Produzido pelo estúdio Diomedea, a obra possui um mangá de mesmo nome escrito pela autora Sasuga Kei, também autora do ótimo mangá Good Ending. Com uma história de drama e romance, Domestic na Kanojo ou Dome x Kano, segue a história de Fuji Natsuo e as mudanças que começam a ocorrer em sua vida. Desde a sua perda da virgindade até a mudança do que ele poderia considerar como família, Natsuo passa por mudanças drásticas em sua vida que parecem cada vez mais se complicar.

 

Natsuo possui um amor. Ele gosta de uma professora de sua escola e infelizmente não tem perspectivas de que vá conseguir ter essa paixão correspondida. E bom, ele também não tem experiência alguma com romances e afins. E isso tudo muda quando ele recebe um convite incomum de uma pessoa estranha para fazer sexo. E sinceramente esse é um detalhe engraçado, porque eu nem acho tão legal assim o motivo da garota. Mas, porém e entretanto, devemos considerar que jovens/adolescentes costumam ter pensamentos desse tipo e simplesmente se deixam levar em determinados momentos. No fim, o que realmente importa é que eles fizeram e mesmo tendo sido repentino e Natsuo ter aceitado, nem mesmo ele entende o que aconteceu.

 

E bom, vale frisar a questão do relacionamento dele com a pessoa por quem ele tem sentimentos. Apesar de ser uma espécie de amor “impossível”, ele possui uma admiração e até mesmo uma boa relação com ela. Claro, por conta de uma coincidência dessa professora ter visto seus esboços de uma história, agora ele possui uma relação interessante que uma possível declaração poderia acabar, ainda que ele seja estimado por ela de certa forma. E é interessante ver que a relação dos dois é boa o suficiente para que eles possam aceitar a ajuda do outro, ainda que a professora coloque uma barreira por conta da idade, algo bem tosco e sem sentido para ser sincero, ainda mais quando ele mostra uma maturidade boa o suficiente para poder ajudá-la, diferente de seus amigos.

 

Mas o grande ponto é que o pai de Natsuo vai se casar. O pior de tudo é que além de nem saber que seu pai estava namorando, as famílias vão se juntar e com isso Natsuo vai ganhar duas irmãs. Hina e Rui serão suas novas irmãs e não haveria problema algum se ele já não conhecesse elas, ou melhor, se uma delas não fosse a sua paixão atual e a outra, a garota com quem ele perdeu a virgindade. Então, sim, viva o incesto que não é bem incesto e que no fim nem importa tanto assim, afinal, o interessante vai ser ver como que a relação deles irá progredir. Some isso ao ponto de que Rui não parece ser uma pessoa muito simpática com Natsuo, teremos grandes romances e dramas pela frente.

Vai fundo meu querido!

No fim, foi uma bela estreia que nos apresentou o problema inicial assim como os grandes protagonistas dessa história. A obra vai ter algumas doses de fanservice (talvez no blu-ray tenha algo a mais) e comédia. Nos detalhes técnicos, a obra não comprometeu e acredito que irá manter esse nível. Sinceramente, eu sou suspeito a “falar” algo sobre a obra, pois sou um fã que lê o mangá desde o começo, mas sim, recomendo bastante assistir.

  1. Avatar

    Tá melhor que 3D Kanojo….Começou meio que um clima meio Kuzu no Honkai meio pesadão e acabou meio “Grande Familia”, não espetacular, mas um belo “time waster” sem arrependimento, curioso para ver o desenvolvimento deste…E que não acabe num “Koi to Uso” (bleargh!!!)

  2. Avatar

    Então, estou também nessa torcida pois gosto muito da obra. E sim, foi melhor que 3D (algo que infelizmente é fácil) e eu espero que mantenha um nível similar no decorrer dos próximos episódios.

Comentários