O tempo voou enquanto eu estava assistindo a essa estreia (não estou fazendo piada ou sendo irônico), me deixando com vontade de ver mais episódios desse anime. Portanto, baseando-se na ideia de que o tempo passa depressa quando estamos vendo (ou fazendo) algo muito divertido é verdadeira, posso afirmar que a estreia de Girly Air Force foi boa, ao menos para mim.

Esse anime apresenta um cenário caótico, onde temos um inimigo misterioso, que por enquanto só sabemos sua nomenclatura (Zai), que, aparentemente ameaça a paz no mundo onde a história do anime se passa. Apesar de ainda termos poucas informações sobre os personagens principais e sobre o grupo que exerce a função de antagonista, o episódio faz uma boa introdução de personagens e nos informa o necessário sobre o que está acontecendo de uma forma que não fique expositivo.

Ao vermos um navio com refugiados e uma batalha frenética acontecendo temos a completa noção do perigo que está acontecendo. O heroísmo do protagonista veio rapidamente à tona, afinal ele precisava de algum modo conhecer a heroína principal.

A batalha aérea no começo empolga e consegue manter o espectador atento aos movimentos dos caças, que são bem estilizados para passar a imagem que são tecnologicamente muito avançados, além de dar características próprias que facilitam muito na hora de identificarmos quem são os inimigos e quem são os mocinhos (nesse caso, são as mocinhas). A boa animação na parte de ação é o fator decisivo que deixou a batalha legal. O movimento dos caças e da câmera davam o dinamismo necessário do embate aéreo.

A cena do beijo empolga a quem gosta de romances, ao mesmo tempo que marca a posição da heroína principal, fazendo que ela já largue com vantagem em relação às outras, caso o anime vá pela “rota” harém. Mesmo que nem todas as personagens femininas tenham interesse romântico pelo Kei (protagonista masculino), o simples fato de ter um garoto interagindo com várias garotas bonitas dá margem para quem assiste torcer para que uma delas fique com ele no final (caso a história tenha um final conclusivo).

Pobre amiga de infância que dificilmente conquistará o seu amado

Na parte calma do episódio deu para entender os sentimentos da amiga de infância do protagonista. Ela só tem a ele a quem recorrer em um país desconhecido para a mesma. O lado cuidadoso dela, que muitas vezes beira ao amor maternal, é a forma que ela escolheu de demonstrar seus sentimentos por ele, embora ele não perceba que todo esse cuidado possa significar algum interesse romântico.

O lado do Kei também é mostrado mesmo que sem muito detalhes. A informação que foi apresentada é de que ele deseja ser piloto da força aérea para combater os “Zai” como de forma de vingança ao que eles fizeram à mãe dele. Protagonista que desejam vinganças são bem mais comuns que se imaginam, mas no caso dele há uma peculiaridade que é não poder fazer nada sozinho, pois ele não tem a sua disposição algum tipo de habilidade que possa fazer ele combater os inimigos. Por algum motivo misterioso, ele consegue controlar e melhorar o humor de uma das autômatas que pilota um dos caças desenvolvidos para fazer frente aos misteriosos “Zai”.

As pilotos autômatas, conhecidas como “Anima” são figuras intrigantes, pois não sabemos o quão humanas elas podem se tornar. Aparentemente, a piloto de cabelo rosa possui aparenta demonstrar temperamento e sentimentos, mesmo que não os demonstre.

Será interessante ver os próximos desdobramentos da história, a fim de descobrirmos como será a interação do protagonista masculino com as garotas. Cada uma delas têm uma personalidade distinta, o que deve agradar os mais variados espectadores.

 

Galeria de Imagens

 

Obrigado a todos que leram este artigo!

 

  1. Avatar

    Pela sinopse eu nem dava alguma coisa para o anime, mas depois de ver o primeiro episódio mudei de opinião.
    A animação de forma geral está consistente, onde no inicio do episódio pudemos ver uma sequência de acção muito bem feita, onde o CG estava bem polido e não destoava do 2D. O design das personagens também está bom, em especial no design das garotas e caças apresentados. A música de abertura também é boa e a ending é boa e já nos mostrou as outras garotas autómatas.
    Quanto aos personagens, por muito que o Kei não apresente nada de novo como protagonista, o desejo dele, de ser tornar piloto para derrotar os Zai, afinal os mesmos mataram-lhe a mãe e deixaram a sua amiga de infância afastada dos seus pais (que provavelmente estão mortos ou desaparecidos). Mas tal desejo deixa o Kei cego, ele neste primeiro episódio seguiu um caminho perigo ao perseguir o caça que o salvou na China e ainda foi uma besta quadrada para a sua amiga de infância que só se preocupa com ele.
    A amiga de infância, gostei bastante dela, pena que já deu para perceber que ela nutre algo mais pelo Kei, e o Kei além de já ter beijado a Gripen (belo nome para a piloto do caça Sueco Gripen) e ainda faltam as outras duas automatas (a Eagle.Chan e a Phantom.chan), a amiga de infância não terá chance de romance com o protagonista.
    A Gripen só apareceu alguns segundo e já a acho best girl, quero ver mais dela e das suas companheiras também.
    O engenheiro do exército também parece ser gente boa, acho que ele será essencial para ajudar as automatas e o protagonista.
    Esperemos que o segundo episódio e o resto do anime mantenham a qualidade presente neste primeiro episódio.
    Excelente artigo de primeiras impressões de Girly Air Force Flávio,

Comentários