Que final foi esse, hein? Você gostou? Eu gostei das referências e de alguns pontos do final, mas reconheço que foi uma porcaria, teve muitos problemas e até empolgou, mas bem pouco. Os problemas vem do pós, do que há além da música, o que em geral é um problema do rock e da música em si. A canção fica, é imutável, o reverberar dela é que pode não ser tão bom assim. Aliás, quando é? O rock não vai salvar o mundo e nem eu a Listeners.

Echo teve uma jornada do herói ou não? Teve, mas foi realmente bem-feita? Não, só no episódio dez que notei a estrutura e em detrimento das referências ela não foi bem trabalhada. Aliás, o que foi no anime? O monólogo da Mu até que foi bonitinho, mas ficou por aí, não se encarregaram de responder o mínimo sobre a origem dos Earless e como as coisas chegaram aquele ponto, não que fosse exatamente necessário, mas poderia ser bom…

E não foi, se há algo que foi bom nesse final e no anime todo foi a trilha sonora, diria até que ela é inesquecível para mim, mas isso acaba sendo irrelevante quando o roteiro quase sempre apela para referência e a trama não se sustenta. Por exemplo, o conflito entre humanos e Earless é pintado como algo profundo e de difícil reversão, tudo o que não vimos nesse episódio. Listeners vende a ideia de que o rock vai unir as pessoas e ele não une…

É só a gente ver o mundo como está hoje, existem rockeiros conservadores que apoiam políticos abjetos e ideologias distorcidas, o que as letras, as mensagens, mudaram na vida dessas pessoas? Tem muita gente que é sim influenciada, e muito influenciada, pela música; eu mesmo mudei muito, e para melhor, após conhecer minha banda favorita, o Muse; mas isso é o suficiente para fazer proliferar o amor e a compreensão? Que baboseira, né.

Da forma como o anime pinta a situação é bobo, mas não é como se já não esperasse isso, restava apenas um episódio, o máximo que poderiam fazer é resolver tudo num passe de mágica. Enfim, a redenção dos Earless foi uma cena bacana, mas precisava mesmo ser o Tommy a explicar a situação? Ele não era um lunático? Não poderia ter sido o Jimi a explanar o show? Até essa sensibilidade nos detalhes deixou a desejar nesse episódio fraco.

A forma como o Echo supera a Mu e vai até ela, dizendo aquelas palavras clichês, foi com certeza o ponto alto do episódio, mas isso na metade e sem contextualizar o que ocorreu depois. Eles caíram no buraco e foram até o mundo dos Earless? Cadê o Jimi, morreu mesmo ou foi fundido a Listeners para dar origem a Mu? Como surgiram os Earless? Se eram humanos, o que os fez mudarem? O anime não explicou nada, só se ateve as referências.

Nenhuma novidade, né? A preocupação era encaixar tematicamente a primeira e a segunda partes nas músicas dos Beatles. Conseguiram, mas a que custo? Beatles foi a banda mais importante que o mundo concebeu e suas músicas não foram devidamente homenageadas, pegaram as ideias emprestadas e usaram para desviar o foco do roteiro medonho que esse episódio teve. Até personagem morto reviveu e nem sequer um beijinho teve, pô.

O bom e velho; ou nada bom, mas com certeza velho; checkpoint de coadjuvantes foi sem graça e só escancarou como o mundo é artificial, terra sem lei, um mundo alternativo de fato. Pelo menos as músicas letradas foram bem boas, principalmente a abertura na voz da Mu (Rie Takahashi), que cantou todos os encerramentos também, esses já menos interessantes, mas legais. O Echo e a Mu sobreviveram, mas o que eles faziam viajando, hein?

E no é só isso, por que não formaram logo um casal de vez? Ainda estavam atrás do Jimi? Voltaram a estaca zero após fazer um “desvio” para salvar o mundo? Parece piada, mas não é, foi o que fizeram, salvaram o mundo e pegaram a estrada, típico da fantasia do músico aventureiro que traz sua graça, mas sequer compartilha do que é colhido. O ideal hippie pode parecer a salvação, mas a cada dia só sinto que isso é uma tremenda baboseira.

Listeners é confuso, inconsequente e desinteressante, eu que sou bobo e fico com os olhos brilhando se vejo altas referências a música, principal que eu curto, em um anime. Honestamente, o que se salva do anime é a playlist que se pode fazer no Spotify ou similares, assim como o interesse pelo fino do rock e só se este despertar em você, não que o anime tenha ajudado. Como história, xô referência, até tem bons momentos, mas é péssimo!

The Beatles dispensa apresentações e comentários, se ainda não ouviu, ouça, se não quer ouvir, ouça, vai por mim, é do caralho, não é a banda mais importante da história da música à toa. Hello, Goodbye é uma canção dos Beatles presente no álbum trilha sonora do filme (é sério, os Beatles têm vários filmes) Magical Mistery Tour e Tomorrow Never Knows integra o disco Revolver, do qual você conhece várias músicas nem que seja por osmose.

Uma referência a Hatsune Miku aparece no trecho final e All You Need Is Love, referência que usei no título deste artigo e apareceu ao longo do episódio, integra o álbum Magical Mistery Tour e também o Yellow Submarine, trilha de outro filme da banda. Aliás, ouça Yellow Submarine também, a canção é ótima. Citizen Erased é canção do Muse e partiu da minha vontade de me despedir mostrando a você um pouco de quem sou e do que curto.

Por fim, Listeners é um anime esquecível se você não é como eu, um apaixonado inveterado por rock; principalmente o britânico, homenageado em oito das treze oportunidades. Como acho que otakus roqueiros não são a maioria, ao menos não roqueiros a esse ponto, é normal que muitos não entendam e não curtam o anime. Aliás, mesmo que você entenda ele continua sendo ruim, só que pode apelar para sua memória afetiva, tem isso…

Agora, se conhecer um otaku roqueiro que teve o mesmo choque de nostalgia que eu e mesmo assim não se divertiu com o anime é sinal de que nem com o nicho do nicho Listeners deve vingar. Eu não sei se foi o caso, não é como se eu costumasse ter uma grande variedade de amigos otakus mesmo, eu não tenho, meus amigos mais íntimos talvez sejam justamente essas bandas que o anime homenageou e fiquei feliz em reencontrar.

Não que esteja tao distante assim delas, o Youtube facilita ouvir música e mesmo sem muito espaço na nuvem ou no celular vez ou outra apelo a nostalgia e relembro os velhos tempos dos quais nunca quero desapegar.

Até a próxima!

  1. Avatar

    Acho que voce traduziu perfeitamente tudo que ficou na minha cabeça nesse episodio, sem tirar nem por. Confuso, perdido, clichê sem graça, casal nao formado enfim……totalmente esquecivel, onde com muitas mudanças e outras coisas poderia ter ficado ate bonzinho. A uniao entre sem ouvido e humano ficou interssante e ja esperado.

  2. Kakeru17

    Sim, de bom Listeners só deixou a playlist. Inclusive, devo focar nessa parte musical na resenha, pois a história não é tão interessante assim de comentar. Agradeço o comentário e espero que o próximo anime com pano de fundo musical a aparecer seja melhor.

Comentários