Ok, em termos de história o episódio não contou nada absurdo, nem puxou para o lado dos dramas e relacionamentos, mas sim para uma situação mais simples e investigativa, que acabou revelando surpresas que eu definitivamente não esperava ver por aqui.

A vida do Richard é como um livro selado sobre o qual ninguém sabe absolutamente nada, junto a isso a sua postura discreta, elegante e misteriosa entregam menos ainda, o tornando o tipo de pessoa que sequer deixa rastros para dúvidas.

De onde daria para se concluir – mesmo numa aposta bem alta e louca – que ele teria sido o tipo de pessoa que já foi? Pois é, mas ele nos mostrou parte de seu passado e já me empolguei com o que pode vir por aí.

O mistério da semana foi um desaparecimento incomum e até o desdobramento final eu tinha ficado bem surpreso com a forma rápida como o Richard já tinha sacado as origens do problema.

Ao passo em que demonstrava noção do que acontecia por ali, ele também tinha uma expressão bem estranha ao falar dos falsificadores, fato esse que o Seigi bem notou e tentou cavar para ver onde dava – nessa hora achei legal que ele mostrou alguma astúcia tentando jogar um verde no chefe para arrancar a verdade.

A nova cliente, Ayumi, claramente tinha sido enganada, mas tudo estava ainda no campo da hipótese e sem provas, já que o dono da “turquesa” havia sumido. O plano do joalheiro para capturar o noivo fujão foi bem interessante e além de explorar novas facetas dos dois protagonistas, ainda nos permitiu ter pistas do que estava por vir – mesmo que não fossem tão claras.

Para quem não tinha talento, a atuação do Seigi como intérprete foi decente e o Richard de vidente charlatão nem se comenta, penso que até eu ia me convencer da energia ruim naquelas pedras – talvez pela forma direta com que falava e a falta de exageros, elemento esse que normalmente transborda em gente falsa ou que mente.

A resolução foi fácil e no fim os bandidos se mandaram com a mesma velocidade que roubavam inocentes. O Richard seguiu sem revelar as intenções por trás de todo o ato justiceiro que promoveu, mas o episódio seguiu interessante porque o flashback final me deu o que eu queria.

Curioso que no episódio anterior, eu comentei que tinham dado um encerramento decente a toda construção do Seigi e que faltava entender quem era o Richard de verdade, aquele que estava por trás do europeu fino e de olhos penetrantes.

Na real eu pensei que o episódio apenas daria mais personalidade ao personagem através da proximidade entre ele e seu companheiro – outro mérito da série, que soube trabalhar bem a amizade entre os dois estranhos -, assim como pela forma intensa de se manifestar contra o crime da turquesa.

Qual não foi o meu choque ao descobrir que o próprio foi um joalheiro falsificador e que era tão safado quanto aqueles que pegou. Felizmente ele teve a chance de voltar atrás e corrigir seu erro, mas fico curioso para entender como encontrou Saul Ranashinha, e como o mesmo lhe transformou na figura respeitada e digna que é hoje – visto que o nome dele passou pra o Richard.

Outra coisa que inclusive foi pincelada e que continua me chamando atenção, é o incômodo que o protagonista possui com sua aparência, item esse que ele reafirma no diálogo com Saul. Teria isso a ver com sua família ou isso é um mistério secundário do seu passado e que talvez esteja relacionado com sua época de golpes? Comecemos as especulações.

Só posso dizer que essa virada na segunda metade do anime foi muito bem vinda e espero uma boa sequência para esses eventos, principalmente o momento em que o nosso “herói da justiça” descubra o passado de seu empregador e amigo.

Não acho que vai se criar um drama em cima disso – até porque a vó dele já foi uma ladra, justificada, mas foi uma -, porém o Richard fazia isso por ganância e consciente de que estava enganando inocentes, coisa que ambos odeiam.

O loiro agora é alguém que o universitário aprendeu a gostar, respeita e tem extrema admiração pelo que é e pelo que ele vem o ensinando, então fica a pulga na orelha para saber o que farão com isso tudo.

Agradeço a quem leu até a próxima!

  1. Avatar

    Excelente artigo de uma obra boa dessa. Gostaria que no Brasil a gente tivesse umas producoes nacionais assim, mas o pessoal nao se anima muito nao infelizmente.

    • JG

      Oi natsuu12, olha eu confesso que também gostaria bastante de ver o Brasil produzir coisas assim, acharia o máximo ter os nossos “animes”, mas quem sabe isso não avança? O mercado cresce e o do mesmo jeito que alguns desgostam, tem muita gente aí aderindo ao mundo otaku, creio que um dia chegaremos lá, alguém há de se interessar pra produzir algo legal.

      Agradeço o elogio e a visita, volte sempre pra comentar por aqui!

  2. Avatar

    Esse ep me deixou com um pé atrás com nosso loiro de olhos incríveis, o fato dele já ter sido um farsante me pegou de surpresa e comecei a pensar que talvez ele ainda seja. O nome do ep ser turquesa perigosa acho que seja uma referência direta ao Richard pelo fato dos olhos dele serem azul turquesa e pela primeira vez o anime apresentou uma pedra falsa (e ser justamente a turquesa). Pode ser que ele tenha se regenerado e esteja fazendo o bem, mas eu sinto que esse Richard que estamos vendo não é real. Ele sempre pareceu muito artificial, pensei que era o personagem mesmo mas agora desconfio que seja só uma persona criada para o trabalho. Enfim, ansiosa pra ver onde isso vai dar.

    • JG

      Olá Verônica, olha eu fiquei com um pé atrás, mas não no sentido ruim, acho que o Richard realmente mudou, agora minha questão é entender como foi esse processo de mudança e como o Saul interferiu nisso – achei a cara dele meio bizarra, vale salientar.
      Sua observação sobre a turquesa falsa e o joalheiro é bem interessante, porque realmente essa foi a primeira jóia que era falsa na avaliação – uma ironia – e de começo eu não tinha assuntado esse detalhe. A pedra também é bem semelhante aos olhos dele e se for ver, a última cena do episódio mostra bem isso, com ele encarando uma turquesa verdadeira e resgatando o passado, trazendo essa ideia da ligação entre os dois e o peso que a turquesa tem pra ele.

      Ainda não sei te dizer se ele está sendo real, no sentido de expressar tudo o que sente, mas acho que verdadeiro ele está sendo, penso que mudou mesmo e só está tentando achar uma forma de fazer o bem, enquanto segue com a culpa de ter enganado tanta gente – no que eu continuo intrigado com a proposta do Saul, de novo kkkkkkk.

      Obrigado pela visita e volte sempre pra comentar, Housekishou tem sido literalmente uma jóia dessa temporada e fico satisfeito que outros também estejam curtindo.

  3. Avatar

    Aí povo!!! Beleza chatão chatinho é o James na área!!!
    JG espetacular resenha…Congrats!! Este está valendo a pena acompanhar…
    Mas na cena com o Saul me lembrei de uma cena de “Lawrence da Arabia” não sei pq…Que o Richard tem um pouco de Lawrence isso ele tem!! Abçus a todos!!!

  4. Avatar

    Ah…Ia me esquecendo é que eu tenho mania de olhar os creditos nos finais e vc vê uns nominhos meio “brazuca”…Que tal a Anime 21 entrevistar alguns? Fica a sugestão de pauta…

Comentários