Não, não sou um grande fã de Fate. Só gostei um pouco do Fate de comidinha, o spin-off do Emiya, já que tinha comidinha, e do Apocrypha, pois o Astolfo é um personagem com carisma além da conta (a surpresinha nada tem a ver com isso, juro).

Enfim, minha experiência com Fate é nada ortodoxa e não acho legal esse lance da Grande Guerra do Santo Graal, prefiro ver disputa por taça de futebol, muito legal e nem grandioso só porque os heróis lutam.

A presença dos magos acho bem chata, sem falar que os heróis existem nessa franquia apenas para o fanservice, ou você acha que gostam da Arthuria por ela ser uma mulher empoderada? Não, é por ela ser uma waifu com espada em punho!

Enfim, enfim, eu me interesso por Fate, mas menos pelo conceito da guerra e mais por um ou outro personagem que é bom o suficiente para chamar a minha atenção, e isso ocorre com o Waver Velvet. Não vi Fate Zero e nem pretendo ver tão cedo, mas gosto do personagem que ele é no pós-guerra. Enfim… Vamos nessa?

A loli trambiqueira.

Vi o episódio zero uns meses atrás e gostei de como ele apresenta os personagens já vivendo suas vidas, enquanto esse primeiro episódio se encarregou de mostrar ao público os detalhes sórdidos acerca da origem do Lord El-Melloi II. É sério, sou só eu que odeio os nomes de Fate? Ao menos Waver Velvet é estiloso.

Nem preciso dizer que não sei quem é esse Lord primeiro, né, mas entendi toda a situação e isso não me impediu de rir à beça quando vi uma loli interrogando um adulto de cabeça para baixo. A franquia de Fate é tão horrível que nem lolis escapam! Basta ver outro spin-off, o que foca na imouto do Emiya. Ou eu estou enganado?

Isso não importa, o que importa é a contação de história do Waver Velvet e como ele é um personagem humanizado que carrega arrependimentos da época em que era um mestre. Sei que também seria bem humano se ele tivesse deixado tudo aquilo para trás e apenas tivesse seguido com a vida, mas ele era jovem naquela época.

E tudo que ocorreu com ele, que eu só sei bem por cima, é verdade, me pareceu o suficiente para impactá-lo ao ponto de fazer ele dedicar a sua vida para se retratar com seu mestre.

O banco que não solta só dinheiro, mas também sangue.

Isso na realidade é ele querendo se acertar consigo mesmo e, além disso, fazer jus a memória do herói que lutou ao seu lado na guerra, etc.

Eu sei, eu teria mais, bem mais, talvez, o que comentar se tivesse visto Fate Zero, mas, honestamente, a franquia Fate é vendida como independente dentro de si, então posso até ver Fate Zero um dia, mas na falta de tempo vou é ver esse anime primeiro, pois preciso me preparar psicologicamente para a Grande Guerra do Santo Graal de não sei das quantas, que provavelmente acharei bem chata.

Só devo gostar da qualidade da animação e de um ou outro personagem mais palpável, mais humanizado como Waver deve ter sido e se não foi o seu anime está fazendo um bom papel. Ele é um cara simpático, é mais inteligente que poderoso e tem sua própria pupila.

Uma relação de mestre e aprendiz que ainda nem vi aprendendo nada, mas já acho melhor que a relação de mestre e servo, e não duvido que seja melhor que a dele, ele mesmo deixa claro que os dois não se davam bem, com o Lord primeiro.

É fanservice que chama, né?

A aventura no Iraque foi divertida, e juro que não estou zoando quando digo que essa história de mago não precisar enfrentar mago me parece se chocar ao menos um pouco com o princípio da guerra.

Mas enfim, deixemos isso de lado e nos assustemos com o quanto uma pirralha pode ser sórdida ao empurrar os problemas de sua família para outra pessoa. Pior, ou melhor, que ele aceita, e aceita porque era algo que batia com seus princípios, não por coerção dela, a coerção dela ali naquela situação nunca me convenceu.

Ele é que estava pegando leve, que estava disposto a contar sua história e conversar, pois, como na vez da Babilônia, não duvido nada que conseguiria escapar daquela situação para dar umas boas palmadas e assim colocar a criança a sua frente no seu lugar.

Apesar de que a família estava em frangalhos, né? E sendo assim dou um desconto, aceito ela tentar tomar as rédeas da situação. A audácia dela eu achei mais digna de riso que qualquer outra coisa, mas isso esteve longe de ser um problema.

Waver desmentindo que a Grande Guerra do Santo Graal deveria existir em uma frase.

Queria era o passado do aprendiz de maga em tela, para ontem, se possível! A personagem tem meu interesse, e é certo que vai ser bem mais interessante que desmanchar um esquema que desrespeitava o amigo de Waver na Grande Guerra.

É só impressão minha ou esse artigo meio que não teve foco? É mesmo um problema escrever sobre algo que claramente carece de maior conhecimento prévio, mas deixa estar – não chega a ser uma heresia, ou chega? –, como está. O importante é que essa estreia até que foi, e mais porque o Waver se vira bem para quem parece ser taxado apenas como medíocre, divertida.

Eu posso estar puxando sardinha para o lado dele porque gosto do personagem, mas juro que não achei o episódio chato ou ruim – ser chato e ser ruim não são sinônimos, eu acho –, apenas deu a origem e voltou mais ou menos a um ponto ideal para assistir o episódio zero. Bizarro, não?

Mas vira e mexe Fate parece ser mesmo. Se ainda não viu o especial de meses atrás, o que acho muito difícil, vai lá assistir, tem no Crunchyroll também. Se viu, então que aguardemos juntos pelo segundo episódio.

Eu espero gostar do cotidiano, ou não exatamente isso, desse mago de alta classe postiço que vive assombrado por fantasmas do passado, mas é suficientemente confiável; ou seria manipulável, pense como achar melhor; para ter o apreço daqueles à sua volta.

Por fim, Fate para mim é bem melhor quando não se vale do nome Fate no título do anime, portanto, não é exatamente Fate. Mas no final, sei que é tudo a mesma coisa sim, só estou zoando.

Waver Velvet tem circuitos mágicos de veludo? Piada tosca, né?

Até um próximo artigo!

Algumas caras e bobas da loli trambiqueira.

  1. Avatar

    Antes de comentar alguma coisa sobre o primeiro episódio de Lord El Melloi, não acredito que ainda não viu Fate Zero. Fate Zero se comparado a outros Fate pode ser considerado uma masterpiece (e este primeiro episódio de Lord El Melloi mostrou o final de Iskandar (Alexandre o Grande) na luta contra o Gilgamesh). Sou suspeito para falar, mas a dupla Waver e Iskandar foi umas das melhores coisas de Fate Zero.

    Passando ao episódio, gostei bastante da estreia, nunca imaginei que fossem mostrar uma aventura no Iraque, mais especificamente nas ruínas da Babilónia (local onde Gilgamesh reinou e Alexandre o grande morreu). O Waver nesta parte esteve muito bem, nunca imaginei o Waver que nunca foi muito corajoso enfrentar outro Mago com tanta atitude (escolheu a melhor imagem para representar este momento).

    As referências à Guerra do Santo Graal foram muito boas, o estúdio Troyca redesenhou um dos momentos mais marcantes de Fate zero com o seu estilo artístico e ficou muito bom (só faltou a ost original).

    A motivação do Waver em manter as aulas do seu mentor é muito regida pela promessa feita ao Iskandar e isso é muito bom (o fiel escudeiro nunca esquece o seu rei). Não só isso, por muito estúpida que fosse a personalidade do primeiro El Melloi, ele era um mago excepcional com muito conhecimento, o seu conhecimento deve ser preservado e ensinado às futuras gerações de magos.

    Por fim, a loira sobrinha do El Melloi original, que bela peça ela saiu, o Waver caiu no jogo dela (as expressões faciais dela foram muito engraçadas.

    Excelente artigo de primeiras impressões, de Lord El Melloi Kakeru17.

  2. Kakeru17

    O Waver é um personagem muito simpático, a sua maneira, mesmo, e além disso ele tem uma qualidade que me agrada muito em um protagonista; ele é falho, mas persevera, tem suas limitações, mas não permite que elas o paralisem. É um mago cujo caminho me agrada acompanhar e acredito que eventualmente vou assistir Fate Zero, muito por causa dele. Além disso, é um Fate incomum sem a Grande Guerra do Santo Graal, né. realmente quero ver o que há a oferecer. Tem tudo para ser um anime bacana, e o bom é que pode agradar tanto a quem já conhece mais de Fate, como você Kondou, ou quem é mais leigo feito eu.

Comentários