Chegamos ao fim de um dos melhores arcos de My Hero Academia. Essa batalha final entre Deku e Chisaki foi uma das melhores até então, superando todos os momentos marcantes do quarto ano. Não vejo como essa conclusão poderia ser melhor, entregando tudo que prometeu.

Durante vários episódios eu vim reclamando de como as garotas do grupo de Ryukyu foram deixadas de lado, mas agora o anime finalmente resolveu dar atenção a elas. Infelizmente, o que vimos do confronto com Rikiya foi bem rápido, mas já deu pra termos um gostinho. Sem dúvida, gostaria de ver mais da equipe feminina no futuro, principalmente Nejire, que é muito carismática, mas é a integrante do Big Three que menos vimos em ação.

Quando vi Deku aparecendo na superfície para avisar do problema para as garotas, confesso que fiquei bem confuso, mas tudo foi explicado mais tarde com Toga. Com isso, a participação da União dos Vilões realmente se tornou decisiva para a vitória dos heróis, o que me deixa curioso para o que pode acontecer. Será que essa galera tem uma tendência a virar mocinhos no futuro ou apenas não gostam da Yakuza? Parece que é a segunda opção mesmo. Inclusive, foi bem legal a sacada dos vilões terem seu próprio bordão, o “Plus Caos”.

Quem realmente brilhou nesse episódio – literalmente – foi Eri. A trama sempre girou em torno dela e o roteiro ainda conseguiu fazer tudo funcionar de forma redondinha no final, ligando todos os pontos possíveis. A grande dúvida que existia até o momento era sobre como realmente funciona seus poderes, já que nunca o vimos em ação até então. Tudo que sabíamos era o que Chisaki fazia a partir de seus experimentos para eliminar a individualidade dos outros. Por isso, imaginamos que sua habilidade era justamente essa, semelhante ao de Aizawa. Porém, o buraco é mais embaixo e, na verdade, ela se parece mais com Chisaki.

Não esperava que o anime fosse explorar sua individualidade tão a fundo e com tantos tipos de interpretação. Enquanto Chisaki consegue alterar matéria, Eri não apenas cura ferimentos, como também pode transformar uma pessoa em um macaco! Como o próprio vilão falou, ela pode voltar o curso da espécie para sua forma sem mutação, por isso também está interligado com o plano de Chisaki de tirar a individualidade das pessoas.

Um dos pontos que mais me chamou atenção é o fato dela não nascer com poderes. Além disso, ele não foi dado a ela como aconteceu com Deku. Na verdade, Eri é uma mutante! Por ser muito raro, esse é o primeiro caso que vemos no anime, mas abre um precedente interessante. Será que veremos outros como ela? Além disso, é impossível não pensar nos X-Men – que também são mutantes. Seria bem legal que ela fosse pra uma escola de pessoas superdotadas como a do Xavier, mas parece que a U.A. é um destino mais lógico.

Outro ponto interessante aqui é a relação entre Eri e Deku. Os dois não nasceram com suas individualidades e ainda passaram por um processo até conseguir controlá-las. Como se não bastasse, os dois juntos formam uma excelente dupla, pois a garota resolve todos os problemas do nosso protagonista. Se ele a conhecesse antes, não teria se ferrado todas a outras vezes.

Bem legal essa imagem, porque parece que o cabelo da Eri é do Deku

Do lado de Chisaki, além de conhecermos mais do seu passado, nós também descobrimos os próximos passos de seu plano para neutralizar a indústria dos super-heróis. A ideia de criar um monopólio do mercado e vender os soros para os dois lados é bem inteligente e teria dado certo se não fossem essas crianças enxeridas. Também vale destacar a última forma do vilão, que mais parecia uma aranha gigante. Naquele momento de desespero ele chegou a ficar sem todos os membros para moldá-los como quisesse, ficando maior e mais forte.

O anime ainda tocou no ponto da previsão do futuro de Nighteye. Deku mostrou que pode sim alterar o que vai acontecer, então todos os problemas da série foram resolvidos. Já era esperado que o anime voltaria atrás, senão Deku, All Might e o próprio Nighteye já estariam mortos. Essa fagulha de esperança deve fazer com que Nighteye e All Might voltem a se falar. De um lado, é um pouco sem graça acabar com todo o risco, mas foi uma medida necessária.

PLUS ULTRA!

  1. Avatar

    Uma boa analise, mas deixa so corrigir 2 detalhes
    Eri nasceu com a individualidade sim, ela so se manifesta geralmente perto dos 5 anos e dps o Chisaki fez de tudo pra ela nao saber como ativar pq isso seria perigoso pra ele
    A Individualidade geralmente eh uma junção das indiv. dos pais ou de alguem na arvore genealogica, a Eri teve a mutação pq ninguem da arvore teve alguma individualidade q fosse parecido com isso

Comentários