Bom dia!

Magical Girl Spec-Ops Asuka, também chamado pelo seu nome em japonês Mahou Shoujo Tokushusen Asuka (魔法少女特殊戦あすか) é mais um dark mahou shoujo, ou anime de garota mágica com um enredo mais sombrio, melancólico e cruel do que o gênero garotas mágicas é conhecido por ter.

Eu comento brevemente sobre o gênero tanto na introdução da resenha sobre Mahou Shoujo Site quanto em tópico próprio em artigo sobre os animes notáveis do gênero mahou shoujo, caso se interesse.

Em Magical Girl Asuka, a protagonista (a Asuka do título) já teve uma curta porém marcante, importante, e traumática carreira como garota mágica. Ela ainda possui seus poderes, mas para todos os efeitos se aposentou. Ou pelo menos ela gostaria de ter continuado aposentada…

 

Os disas

 

Um dia, criaturas de outro mundo, super fofas e coloridas, muitas delas parecidas com bichos de pelúcia, invadiram a Terra. Mataram pessoas, essas coisas que invasores fazem. Ok, temos um tipo de “invasor” bem diferente, mas não achei ruim. Serve a um propósito na história e mesmo se não fosse o caso eu gosto de dissonância cognitiva nos meus animes perversos. Eles são os disas. Chuto que o autor ao inventar esse nome se inspirou em disaster?

Um ano depois a esperança já estava perdida, o que restava da humanidade vivia com medo nos destroços da civilização (essa parte é mentira, só estou inventando isso porque o anime não disse o que acontece nessa passagem de tempo e eu achei que seria legal enfeitar, mas enfim, não se parece com nada do que eu escrevi no começo do parágrafo), vieram criaturas de outro mundo, o mundo espiritual. Que ou detestam os disas ou os exportaram para a Terra em primeiro lugar para que a gente desse um jeito no problema deles ou quem sabe alguma outra conspiração ainda mais terrível. Enfim, elas vieram e ofereceram ajuda na luta contra os disas.

A ajuda no caso era ajuda técnica para criar garotas mágicas que pudessem derrotar os disas. E funcionou maravilhosamente, só nove foram criadas e elas deram conta de derrotar todos os disas. Quatro delas morreram na luta final contra o rei deles, mas ainda assim, as nove sobreviveram até ali sem erro, pelo o que eu fui levado a entender. Bastante impressionante.

 

As cinco garotas mágicas na batalha final

 

Uma nota lateral: reparou como o anime mostra um soldado russo e um japonês, e em seguida diz que eles são “os melhores do mundo” e tal? Em uma batalha travada no Japão faria muito mais sentido que lá estivessem ao lado dos japoneses as tropas americanas, que são aliadas do Japão e já possuem bases no arquipélago.

Mas um anime jamais retrataria isso dessa forma. Por várias razões que eu não vou desenvolver aqui, mas que podem valer um artigo um dia, quem sabe? Apenas puxe pela memória e passe a reparar em como animes, todos eles, independente do cenário, do gênero, da história, normalmente retratam as forças militares americana, russa, alemã e chinesa. Essas são as principais e quase sem erro estão sempre amarradas aos mesmos clichês. Apenas repare.

 

Asuka tenta viver uma vida normal

 

Retornando, Asuka é uma dessas garotas mágicas. E parece ocupar uma posição central entre elas. Encurtando a história (até porque o anime fez isso também), elas derrotam o inimigo. A guerra acabou. Viva!

Mas não existem guerras sem danos colaterais, não é? Muitas pessoas morreram, e Asuka e companhia assistiram a isso de camarote. E como os disas não eram apenas bichinhos de pelúcia irracionais, mas sim criaturas inteligentes e capazes de planejamento, eles usaram táticas psicológicas também. Táticas psicológicas horríveis. O episódio mostra que, por exemplo, os disas mataram os pais da Asuka e enviaram seus corpos esquartejados para a garota, pedacinho por pedacinho.

Certamente queriam abalar a moral dela para que não conseguisse lutar em sua melhor forma ou mesmo abandonasse a guerra. Ou será que isso foi depois da guerra, como mero ato de vingança? Pergunto isso porque fiquei confuso.

Antes da batalha final Asuka sorria como uma garota mágica feliz costuma sorrir, ainda que estivesse carregando os dogtags das suas quatro companheiras mortas. Quero dizer, ela já não tinha motivo nenhum para aquela expressão feliz, então eu acho que a morte dos pais foi antes mesmo. Mas talvez tenha sido depois, o anime não deixou claro.

De qualquer modo, o importante aqui é que ela viu coisas demais na guerra, coisas que abalariam mesmo um soldado experiente, quanto mais uma garota do primário. Com isso ela desenvolveu transtorno de estresse pós-traumático.

Ela lê livros em seu tempo livre, não porque gosta, mas para não deixar seus pensamentos fluírem. Certamente memórias dolorosas da guerra viriam à mente. Ela abandonou o exército e não quer ter mais nada a ver com ele nem nunca mais lutar, embora, após a perda dos pais, um oficial japonês tenha se tornado seu guardião legal. Ela tem ataques de ansiedade ao ver bichinhos de pelúcia ou pessoas fantasiadas.

Isso tudo pode vir a ser muito interessante mais adiante na história.

Por enquanto ela só quer tentar viver uma vida normal, agora que está no ensino médio, embora não tenha amigas. Ou não tinha: entram em cena Nozomi e Sayako, duas garotas normais da escola para onde Asuka se transferiu e que não sabem de seu passado mágico.

 

Nozomi, Sayako, e Asuka ao fundo

 

O que é estranho. Supostamente foi uma guerra terrível, e outras garotas mágicas ainda em atividade aparecem no noticiário. Quero dizer, eu imaginaria que o rosto e o nome da Asuka fossem conhecidos. Mas parece que não. Bom, militares e estados de exceção servem para isso, filtrar informações, então não deve ser particularmente difícil ocultarem a identidade da Asuka, se assim ela tiver desejado tão logo a guerra acabou.

Com todo o treinamento que teve, e talvez por causa de sua transformação em garota mágica também, Asuka é bastante atlética, e isso chama atenção de Nozomi. Quando ela e a amiga se aproximam de Asuka, Sayako não pode deixar de notar que a ex-garota mágica está lendo um livro, porque ela adora ler livros. Elas começam a se tornar amigas, e Asuka partilha um pouco de seu tempo pós-aulas com cada uma das duas.

Com Nozomi, ela passa pelo clube de atletismo, onde marcam seu tempo em uma corrida. Como esperado, ela impressiona aos presentes. Ela é boa nisso.

Com Sayako, ela lê um livro na biblioteca. Asuka está mais interessada no amor pelo livro da colega do que no livro que está lendo em si, e então ela conta porque lê. Como eu já escrevi acima, é só para calar as vozes na sua cabeça, ao contrário de Sayako, que lê porque gosta disso.

Seu guardião e oficial das Forças de Auto-Defesa Terrestres do Japão, Yoshiaki Iizuka, também faz uma visita à garota, na qual a urge a retornar para a atividade, agora em um novo esquadrão especial.

 

Asuka e Iizuka

 

O que ela é boa em fazer?

O que ela gosta de fazer?

O que ninguém perguntou é o que ela quer fazer. Mas talvez essa seja sua sina. As outras três garotas mágicas sobreviventes (parece que mais uma morreu durante a luta final) continuam envolvidas com negócios militares.

Seus alvos agora são outros, como terroristas internacionais e organizações criminosas. Quero dizer, agora que os países detém guerreiras tão poderosas, por que abririam mão delas, não é? E tudo indica que existem alguns disas por aí também.

E talvez elas prefiram assim. Vemos em Asuka como é difícil voltar a viver em sociedade. Mesmo assim, o que Asuka quer é voltar a ser normal. Infelizmente, isso não será possível para ela.

Um terrorista foge de um transporte policial e, junto com seus comparsas, começa a matar indiscriminadamente para proteger sua fuga. Quando Sayako, a recém-amiga de Asuka está no alvo de seu líder, ela toma a decisão.

Asuka não vai fazer o que é boa em fazer. Asuka não vai fazer o que gosta de fazer. Asuka não vai fazer o que quer fazer.

Ela vai fazer o que ela tem que fazer.

 

A Garota Mágica Asuka está de volta à ativa

 

  1. Avatar

    Antes de começar, peço já desculpa de ter sido maldoso lá no Facebook sobre o primeiro episódio deste anime, o episódio em si não foi mau nem trash como eu pensava inicialmente.
    A única coisa que aponto o dedo a este primeiro episódio e a animação geral ser meio obsoleta (em especial os planos de fundo com pessoas em CG Shell mal feitos), o design da protagonista é meio estranho e o design das colegas de escola da Asuka são ok (a garota dos óculos parece algo saído da Type Moon com aqueles olhos baços).
    A história não vai ser nenhuma obra prima, mas quero acreditar que não vá ser uma bosta, a história da Asuka tem mais do que espaço de manobra para ser algo bom, começando logo pelos traumas dela (tive a sensação que ela está em estado de dormência com o seu stress pós-traumático). Desde do começo que a vida “pacata” da Asuka após a derrota dos bichos coloridos de outro mundo não iria durar muito, afinal o pior inimigo do homem é ele mesmo (e assim foi).
    Vou ser meio chato, mas não gostei da garota enérgica a Nozomi, acho-a muito descarada e o momento que ela perguntou à Asuka se ela vendia o seu corpo, achei desnecessário e de mau gosto. Por outro lado a Sayako, essa sim uma personagem mais interessante, a conversa dela com a Asuka na sala do clube de leitura valeu o episódio todo para mim (o exemplo que a Sayako deu atingiu a verdade da Asuka). Outra coisa que não gostei foi a cena do adulto porco que atirou a beata do cigarro no chão, foi meio trash.
    A parte dos terroristas, só valeu para mim por causa das armas russas que eles usaram (parece contraditório com o inicio do episódio), muito raramente vejo uma AK47 com lança granadas. Achei meio sem noção o despiste do carro forte da polícia, a parte da frente desses carros tem uma espessura impressionante de camadas de chapas de aço e algumas vezes cerâmica, nunca na vida uma granada defensiva iria fazer estrago em tal viatura (aquele despiste foi claramente erro humano).
    Os terroristas foram ok, pensava que fossem ser o cúmulo do trash, mas não foram. Gostei de ver a Asuka em modo mahou shoujo nessa parte, a forma como ela desfez em pedaços um dos terroristas foi interessante (sendo que a arma que ela usa só serve para cortar pescoços e artérias e não para desmanchar corpos).
    Antes de terminar, nós sabemos que as coisas estão mal quando países que são arqui-inimigos se unem (foi bem estranho ver um soldado russo a falar com um soldado japonês sem troca de tiros).
    Excelente artigo de primeiras impressões Fábio.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Kondou, tudo certinho?

      Como já conversamos, achei o character design coisa parecida com o que se fazia uma década atrás. Isso não é uma crítica, é só uma característica do anime. Achei interessante. Sobre a animação em geral, acho que o episódio foi competente mas fiquei com a sensação que esse pode ser daqueles animes que têm quedas horríveis de qualidade durante o curso. O que achou? Sentiu isso também?

      A história na pior das hipóteses vai repetir esse episódio: uma heroína relutante forçada pelas circunstâncias a por em uso os poderes especiais que só ela tem para proteger as pessoas comuns. Se for ser algo diferente disso, talvez vejamos algumas tragédias, ou talvez traições, ou quem sabe a guerra simplesmente recomece.

      Quanto aos terroristas e demais vilões e antagonistas da história, não faço ideia do que esperar ainda. Parece que a Asuka enfrentou terroristas normais, e a americana parecia estar enfrentando carteis de drogas no México, mas creio que os disas ainda estão por aí, talvez manipulando, talvez aliados a alguns humanos para quem sabe quais objetivos. Na hipótese mais sinistra, são as criaturas do mundo espiritual que querem os poderes que concederam às garotas mágicas de volta, presumivelmente antes que a humanidade aprenda a replicar a tecnologia – o Japão já tem um centro de pesquisas onde uma das garotas mágicas está trabalhando. Ou quem sabe algum humano realmente aprenda o segredo da tecnologia para transformar garotas normais em mágicas e use isso para o mal?

      Enfim, muitas possibilidades ainda!

      Obrigado pela visita e pelo comentário 😃

  2. Avatar

    Era para ter comentado isso, não quero ser pessimista nem gerar agouro, mas acho que o anime vai sofrer com queda de qualidade na parte da animação (o próprio episódio 1 já mostra as fraquezas que o anime tem no quesito da animação).
    Não tenho dúvida disso, que os humanos vão usar a tecnologia que transformam garotas normais em garotas mágicas (e aposto mais, aqueles monstros disfarçados de humanos no final do episódio, vão ter dedo nisso).

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Mas a gente tem que falar tudo, não tem? Essa animação não inspira confiança. Acho que vai ter queda, e talvez uma queda violenta, daquelas que o anime só se recupera (quando se recupera) no arco final. Só nos resta torcer para que estejamos enganados ou que a história compense.

Comentários