Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

O episódio que encerra a tão maravilhosa atuação de Gakkou Gurashi nessa temporada de verão, foi bom. Nada além disso. Como fã declarada, eu esperava poder ver e sentir muitíssimo mais do que pude através do que me foi oferecido. Posso estar parecendo muito exigente, mas um final apenas “bom” para um anime que foi mais do que excelente durante a temporada inteira… não pode ser considerado exatamente um elogio.

Curta o anime21 no facebook:

Dessa vez, mudaram completamente o padrão inteligente e detalhista de explorar os acontecimentos e expor informações para o espectador. Talvez isso se deva à falta de tempo. Quem sabe se houvesse pelo menos mais um episódio para desenvolver esse arco final, os resultados teriam sido mais fiéis ao estilo que o anime seguiu durante a temporada toda? Ou, talvez, apenas tenham considerado mais importante encher esse episódio de ganchos para uma segunda temporada do que realmente planejar as cenas de forma minuciosa, como haviam feito com os outros onze episódios que assistimos?! Eu não sei, mas se precisasse apostar em uma das opções, apostaria na segunda. Até o episódio nove (“Feriado”), que foi um dos mais fracos e criticados, pareceu bem melhor planejado do que esse.

Quando digo episódio “bem planejado”, eu me refiro a capacidade de extrair o máximo de emoções até dos detalhes mais simples. Nos anteriores, desde o primeiro, houveram incontáveis cenas que conseguiram deixar o nosso coração acelerado pela simples variação de luz; uma frase com significados mais profundos; a introdução de uma música sombria no momento certo; um olhar de desespero diante de um pensamento ruim… Enfim, coisas simples em situações bem menos arriscadas do que as que estávamos vendo acontecer nos últimos episódios, conseguiram facilmente nos fazer entrar em pânico! Enquanto que nesse tão aguardado episódio final, onde a história alcançou o máximo de perigo e possibilidades de desastre que poderia ter alcançado, assistimos a tudo como se estivéssemos acompanhando o final de um simples slice of life de temática leve e feliz (acho que o final de Himouto! Umaru-chan conseguiu me deixar mais apreensiva…). Isso fica mais evidente quando comparamos esse episódio aos dois anteriores. Parece até que estamos vendo outro anime, completamente diferente! Todo aquele “terrorismo emocional” que fizeram conosco foi em vão? Foi só para nos enganar? Para nos fazer pensar que nosso amado grupo sofreria as consequências de subestimar a realidade de um apocalipse zumbi, assim como Megu-nee sofreu? É claro que seria doloroso presenciar uma tragédia completa, acho que ninguém gostaria de ver isso. Mas também é, no mínimo, incoerente fazer todos os problemas sumirem em cinco minutos e usarem todo o restante do tempo para as garotas curtirem umas às outras e se despedirem da escola com uma formatura ao maior estilo Angel Beats de emoção e pacificidade. Onde está o terror psicológico que nos foi vendido até mesmo nas aberturas e encerramentos durante a temporada inteira? Tudo deveria mesmo ter sido tão fácil assim?

Formatura com direito a discurso e entrega de certificados.

Formatura com direito a discurso e entrega de certificados.

Dentre todas as preocupações que as sobreviventes tinham para esse episódio, a maior delas era a grande quantidade de zumbis que havia dentro da escola. Começaram o episódio abordando isso muito bem, com os corredores escuros e a Yuki tendo dificuldades de encontrar uma forma de passar por eles. A atmosfera estava perfeita para acompanharmos com apreensão a grande estratégia que a Yuki teria preparado para que o Clube de Vida Escolar pudesse sair da escola em uma fuga tão emocionante quanto tudo o que havíamos visto até aquele momento. Porém, antes de ser revelada a “incrível” estratégia da Yuki, aconteceram duas coisas que tiraram a nossa atenção do medo que devíamos sentir, e colocaram no questionamento sobre a lógica por trás do que estávamos vendo. A primeira foi um grupo de zumbis ajoelhados devorando uma aluna (apesar de ser uma cena rápida, é possível identificar que a vítima estava usando a saia verde do uniforme da escola). Ora, se as únicas sobreviventes daquela escola são as garotas do Clube de Vida Escolar, então os zumbis estavam mordendo o corpo de outra zumbi igual a eles?!? Desde quando zumbis têm interesse na “carne morta” de outros zumbis?? Que belo furo, ein. A segunda cena é a que mostra a atitude heroica de Taroumaru salvando Yuki dos zumbis. Eu precisei pausar essa cena, respirar fundo e perguntar: se ele se lembra do passado e ainda consegue agir de acordo com suas memórias, por que raios ele atacaria e perseguiria a Kurumi, mas lutaria contra outros zumbis para proteger a Yuki?!? Aliás, se ele ainda possuía essa coragem de enfrentar outros zumbis, por que não tentou defender a Miki?!? Ela também estava cercada por zumbis (em uma quantidade muito maior do que a do grupo que cercou a Yuki, inclusive) quando abriu a porta da sala onde ele estava trancado, mas ele simplesmente a ignorou e fugiu.

Quem precisa de lógica?

Quem precisa de lógica?

Como essas memórias dos zumbis funcionam, afinal? O fato dos zumbis terem saído da escola ao ouvir o pedido da Yuki, está de acordo com a lógica do anime. Se eles possuem memórias e passaram tanto tempo ouvindo esse tipo de recado sendo dado daquela maneira, poderiam mesmo estar com a mente condicionada a tomar a atitude de ir embora ao reconhecer aquele som. Porém, isso significa que eles são capazes de ouvir um som e interpretá-lo de uma maneira suficientemente consciente a ponto de tomar uma atitude com base no que escutaram. Isso também não deveria significar que é absurdo eles seguirem bolinhas que as garotas jogam no chão para distraí-los? Ou que Megu-zumbi deveria ter reagido de uma forma diferente quando Miki fez aquele discurso antes de matá-la? Miki a chamou de Sakura Megumi Sensei e de Megu-nee também, assim como todos os seus alunos a chamavam. Ela não poderia ter reconhecido o próprio nome e ter demonstrado uma atitude menos agressiva e mais humana? Bom, me parece que essa lógica das memórias dos zumbis só funciona quando é conveniente para a história. Então reclamar deve ser perda de tempo, deixemos isso pra lá.

Quando a Yuki estava na sala de comunicação, recitando o seu lindo texto sobre a escola, que é basicamente o mesmo que ela diz no primeiro episódio, ela começa a se lembrar de momentos doces que viveu com suas colegas de sala antes do apocalipse zumbi. E enquanto os zumbis vão embora, o interior da escola é mostrado de uma forma muito iluminada. Tanto que os corredores parecem estar do jeito que a Yuki via em suas ilusões. Isso me fez não levar a sério nada do que estava sendo mostrado. Fiquei imaginando o que é que poderia estar realmente acontecendo enquanto estávamos ali vendo, possivelmente, mais um de seus devaneios. O modo rápido com que os zumbis aceitaram o seu educado pedido de “vão para casa”, colaborou bastante com esse pensamento. A Miki conseguiu voltar ilesa para a sala do clube, a Kurumi acordou com mais disposição do que eu e até mesmo o Taroumaru parecia estar bem. Tudo estava dando tão certo e de uma forma tão rápida e fácil que não parecia ser verdade. Eu só consegui acreditar que aqueles acontecimentos eram reais, quando mostraram a morte do Taroumaru. Aquilo foi doloroso demais e jamais aconteceria em uma ilusão da Yuki. Então foi aí que veio a decepção! Pois percebi que o anime não ofereceria nada de surpreendente em seu episódio final. E, por mais que a forma que a Yuki se livrou dos zumbis seja aceitável, eu esperava algo melhor elaborado, que exigisse mais coragem ou inteligência. A cura da Kurumi também foi muito mal aproveitada: em um momento mostram a seringa no chão, indicando que já aplicaram o remédio nela; no outro, sem o menor suspense e sem nem nos dar tempo de se preocupar se vai mesmo funcionar ou não, ela já acorda toda enérgica, pronta para se aventurar por aí novamente. O único momento que foi realmente trabalhado de forma “decente”, foi a morte do Taroumaru. Aquilo foi cruel! Nos fizeram acreditar que ele tinha uma chance de continuar vivo e logo em seguida ele morre no colo da Miki… Meu coração ficou em pedaços! Porém, foi uma morte digna e bela (jamais te esquecerei, Taroumaru!).

De nada, quebre o meu coração sempre que quiser...

De nada, volte e quebre o meu coração sempre que quiser…

A morte do Taroumaru foi considerada heroica por ele ter salvo a Yuki e, consequentemente, ao grupo todo, mas também foi revelado que há outro cachorro na escola que também foi salvo por ele. Esse é o motivo pelo qual Taroumaru foi mordido por Megu-zumbi. Considerando que esse cachorro aparece no final, no local onde Taroumaru foi enterrado, talvez isso signifique que ele seguirá as garotas (através do cheiro que ele farejou na touca da Yuki) e elas o adotarão. Ou então ele só apareceu para provar que realmente existe outro cachorro e que ele está vivo graças a coragem do Taroumaru. Não há como saber por enquanto.

O cachorro misterioso desenterrou a touca da Yuki para tentar seguir o grupo?

O cachorro misterioso desenterrou a touca da Yuki para tentar seguir o grupo?

Além do cachorro misterioso, há várias informações que foram colocadas no episódio para manter esse final o mais aberto possível para uma segunda temporada. As garotas estão indo para um local onde acreditam haver outro abrigo tão bem equipado quanto a escola: a Faculdade Santo Isodore. Também há uma Empresa por perto chamada Umbrella “Randall Corporation”, marcada no mapa. Então, caso seja confirmada uma nova temporada, veremos o cotidiano delas em uma faculdade? (Qual seria o nome do anime? Gakkou Gurashi [University-Live!]?) Bom, levando em consideração que essa não é uma história convencional de zumbis, pois a temática central e a fonte dos principais conflitos abordados nos arcos sempre foi o estado psicológico das sobreviventes, especialmente o da Yuki; será que conseguiriam um resultado tão positivo assim se o foco da história passasse a ser a luta contra os zumbis ou qualquer coisa diferente do embate psicológico que acompanhamos nessa primeira temporada? Todas as garotas parecem ter amadurecido e superado quase totalmente seus traumas. Portanto, não acho que seria convincente insistir nas questões psicológicas. Será que erraram ao não escolher dar um fim totalmente original e fechado ao anime? Essa resposta, só os leitores do mangá devem possuir.

O meu pedido foi atendido: a Kei-zumbi apareceu!

O meu pedido foi atendido: a Kei-zumbi apareceu!

Apesar de ter ficado um pouco decepcionada com esse episódio final, pois o anime tinha potencial para entregar algo bem mais emocionante, acredito que isso não muda o fato de que Gakkou Gurashi trouxe uma proposta diferente e inovadora e conseguiu executar a sua história incrivelmente bem. Certamente merece ser considerado um dos melhores da temporada e ser lembrado por muito tempo como uma obra fascinante cuja forma de narrar os fatos e nos envolver no universo interior de cada personagem, beira à perfeição! Obrigada a você, leitor, por ter percorrido esse maravilhoso caminho conosco.

  1. Eu realmente não sei se isso foi um erro de animação, ou se foi, como de costume durante o anime inteiro, algo que eles quiseram nos passar de forma subliminar, mas nessa parte (
    https://33.media.tumblr.com/1d3d74360a26b6f4c17d05e72c41015e/tumblr_nv6ro3NPVI1r6l1xro1_540.gif), esse reflexo no espelho me faz ficar, no mínimo, pensativo. Eu duvido muito que tenha sido um erro, e realmente quero acreditar que há algo que eles queiram nos passar.

    Quanto à uma segunda temporada, nunca se sabe neh? Mangá ainda tá rolando, e o anime fez sucesso, relativamente. Realmente não consigo pensar em como seria depois que elas saíram da escola, mas as informações nos dadas sobre (o cachorro na escola e a menina do final) podem indicar a real intenção de produzir uma continuação. Mas bem né, vai saber…

  2. Bem, acho que devo discordar metade do que você falou do episodio!

    Exemplo, Taromaru, acredito que ele só tenha memorias residuais de “salvar alguém em perigo”, mas que como é zumbi, ele atacaria uma pessoa que NÃO está em perigo! Exemplo: A Miki não estava a ponto de morrer dos zumbis na hora, por isso ele não salvou, embora eu ache mais provável que seja por causa da alegria de poder sair de dentro daquela sala, que acabou correndo e nem deu atenção a ela.

    E sobre os sons, é um conhecimento básico sobre os zumbis: Assim como cachorros confiam no faro, zumbis confiam no que ouvem! Por isso acredito que seja bem logico bolinhas distraírem eles e tal.

    Agora vou pra uma cena que não achei, sobre os zumbis devorando uma aluna. Não conssegui ver como foi a cena, mas dependendo do quanto apareceu da aluna, será que não era a Kei? (amiga da Miki que a mesma aparece zumbi no final)

    Mas tem coisas que devo concordar contigo! Tipo a parte da vacina, poderiam ter dado um drama se realmente funcionou ou não!!

    Bem, acho que é só! (desculpa discordar a algumas de suas opiniões, só queria dar minha opinião)

    • Oh, não tem problema discordar ^^
      É divertido e saudável debater sobre pontos de vista diferentes 🙂
      Quando eu falei sobre a maneira dos zumbis reagirem aos sons, talvez eu não tenha me expressado muito bem, mas pra mim não faz sentido por causa dessa “capacidade de interpretação” que deram aos zumbis. Se eles sabem interpretar que aquela mensagem da Yuki é um aviso da escola que significa que eles devem ir embora, por que eles não seriam capazes de interpretar também que, por exemplo, o barulho de uma bolinha quicando no chão é, realmente, apenas uma bolinha quicando no chão? É um barulho que todo mundo já ouviu na vida e que eu aposto que, quando estavam vivos, a reação deles ao ouvir esse mesmo barulho, não era ficar seguindo a bolinha enquanto ela estivesse quicando… E, após adquirir os instintos de zumbi, por que eles deixariam de perseguir a sua presa (algo que interessa muito aos seus instintos de “matar a fome”), e passariam a perseguir o barulho de uma bolinha, que nunca significou nada para eles? Se eles fossem zumbis convencionais que simplesmente vagam por aí, sem explicação nenhuma para suas atitudes, faria sentido. Mas esses são semiconscientes! Eles estão presos a uma rotina; presos a lembranças do passado; presos a atitudes que eles mesmos tinham enquanto eram vivos (um bom exemplo disso é Megu-zumbi sempre voltando para a sua cadeira para tentar escrever em seu diário). Então, me parece no mínimo incoerente que os zumbis sejam tão inteligentes (como você mesmo disse: Taroumaru-zumbi conseguia até escolher a quem atacar, quando atacar e porquê atacar), e ao mesmo tempo tão burros (ficar perseguindo bolinhas quicando no chão, etc.).
      A cena dos zumbis devorando a aluna, aparece logo nos primeiros minutos do episódio. Nessa imagem aqui dá pra ver direitinho: http://imgur.com/DMy3hUC
      Eu não acho que seja a Kei porque, se fosse, isso significaria que ela entrou na escola durante a invasão dos zumbis (e sem ter sido infectada até aquele momento). Mesmo se ela tivesse certeza absoluta de que a Miki morava na escola e ainda não havia fugido, seria uma atitude imprudente demais tentar enfrentar tantos zumbis para entrar na escola (seria praticamente suicídio!). E também, o fato dela aparecer no final, voltando sozinha para a escola, me deixou com a impressão de que ela não fazia parte da horda de zumbis que estava na escola no dia anterior. É como se ela tivesse conseguido sobreviver até pouco tempo atrás e agora voltasse para escola porque foi recém-transformada em zumbi.

      No fundo, esses “defeitos” que eu apontei no artigo, não fazem tanta diferença assim quando se analisa em um contexto mais geral (e muita gente não se importa com isso). Mas foram coisas que me incomodaram um pouco e me impediram de ficar totalmente satisfeita com o anime, assim como eu estive no restante dos episódios. Por isso achei importante compartilhar essas impressões.

      • Bem, não dá pra ver direito a garota, mas vamos levar em conta que a Kei foi meio impulsiva deixando a Miki no shopping, ela provavelmente foi se aventurar pelo mundo (ou pela cidade). Ela com certeza demonstrou bravura na sua decisão de sair da toca e enfrentar o perigo. E se ela decidiu entrar na escola, na tentativa de achar pessoas vivas? É possível que ela tenha criado coragem como Kurumi e tenha decidido enfrentar os zumbis!! (um ato heroico, mas impulsivo) E bem, isso teria resultado na morte dela. (infelizmente)

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Impulsiva ela teria sido se tivesse saído assim que teve oportunidade. Ela ficou dias lá dentro. Talvez semanas. A decisão dela foi muito pensada e repensada. Imprudente talvez, mas não impulsiva.

        E acho que a cena do carro deixando a escola, com foco na Miki olhando fixamente para a zumbi solitária que lá entrava, não deixa espaço para dúvida de que aquela era zumbi era a Kei.

  3. Fábio
    Fábio "Mexicano" Godoy

    Vamos lá, minha vez de falar um pouco do que achei, depois de assistir, pensar, ler seu artigo e pensar mais um pouco.

    Em primeiro lugar, em Gakkou Gurashi existem claramente dois tipos de zumbis: os que morrem e viram zumbis (porque foram mortos por zumbis ou infectados por zumbis depois de mortos) e os que são apenas infectados mas não morrem. Isso está de acordo com a tradição geral dos zumbis em ficção. A coisa começa a ficar interessante quando analisada junto aos detalhes específicos dos zumbis de Gakkou Gurashi.

    O maior deles, aquilo que você chamou de consciência ou semi-consciência. De cara, eu não acho que se trate de consciência, mas de resposta reflexa. Desse modo faz sim sentido que reajam “humanamente” a coisas comuns do cotidiano, como o sistema de som da escola, mas não a coisas que meramente conhecem mas com as quais não estabeleceram uma relação de açao e reação enquanto vivas, como as bolinhas quicando. Nesses casos, é apenas a reação “zumbi” quem atua. Ainda assim, como explicar o Taroumaru? Não se preocupe, eu acho que ele não tem explicação mesmo. A essa altura já sabemos que ele não chegou vivo até essa altura da história, isso foi uma adição da equipe do anime com a qual não souberam lidar. Simples assim.

    A diferença entre zumbis “mortos” e “vivos” também deve explicar a diferença de tempo necessária no processo de zumbificação. Vimos durante a eclosão do desastre que zumbis eram criados quase instantaneamente em progressão geométrica: certamente porque a maioria deles deve ter morrido nos primeiros ataques. Em comparação, a Kurumi não morreu, e ainda teve seu ferimento tratado, evitando eventuais infecções (que poderiam levar à morte, como foi o caso do Taroumaru). Assim, a Kurumi não se transformou instantaneamente, e na verdade nem sei dizer se chegou a se transformar completamente. Ela estava se debatendo de forma furiosa, mas não vi nenhum outro zumbi fazer isso. Aquilo poderia ser apenas o processo de transformação. Ou talvez, ela tentando resistir a ele.

    Apesar de gravemente (mortalmente) ferida, me pergunto se não foi o caso da professora Megumi também. Pode ser um pouco de pensamento positivo demais de minha parte, acho que o provável é que tenha morrido mesmo. De todo modo, sendo a questão das “memórias” dos zumbis central em Gakkou Gurashi, preciso me perguntar se há diferença nisso para zumbis mortos e zumbis vivos. Talvez no caso dos vivos haja sim uma centelha de consciência? Um estado mental esquizofrênico como o que a Kurumi enxergou?

    E há também a questão que tanto te incomodou dos zumbis canibalizando outro zumbi. Aquilo me incomodou bastante também. Mas foi gratuito demais para não ter propósito: só precisavam mostrar zumbis ali, fazendo talvez qualquer outra coisa nojenta, não precisavam deles atacando outro zumbi. Não creio que tenha sido só para arrancar uma reação da Yuki (que tentou “salvar” o zumbi sendo devorado) porque essa reação foi no fim das contas inconsequente. Se por causa daquilo ela tivesse sido cercada por zumbis, eu pensaria na hipótese de ter sido só uma forçada de barra pra colocar a Yuki em tal situação, mas não foi o que aconteceu. Ela ficou cercada depois por nenhum outro motivo além de “o lugar estava cheio de zumbis, você acha mesmo que vai poder passar correndo por aqui como a Noviça Rebelde dança nos campos?”. Então chego ao ponto: e se aquele zumbi sendo devorado for um zumbi “vivo”? Sei lá, zumbis devem ter olfato apurado para carne fresca. Ou talvez desenvolvam a habilidade de detectar campos elétricos, como os tubarões, e assim percebem os débeis pulsos cerebrais ou talvez até o bater do coração dos ainda vivos, mesmo que já zumbis.

    Em resumo, eu não acho que zumbis tenham qualquer forma de consciência, e só concordo completamente com um dos furos que você apontou. O outro é incômodo sim, bastante, mas acredito que faça muito sentido na continuação da história.

  4. Acho que tem algo errado com a yuki(ainda m ais pelo reflexo),mas vc não mencionou a garota que aparece na cena pós-credito segundando a carta que as meninas levaram ao céu alguns episodios atrás,Não sei como seria uma season 2,mas ah quero muito ja que o anime deixou pontas soltas,kurumi só demorou pra se transformar por conveniencia do roteiro.MAs a meslhor parte fica com a morte de taroumaru que simplesmente quebrou meu coração e aquele “Obrigado” foi o fim simplesmente desabei,mas foi só isso realmente achei estranho a kei ir pra escola,afinal se ela tivesse sido transformada na mesma época do ataque ao shopping ela deveria estar na escola,mas como ela apareceu no final pode significar que ela foi transformada a pouco tempo,Mas enfim no geral foi um otimo anime que com certeza vai ficar no meu pc por um longo tempo

    • Cara, eu terminei o anime pensando que a Yuki já tinha superado tudo, e que ali era o fim de tudo. Mas o reflexo, junto com o cachorro na escola e a menina que pega o desenho delas me faz acreditar que sim, é possível que haja uma nova temporada. Só que eu não imagino como poderia ser,a vida delas fora da escola. Elas ficariam só as 4, se juntariam a um grupo? O foco principal ainda seria na forma como elas vivem em meio à tudo aquilo ou eles transfeririam o foco majoritariamente para a sobrevivência? Eu me esforço, mas não consigo pensar no que poderia se tornar.

      Quanto à questão da Kei, realmente, por ela estar na escola, isso significa que ela não escutou o discurso da Yuki, o que pode nos dizer que ela foi morta pouco há pouco tempo. Eu creio que essa é a única explicação. Mas ainda assim, eu achei muito estranho. Por que foi do nada, e a Miki teve uma reação triste, mas não é a reação que eu esperava que ela tivesse. Afinal, ela se culpa por não ter acompanhado a Kei, e por tê-la deixado ir sozinha procurar ajuda. Eu creio que ela não superou isso, e talvez isso até tenha se agravado depois que o Taroumaru morreu, por que ele lembrava a ela dos tempos em que os três viviam juntos no shopping.

      Enfim, é tanta coisa… xD

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Adoraria, porque adoro mangás (tenho uma coleção respeitável junto com minha irmã, dá uma olhada: http://www.guiadosquadrinhos.com/capas-dos-gibis-da-colecao/godoy-rodrigues-da-silva/45583), mas não dá.

      O Anime21 é um blog de anime. O tema mangá pode surgir em artigos sobre animes quando tem alguma relação com o artigo. Mas para ter artigos exclusivos sobre mangás precisaríamos de uma equipe nova, dedicada a isso. Eu adoraria, como já disse, mas acredite: isso é difícil pra caramba. Se com a equipe atual nos dividíssimos entre anime e mangá não conseguiríamos nos dedicar o suficiente nem para um nem para o outro. Seríamos mais um blog pato: um pouco de várias coisas, nenhuma delas direito.

      Desculpe por frustrar sua expectativa.

      E obrigado por nos privilegiar com sua presença e participação =)

Comentários