Those Who Hunt Elves (Elf wo Karu Mono-tachi ou Os Caçadores de Elfas) foi um dos primeiros isekais que assisti/li. Com o seu primeiro mangá criado em 26 de novembro de 1994 (digo primeiro porque tem um segundo em andamento porque o autor inventou de fazer o “Elf wo Karu Mono-tachi Returns” em 27 de setembro de 2007 e “Elf wo Karu Mono-tachi 2 em 30 de janeiro de 2013”) e anime produzido em duas temporadas (a primeira em 4 de outubro de 1996 e a segunda em 1º de outubro de 1997), foi uma das séries que abriram portas para muitas pessoas da comunidade otaku. Embora nem todos tivessem condições para pagar TV a cabo e ver as pérolas que passavam no canal Locomotion, algumas pessoas conseguiram assistir através de fansubs, ou então pediam para gravarem coisas diferentes em VHS.

Eu fui uma das pessoas que teve a oportunidade de assistir dublado pela Locomotion. Desta vez, eu procurei assistir legendado para meios de comparação, e posso dizer que a dublagem brasileira era o suprassumo da época, superando mesmo a japonesa. Eu tinha 13 anos na época que assisti, e hoje tenho 28. Com 15 anos de diferença já dá para notar muitas coisas.

A história de Those Who Hunt Elves é a seguinte: três pessoas – um lutador de karatê que só pensa em comer curry e tem o cérebro praticamente atrofiado (Junpei), uma atriz bonita, educada e muito inteligente (Airi), e uma menina “otaku” de objetos militares, que ora é madura e ora é totalmente mimada (Ritsuko) – foram parar em um mundo onde existem magias, monstros e elfas através de um encantamento feito por Celcia, a chefe das elfas. Para mandá-los para casa, seria preciso realizar um outro encantamento, que daria certo sob concentração total. Porém, com a intromissão de Junpei, Celcia se desconcentra e toda a magia acaba dando errado, espalhando fragmentos de feitiço por aí. Mas eles acabam sendo tatuados no corpo de várias elfas e, muitas das vezes, é preciso despi-las para encontrá-los. Será que os quatro encontrarão todos os fragmentos e Junpei, Airi e Ritsuko conseguirão voltar para casa?

Ler o artigo →

Devido ao sucesso da primeira parte, aqui vos apresento uma continuação com mais animes do gênero – e no final, um apanhado de alguns que ainda estão para ser lançados. Alguns não são consideradas isekai por todo mundo (apesar de ser e temos um artigo que trata desse assunto bem aqui). De qualquer forma, vamos a lista!

Ler o artigo →