Love Live! Superstar é a nova geração da franquia Love Live!, que dessa vez não tem nove idols escolares, mas cinco, além de novamente, assim como no anime de Nijigasaki, a escola não estar em perigo. O que não muda é a protagonista com cabelo laranja (como Niji é tipo um spin-off o cabelo da Ayumu é rosa), a presidente do conselho estudantil que proíbe as idols na escola e outras adversidades a serem superadas.

Além disso, o anime segue nas mãos do estúdio Sunrise, mas não exatamente do estúdio principal, foi passado ao estúdio secundário, o Sunrise Beyond, o qual entrega uma animação diferente das temporadas anteriores (ainda ótima), mas no geral o CG na hora das músicas é o mesmo, então tirando alguns detalhes é um anime de Love Live! como qualquer outro, teve até a peninha que sempre segue as protagonistas.

Enfim, vamos a sinopse:

 

“Kanon Shibuya adora cantar e tem uma bela voz, mas trava e cai dura no chão quando sobe no palco. Um dia, enquanto ia até a escola, ela cruza com Keke Tang, uma garota meio chinesa, meio japonesa que e fã de idols escolares e é cativada por sua voz, decidindo formar o clube de idols escolares da nova escola das duas. Mas Keke não poderia contar com a recusa de Kanon e pior, a proibição da presidente do conselho estudantil.”

 

Superstar!! teve um início refrescante, com muita comédia, boa animação, cantoria e novos elementos sendo adicionados ao leque da franquia. Algumas coisas nunca vão mudar e isso é óbvio, mas, por exemplo, dessa vez a ideia de criar o clube e virar idol não partiu da protagonista como acontece no Sunshine!!, mas sim da garota mais próxima a ela. Além disso, a Kanon não conseguir cantar foi uma característica interessante.

Felizmente, o drama dela não foi prolongado desnecessariamente porque, convenhamos, a treta com a presidente do conselho estudantil é um clichê forte e esse sim deve ser a grande adversidade para as garotas formarem o clube. Outra coisa bacana desse anime é que a comédia não saiu de cena e nem perdeu força em comparação a outras temporadas, até porque a Tang conseguiu equilibrar ela com certa seriedade.

Quanto as outras heroínas desse Love Live!, ficou fácil saber quem eram durante o episódio, mas as músicas (aliás, elas vão ser a abertura e o encerramento?) entregaram tudo. Uma é amiga da Kanon, que não demonstrou interesse em idols nessa estreia, mas não deve oferecer tanta resistência para se juntar ao clube, a outra a Sumire, que parece recatada, mas… E tem a presidente, como sempre.

Quanto ao roteiro e a trama em si, gostei bastante da proatividade da Keke para motivar a Kanon e trazer ela para o lado school idol da força, apesar dela ter caído no velho clichê do falatório e não da ação propriamente dita. A Kanon se curou de seu medo de palco se apresentando, não precisou de analista nem nada assim, mas, honestamente, não daria para pedir muito mesmo. Pelo menos a Keke motivou bastante.

E isso em meio a uma ótima zoeira no café da família da Kanon, background comum as protagonistas da franquia, e uma tentativa de recrutamento fracassada, mas bem leve. As caras e bocas da duplinha dinâmica são impagáveis, mas o que eu pontuo mesmo é a cara de pau da Sumire, que parece uma garota séria quando a gente sabe ela não deve ser flor que se cheire. Nico e Yohane feelins com ela…

Até porque as outras já mostraram suas personalidades e os estereótipos que devem ocupar, dessa vez menos que nas outras temporadas, afinal, decidiram diminuir o numero de garotas e acho que isso pode ser bom. Deve ser mais fácil de administrar cinco artistas e não nove, além de facilitar algumas ousadias que o anime de Niji já tomou e deve tomar ainda mais em sua segunda temporada. O game “spoila” o anime, né…

Por fim, a Kanon e a Keke se desentendem, mas, felizmente, isso também não demora a ser resolvido; Gostei bastante da forma como a Kanon foge dos avanços da Keke, mas na hora H acaba cedendo e não só isso, até toma partido na discussão com a presidente. Ela demonstrou uma razoável maturidade para alguém em sua situação, ainda constrangida por sua fobia de palco, mas não ludibriada por uma aversão inexistente.

Em nenhum momento a Kanon mentiu para si mesma, aceitou o desafio e conseguiu, ao final do episodio, dar o primeiro passo rumo a um novo cenário no qual ela vai poder cantar como quer. Aliás, seria bacana se eventualmente ela trouxesse o violão ao palco e o tocasse, imagino que isso vá acontecer. Será o violão o piano da vez? Seria uma mudança de estrutura arrojada já que até o anime de Niji teve o piano de suporte.

Quanto as músicas, gostei de ambas, mas confesso ter gostado mais das canções do single de estreia do grupo, que tem o nome de (olha que isso é um spoiler, hein!!!) Liella!, enquanto o single se chama “Hajimari wa Kimi no Sora” e você pode ouvir as músicas dele aqui. Lembrando que a carismática Keke Tang é interpretada pela fofa da Liyuu, que cantou o primeiro encerramento de Million Lives e a abertura de Hatena Illusion.

Até a próxima!

P.S.: É claro que Superstar!! vai ser coberto por mim aqui no Anime21. IDOL HELL, AQUI VAMOS NÓS!!!

Extras

Comentários