A guerra se afunilou no Império ou foi definitivamente resolvida? Mas a que preço? É hora de LOGH no Anime21!

Boa parte desse episódio foi guerra propriamente dita, briga de nave no espaço mesmo, e enquanto o Kircheis só confirmou suas qualidades como pessoa e militar, Littenheim, segundo no poder do outro lado, mostrou o lado mais vergonhoso de um líder.

A guerra perde seu propósito quando você joga sua moral no lixo ou quando você prova que nunca teve moral alguma? Não sei, mas de uma coisa eu tenho certeza, Littenheim escolheu sua forma de morrer, e escolheu a mais vergonhosa.

O ataque suicida direcionado a ele foi represália ao seu ato vergonhoso e não poderia deixar de ver certo sentido no ato. O que sobraria para esse militar com a dignidade manchada? Quem ouviria seu clamor por justiça? Sem nada a perder como julgar tal desfecho?

Tem causas pelas quais vale a pena entregar sua vida? Eu acho que sim!

A guerra leva as pessoas a tais extremos e se por um lado posso entender o que motivou o ato mortal, por outro acho que entendo sim as atitudes de Merkatz, mas questiono por que ele se mantém presos a convenções que claramente abomina.

Merkatz não é imbecil como os outros nobres e muito da derrota certa deles se deve a falta de poder de decisão dele sobre os rumos da guerra. Além disso, ele expôs o que pensa sobre seu superior, então por que ainda não se mexeu para derrubá-lo?

Estaria ele esperando sua derrora natural? Seus valores, sua moral, não o permitiriam se virar contra Braunschweig mesmo ele sendo a escória que é? Qual papel Merkatz pode ter no novo governo que se aproxima? Estou curioso para saber tudo isso.

Por que ele continua a fazer o que faz mesmo parecendo tão insatisfeito?

Enfim, o Kircheis teve um sonho bom, ou seria um sonho premonitório? De agora em diante dormir tranquilo não deve ser fácil, ao menos não após o que lhe é dito sobre o amigo. Temia pela vida do Kircheis nesse episódio, mas o problema foi outro…

Só uma coisa me parece certa, Kircheis está sendo minuciosamente trabalhado para eventualmente sair de cena, o que imagino que ocorra em prol do amigo que tanto preza, o que tem a ver com a mulher que ama. Mas como ele agirá após falar com o Reinhard?

Se o Kircheis é mesmo a decência em pessoa como é pintado um abalo na relação dos dois é esperado, afinal, ele não é só um braço direito obscuro como é o Oberstein, nem um peão valoroso como a dupla que se destacou antes, ele é o amigo do Reinhard.

O ataque nuclear usado da forma que foi marca a perda do meu respeito pelo Reinhard? Não é bem assim, é muito fácil julgá-lo por uma decisão lógica sim muito questionável, mas que também tem sua razão embutida. Visa uma solução prática da guerra.

Só que é claro também que se isso sai da esfera de comando e chega aos ouvidos do povo o Reinhard tem a sua caveira feita, mas vamos ser realistas, qual é a chande disso acontecer? O máximo que deve rolar é ele ou outra pessoa questionar suas atitudes.

Questionar se um homem que se aproveita de uma tragédia desse nível é assim tão diferente dos nobres que tanto critica e enoja, ao mesmo tempo em que é o tipo de decisão que eu imagino alguém na posição dele tomando, como seria o Yang virando um ditador.

Tem uma motivação lógica por trás sim, mas nunca vai deixar de ser uma escolha questionável e difícil, completamente imoral também. Que a vida desses dois milhões persigam o Reinhard até o fim dos dias e que tal escolha podre não seja ignorada a frente!

Por fim, posso escrever que gostei da forma como a guerra cívil se desdobrou no Império. Não espero mais nenhuma grande reviravolta, talvez uma mudança de foco para a Aliança? Acho que esta seria bem-vinda, mas o título do próximo episódio…

“Vitória pelo bem de quem?” é um título que cai muito bem com os acontecimentos do lado do Império, mas se cair bem também com o que ocorrer do lado da Aliança não vou me espantar, afinal, a proposta de LOGH nâo foi sempre “igualar” lados tão diferentes?

Até a próxima!

E tudo acaba com um ataque nuclear… Parece que eu já vi essa história antes…

  1. Avatar

    Sobre a parte do uso das bombas nucleares, o Oberstein é bem pragmático, em cada confronto entre naves morrem milhões de soldados, imagine-se acabar com uma revolta popular, além dos dois milhões milhões de mortos, iriam se juntar mais umas centenas de milhares, além de prolongar a campanha militar do Império. Neste episódio, o Reinhard deu o aval para deixar a tragédia acontecer, ele com certeza irá sofrer com essa decisão até ao fim dos seus dias.

    Passando ao Kircheis, retiro as minhas críticas sobre a falta de demonstração das qualidades do Kircheis, neste episódio mostraram isso muito bem, além daquele sonho dele, lá se vê como ele se importa com o Reinhard e o quanto ele ama a Annerose. Foi notória a aflição dele, quando um dos seus soldados deu a noticia do massacre e disse que o Reinhard sabia, com certeza vai haver uma discussão entre os dois.

    Sobre o Merkatz, o senso de honra é que o prende ao lado dos nobres, ele decidiu apoiá-los, como bom soldado que é, mesmo discordando das ideias cagadas dos nobres ele tem que obedecer (lá para a frente ele vai ser importante em outro plano).

    Por fim, a cena do soldado que foi enfrentar Littenheim foi muito bem feita, o olhar de serenidade dele antes de morrer e levar consigo aquele porco que matou os próprios homens para fugir, faz pensar que tem momentos em que faz sentido perder a vida para uma causa maior.

  2. Avatar

    Sobre Merkatz acredito que ele luta ao lado dos nobres para proteger sua família, como foi mostrado num episódio ela foi ameaçada. Mas também acredito num senso de honra em suas decisões.
    Sobre o ataque é interessante ver que a justificativa de Oberstein é a mesma dada pelos EUA ao ataque nuclear contra o Japão. O número de mortos num ataque convencional americano mataria mais militares e civis do que um ataque nuclear, além disso, a guerra acabaria muito mais rápido.

Comentários