, mas ele é bem denso e é isso que será o anime.

A verdadeira piada dessa obra é que a Ueno é muito esquisita e desajeitada, tomando “atalhos” que, na verdade, são caminhos mais longos, para chegar ao seu objetivo: declarar seu amor por Tanaka.

E ele não fica atrás, pois pode parecer normal e sem graça, mas sua inabilidade para “ler o clima” a sua volta casa perfeitamente com a falta de jeito da presidente do clube de ciências que ele frequenta.

É daí que a obra retira suas piadas, aquilo que a dá base. A Ueno sempre ficará se declarando para ele e ele nunca perceberá nada daquilo que não seria difícil sacar após tanto tempo e muitas tentativas.

Eu confesso que praticamente não ri nesse primeiro episódio, mas o achei bem divertido, por causa das reações da Ueno e das formas cada vez mais absurdas que o Tanaka rejeitava seus avanços sem noção.

Esse tipo de obra costuma ter os dois pés no exagero, e isso é bom, pois o absurdo combina com o slice of life e o romance – ou uma tentativa disso – não convencionais.

Os experimentos que a presidente inventa e usa descaradamente a fim de se declarar para seu crush são um exemplo disso, pois filtrar urina é até possível – só não sei se nesse nível de pureza –, agora invocar a matéria negra do espaço sideral usando um urso de pelúcia modificado é totalmente sem noção – nessa hora eu ri.

Em uma obra normal a Yamashita ficaria de vela para um casal de pombinhos apaixonados, mas essa é tudo menos isso, então ela mesma acaba vítima dos experimentos e oferece um apoio emocional a amiga.

O problema é que ela cai naquele estereótipozinho de integrante de clube mais caladona, que fica lendo um livro no canto o tempo todo, só que isso em um anime exagerado desses quer dizer só uma coisa: ela também é meio maluquinha e não deve conseguir enfiar sensatez na caixola da Ueno.

Aliás, não é disso que o anime precisa, né. Talvez fosse bacana ver lá no finalzinho qualquer evolução no romance, mas acredito que mesmo sem isso pode ser uma forma prazerosa de gastar 12 minutos da sua vida.

Até eu fiquei assim ao ver esse tapado do Tanaka em ação.

As caras e boas da Ueno, principalmente as de vergonha, são bem fofinhas e o conteúdo das esquetes deve dar muita razão para ela ficar envergonhada. Não considero isso um problema, ou ao menos não tanto, mas ficou na cara que ela querer que o garoto bebesse sua urina e que ele visse sua calcinha remete a um fetiche enraizado na cultura japonesa: a erotização de garotas colegiais.

Eu não acho que o anime será ruim por isso, pelo menos se não exagerarem, e o fato da Ueno ter vários parafusos a menos ajuda a tornar as situações sem noção mais aceitáveis, mas se toda esquete tiver uma conotação sexual, nem que a maioria fique implícita, o anime pode ficar bem chato e repetitivo. Felizmente não parece que haverá ecchi no anime, mas mesmo sem isso ainda pode ser chato de ver.

Espero que não seja o caso já que, por mais que eles sejam colegiais com os hormônios à flor da pele, situações mais inocentes, mais bobas – Karakai Jouzu no Takagi-san era basicamente só isso e rendeu um excelente anime –, realçadas pela inabilidade de comunicação, em diferentes aspectos, de ambos podem acrescentar bastante ao anime e até mesmo a um “possível” desenvolvimento amoroso entre os dois.

É, eu sei que é improvável, mas vai que é feito com sutileza e sem pressa, né? Não é o que eu espero, mas não vou achar ruim se ocorrer. Enfim, eu indico Ueno-san wa Bukiyou se você curte esse tipo de comédia de esquetes com uma piadinha que norteará todo o anime. Até meu próximo artigo!

  1. Avatar

    Nem sabia que esta nova temporada teria este anime, vi o episódio depois de ver este artigo sair.
    Os primeiros minutos do episódio não achei engraçado, a palavra urina (que um certo fansub porco traduz como mijo) já me estava a incomodar, isto até a Yamashita (que nome inglório para dar a uma personagem feminina, faz lembrar do Yamashita O Tigre da Malásia) bebeu a urina destilada, aqui eu percebi que a Ueno tem uma grande amiga ao seu lado.
    A Ueno me fez lembrar de uma personagem mítica chamada Anna ( de Shimoneta), só que em vez da Ueno entregar o seu “néctar do amor” ela apenas queria forçar o seu amor a beber a sua urina destilada (o que eu ri quando o Tanaka parecia que estava no mundo da lua, ele é mesmo tapado). Também tenho que frisar que a Ueno fica muito fofa quando passa vergonha (ela e a sua amiga).
    A esquete da saia levantada foi muito bom, eu quero um urso que oculte o que não pode ser mostrado, quando o Tanaka pedia para a Ueno levantar a saia e aparecia a galáxia não consegui conter o riso (mesmo sabendo que era errado). Chega a dar dó da Ueno, ela já passou por tanta vergonha, mais valia ela se declarar logo para o Tanaka (e mesmo assim ele não perceberia).
    Excelente artigo de primeiras impressões de Ueno-san Kakeru17.

  2. Kakeru17

    Que bom que você curtiu Kondou-san, eu gostei até pelo fato de que já senti na pele como é um dilema uma declaração direta que pode abalar uma relação ou estremecer um circulo de amigos, apesar de que o anime leva tudo para o lado da comédia e o Tanaka é tão tapado que não duvido que na pior das hipóteses tudo continuaria igual mesmo se ela dissesse.
    Se o autor tiver criatividade para trabalhar as declarações indiretas, a vergonha e engenhosidade da Ueno também deram um brilho especial para o anime, e aproveitar bem os coadjuvantes para evitar se repetir demais, acho que os 12 minutos gastos com esse anime serão recompensados. Vamos torcer por isso!.

Comentários