Desculpa o spoiler na capa e no título, mas tem coisa mais certa em anime clichê que isso? Yesterday wo Utatte tenta disfarçar, mas é bastante clichê e seu final não foi ruim, mas também poderia ter sido outro patamar, coisa que o anime não foi. O namoro que deveria acabar acabou, o namoro que deveria começar começou, teve gente que se formou, gente que subiu na carreira e você, que vai ler este artigo, vamos seguir em frente?

A resolução do cliffhanger do episódio anterior me agradou, pois o Rou não foi escroto com a Shinako, e nem deveria ser mesmo, o problema é que a montagem do fim do episódio fez parecer que sua reação seria pior do que foi. O que mais incomodou o Rou foi ter ficado no escuro, não o fato da Shinako estar com namorado e consigo aceitar bem o que ele disse, pois ele pode ter sido egoísta, mas sempre mostrou que gostava dela.

Sendo assim, é normal que quisesse participar de sua vida e, claro, estar a parte quando desse um passo em frente, ou ao menos fingisse que deu. A Shinako foi insensível, pois quis evitar um rompimento, o problema é que não é fácil cortar relações com alguém que você tem como família e ela não percebeu isso. Dada sua personalidade, de querer cuidar do outro e por tabela proteger, pensando bem agora até consigo notar certa lógica no que ela fez.

O problema é que independentemente disso ela magoou ele e os dois se afastaram, mas nada que não fosse fácil de resolver e nem que não pudesse ocorrer em off. O foco sempre foi o Rikuo e a Haru, a Shinako e o Rou existiram mais para fazer com que o casalzinho se acertasse no último episódio com direito a cena clichê, mas não exatamente ruim, e um amor que eu não percebi onde nasceu, mas tenho considerações a fazer sobre ele.

Sobre o monólogo carente da Haru, nem tenho muito o que comentar, só que dor de cotovelo faz qualquer um virar filósofo e meu maior descontentamento com o anime é o quanto ela é uma personagem agradável de ver em tela, mas com a qual não consigo me “sensibilizar”, pois foi meio mal aproveitada. Digo, ela deixou a escola, mas o que a levou a isso não vem a tona, e ela parecia ter problemas, mas só focaram no romance, etc…

Enfim, sobre o namoro do casal do ano, meu problema com ele é que a relação de faz de conta de três meses dos dois me pareceu uma tentativa extremamente capenga e irreal de fazer o que queriam fazer, ir com calma, sem pressa. Faria mais sentido se tentassem romper a barreira da amizade buscando contato e aí vissem que não havia química alguma, ou melhor, que conversassem sobre o que os impedia de dar esse passo mais longo.

O anime não mostrou os dois conversando, apenas o Rikuo tentando algo e acordando facilmente com a recusa, o que só escancarou ainda mais a má ideia que foi isso. Da parte da Shinako, que estava apenas tentando achar uma saída para a solidão, até entendo a tentativa, mas da parte do Rikuo não, exceto se o envolvimento dele com a Haru tenha sido suficiente para torná-lo incapaz de dizer “Eu te amo!” a Shinako por não amá-la mais mesmo.

Você achou suficiente? Eu tenho minhas dúvidas. Digo, em algum momento antes desse episódio realmente pareceu que ele se apaixonou? Ele sentiu ciúmes no episódio cinco, mas isso foi antes da metade da história e depois não teve mais nada? Eu não me recordo, só consigo lembrar da Haru correndo atrás dele e ele a recusando, no máximo indo um pouco na onda. Sacar que ele gosta de alguém correndo atrás dele foi sacanagem?

Parece, ao menos se em nenhum momento dos onze episódio anteriores isso tenha sido dito, apesar de que você poderia ter notado pela forma pouco incisiva que ele recusava as ofensivas dela. Então, talvez tenha sido eu que não tenha notado essa característica não falada, mas mostrada, dele? Pode ser. Sendo assim, não vou encucar com isso, mas confesso que ainda sinto um belo vão na forma como esse sentimento despertou nele.

Contudo, não dizem que amor surge das mais diversas formas e nas mais diversas velocidades? Não vou apelar para isso e escrever que esse final foi perfeito, mas também não vou jogá-lo fora, até porque não foi o pior dentro do que o anime poderia entregar. Enfim, acabei nem comentando o término de namoro do Rikuo com a Shinako direito, mas há mesmo algo a dizer? A cena foi ótima, teve o clima que esperava ver entre os dois.

Foi o término de namoro mais de boa da história dos animes? Talvez. A única certeza que tenho é de que nenhum dos dois tinha motivo para guardar ressentimento e perder a amizade, foi como o Rikuo mesmo falou no final, os dois estavam confusos e acabaram tomando uma decisão equivocada que machucou justamente quem não queriam machucar. Quem nunca? A forma como namoraram que foi tosca, namorarem é claro que não.

Enfim, meu incômodo com a Haru (que ela é muito fofa, mas meio rasa) persistiu ao longo do episódio, mas não foi exatamente um problema do episódio, né. Sendo assim, guardo maiores comentários para a resenha. O importante mesmo após o término do verdadeiro melhor casal da temporada de primavera de 2020 foi o monólogo do Rikuo e como ele teria sido mais legal se a torcida do Flamengo não soubesse o que estava na cara.

A Haru lambeu o chão que o Rikuo pisa o anime todo e continuou a fazer isso nesse episódio. Ele sabia disso, por que ela mudaria? Não mudou, não que isso seja exatamente um problema, tem muita gente como ela na vida real mesmo (e eu já fui um deles, confesso), então, a insegurança do Rikuo não foi proporcionada por ela, mas por ele mesmo. Ele não pareceu nervoso assim quando se aproximou da Shinako, foi um sinal do óbvio?

Foi, eu acho, o que quero dizer é que é o tipo de detalhe que dá a entender que ele estava mesmo apaixonado pela Haru, mas é fácil vender essa ideia para o público agora independentemente dela ter sido bem plantada ao longo dos outros onze episódios e foi isso que me incomodou. Mas eu sei, prometi não insistir no tópico, só queria pontuar isso. Como quero e já estou escrevendo muito, posso relacionar uma capa de cd a esse final?

A capa do cd (Snow White) da banda punk do amigo do Rikuo seria uma brincadeira como se dizendo que a Haru seria uma Branca de Neve? Lembra da história da Branca de Neve em que um príncipe surge e a liberta de uma maldição com um beijo, se apaixonando do nada por ela? Parece zoeira demais para ser verdade, então considerarei coincidência, porque sim, o final do anime me recordou um pouco da história da Branca de Neve…

Sei que muitos considerariam Shinako a bruxa má, mas saiba que não sou um deles. Enfim, bater na pessoa para saber se ela é de verdade é clichê ou só bobo mesmo? Sei que rola agressão física de leve em romance, mas não não sei se o suficiente para ser um clichê e foi só depois de escrever que notei a irrelevância. Para não perder a viagem, a animação e trilha sonora, assim como a direção, foram bem satisfatórios dessa vez, não foram?

Se há algo que questiono é o roteiro e pelos pontos que já citei no texto, pois no geral acho que o final foi satisfatório, cheio de falta de jeito por parte do Rikuo, de doce mais falso que nota de três reais por parte da Haru e não posso esquecer do maior clichê dos animes de romance, beijo no finalzinho do último episódio após mais desencontro que romance de novela. A declaração do Rikuo foi bonitinha e a resposta da Haru também, né?

O suficiente para anuviar o que considerei defeito no anime? Não, mas tenho certeza que o blu-ray não vai encalhar nas lojas japas e que seria pior se ele tivesse ficado com a Shinako. O Rikuo acabar Yesterday só passaria a ideia de que todo mundo que assistiu perdeu seu tempo e comitê de produção nenhum deve fazer o otaku de besta. Se as massas clamam por um final com declaração clichê e beijo não podem reclamar agora, podem?

Podem sim, isso é balela, mas vou me ater as considerações finais. Yesterday wo Utatte foi um bom anime, ainda que o realismo que vendia tenha dado suas belas derrapadas. Poderia ter sido melhor, mas tudo nessa vida pode ser melhor em algum nível, eu acredito nisso, então pondo na balança a expectativa e a realidade ainda acho o anime a decepção da temporada, mas posso até indicá-lo a quem ainda não viu. Para isso há a resenha.

Por fim, a Shinako não terminou com o Rou e não achei ruim. A cara dela ao bater na porta dele e ser atendida por uma garota pode dar a entender que ela sentiu ciúmes e gosta dele se você der muita importância a esse detalhe e, claro, extrapolar um tanto. Nada confirmou ou desmentiu isso, o final feliz deles foi seguir a vida, assim como seguiu o Rikuo ao namorar com a Haru e parar de se importar tanto com o que se perdeu no ontem.

Até a próxima!

Essas cenas vão deixar saudades…

  1. Avatar

    A história da haku se bem aproveitada poderia dar uma ideia de que seriam de verdade DOIS protagonistas e não apenas Rikuo e suas mulheres. Desenvolveram até bastante a Shinako.
    Eu gostei do final. Creio que qnd Rikuo falou pra haku que tinha ido após ter levado um fora da Shinako foi a maior verdade, afinal namorar dakele jeito mas qnd se aproximavam era o maior climao msm com toda paciência e amor do mundo só me parece rejeição. E ele percebeu isso.
    O fato da haku ter o aceitado mostra algo bem.larevido entre os dois. Os dois só querem ser aceitos e amados,não importa como nem depois do quê.
    Achei que poderiam ter trabalhado o beijo clichê melhor pra não parecer que foi um selinho,ou até mesmo ter um close sei lá. Mas.enfim vcs acham que terá uma segunda temporada ?

  2. Kakeru17

    É anime, né, os japoneses adoram esses beijos mais “discretos”. Até onde sei o anime terminou quase igual ao mangá, então foi um adeus. Fico feliz que tenha gostado, agradeço o comentário e espero que siga o blog na próxima temporada que se aproxima.

Comentários