Estamos aqui para mais uma sessão de clichês bem utilizados dentro de um conselho estudantil em guerra pelo fogo da paixão. Se amor é guerra, orelhas de gatos são uma munição pesada! Mas na guerra vale tudo e esse jogo pode ser jogado por dois, aqui se faz, aqui se nyaah~

Não teve mais a introdução. Que assim continue, que Haruhi abençoe e multiplique para os demais episódios. Mas como nem tudo é um mar de rosas, perdemos o melhor encerramento dessa temporada…

Voltou a música com voz irritante e se foi as várias poses fazendo referência a cenas do mangá. Voltamos a voar em um dirigível e pular dele para virar um anjo.

Mas vida que segue, vamos aos moe moe nyah.

Okawaii koto

 

Kaguya quer carinho…

Enquanto se preparam para a festa de boas-vindas de alunos franceses, os líderes do conselho travam um embate para ver quem fica mais fofo de orelhas de gato. Obviamente a Kaguya vence disparada, mas por algum problema de visão, ela acha que as orelhas também ficaram boas no Miyuki. Tadinha, tão nova e já com problemas de vista.

E nisso temos a guerra de quem esconde melhor o instinto feroz de querer agarrar o outro. Melhor parte disso são as caras e bocas, alguém merece um prêmio por isso. As expressões da Kaguya são as melhores, são medonhas e fofinhas ao mesmo tempo. É pra isso que eu pago internet, obrigado A-1 Pictures e Akasaka Aka (autor do mangá de Kaguya-sama).

 

O conselho estudantil quer falar…

Nesse ponto da série eu pensava que a Fujiwara servia apenas de alívio cômico, o que não era bem necessário. Ela faz o papel de suporte e dá ênfase a alguma situações. Mas hoje eu a considero um dos gênios ali presentes e merece o devido respeito. Essa menina é um monstro, ela desafiou os dois maiores gênios da escola para uma partida do jogo de palavras banidas para ver quem iria fazer compras para a festa de boas vindas…

* O objetivo do jogo é fazer a pessoa falar uma palavra que fora escrita previamente em um pedaço de papel e entregue para que ela segure na altura da testa de modo que fique visível apenas para os outros jogadores. Se alguém falar sua palavra, banida estará fora do jogo, até que reste apenas um.

E ganhou. E não foi só ganhar, o nível de manipulação, estratégia e previsão são de um monstro. Para completar ainda pagou de rapper. A partir de hoje, Fujiwara > all.

Kaguya e Shirogane não reclamaram. Será que finalmente teremos o esperado episódio de encontro?

 

Kaguya quer mandar…

Não foi dessa vez. O que se tira de proveito dessa esquete é:

– Eles finalmente usaram os celulares para se comunicarem fora da escola.
– Vimos um pouco de como é a família do Miyuki, seu pai parece um personagem de JoJo.
– E conhecemos o lado sádico da empregada da Kaguya, assim como o lado exibicionista do presidente do conselho. Maluco não se confessa, mas fala com a guria pelo telefone enquanto está pelado. Lógica pra quê, né?

O arco das compras acabou com a jovem dama conseguindo finalmente receber uma mensagem do seu amado e vice-versa.

P.S: Encontro cancelado por motivos naturais fora do controle de qualquer um. (choveu pacas)

Amo essa empregada e irei defendê-la!

 

Miyuki Shirogane quer falar….

No último bloco chegamos a tão aguardada festa de boas-vindas e com ela uma provação para o pobre presidente: ter que se virar para se comunicar com estudantes franceses sem nem ao menos saber se apresentar na língua nativa dos convidados. Para melhorar, o diretor manda uma garota atacar Miyuki verbalmente, no anime eles a chamam de Navalha Lambedora de Feridas (?), aqui no Brasil a gente chama de barraqueira desbocada.

Como na semana passada, o final do episódio tem uma pegada romântica um pouco mais escancarada, deixando no ar um certo progresso na relação do casal de QIs elevados. Dessa vez não foi diferente, agora com a Kaguya defendendo o imbécile do Shirogane durante o ataque verbal da jovenzinha desbocada que não penteia o cabelo direito. E pelo visto ela pegou pesado, a barraqueira saiu abalada da conversa, fato que fez a vice-presidente se sentir envergonhada e precisar ser consolada pelo seu futuro adestrado, o que culminou em uma provável declaração (?).  Provavelmente foi um “É isso que eu gosto em você”, ou não.

Agora fica a grande questão: por que raios os alunos franceses vão ao Japão e quem tem que aprender outra língua para se comunicar são os anfitriões e não os convidados? Isso não é cortesia dos anfitriões, é preguiça dos convidados. O pão francês aí é só um pão normal, não se achem tanto.

Até semana que vem!

  1. Avatar

    Finalmente alguém que deu valor a empregada da kaguya haha eu a adoro, apesar das poucas aparições, (nada contra a chika), esse anime ta sendo uma boa surpresa pra mim, é uma boa diversão despretensiosa.
    Espero, e acho que talvez abordem a forma que a kaguy era no passado, será que ela tinha algum problema ou só era mal humorada mesmo? Pois ai teremos um bom tema, se no caso essa mudança radical dela aconteceu somente pela entrada do shirogane na vida dela, eu ficarei desapontada.

Comentários