Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Antes da Revolução Industrial o trabalho não era visto com bons olhos, sendo considerado algo que só era feita por servos/escravos, mas depois desse fato histórico a concepção de trabalho mudou de uma coisa equivalente à tortura para a aplicação das forças e faculdades (talento, habilidades) humanas para alcançar um determinado fim, e tal atividade, hoje em dia, pode não exigir tanto esforço, podendo até ser divertido, e é nesse ponto que eu queria chegar, pois irei comentar um anime divertido que se passa em um ambiente de trabalho.

Quem nunca quis trabalhar em algo que gosta ou transformar sua diversão em algo rentável? Eu, por exemplo, gostaria muito de poder ganhar salário falando de animes, entretanto, isso está longe de ser realidade, enfim… A protagonista desse anime, Aoba Suzukaze, realizou seu sonho de trabalhar na empresa que fez seu jogo favorito, e ainda por cima ela irá trabalhar na sequência desse mesmo jogo que ela gosta.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


No mundo dos adultos, Aoba é só mais uma trabalhadora na multidão

New game é baseado em um mangá e sua adaptação para anime feita pelo estúdio Doga Kobo esteve no ar entre Julho e Setembro de 2016 (temporada de verão). Uma continuação foi confirmada para este ano, com sua estreia marcada para a temporada de verão (Julho).

A história desse anime gira em torno de uma garota que acaba de se formar no ensino médio (embora tenha a aparência de uma garotinha do fundamental) que está dando os seus primeiros passos na vida adulta ao conseguir seu primeiro emprego.

Trabalhar é uma forma de ser independente e significa que você terá que assumir grandes responsabilidades. O lado bom é que você tem a sensação de independência financeira, dando o direito de gastar o seu salário como quiser, mas isso não quer dizer que você não sofrerá as consequências, sejam elas boas ou ruins, pela maneira que você gasta o salário. Enfim, voltando ao anime, a história apresenta o ambiente de trabalho e seus respectivos funcionários (irei falar dos personagens mais pra frente), além de mostrar a interação da protagonista com os seus companheiros.

Da esquerda para a direita: Hajime, Yun, Aoba e Hifumi

Embora o anime seja uma comédia, a história apresenta algumas situações parecidas com a realidade, como o fato da protagonista querer mostrar serviço logo no primeiro dia de trabalho. Vemos aquele funcionário mais extrovertido, também temos os mais tímidos, até vemos os personagens em um happy hour. Outra coisa relevante é que entre uma situação cômica e outra acontecem situações normais que ocorrem em qualquer empresa, como prazos a serem cumpridos, metas a serem alcançadas, atrasos de funcionários, pressão para entregar tudo dentro do prazo determinado.

Os personagens são carismáticos e fazem com que a história seja divertida, pois mesmo sendo adultos, eles têm comportamentos malucos e até imaturos que fazem com que eles se envolvam em situações divertidas e engraçadas. Cada um deles têm uma personalidade distinta que vai desde a personagem extremamente tímida, que só se comunica por mensagens, até uma fanática por coisas militares.

O anime apresenta um character design agradável, cenários coloridos, já que animes slice of life/comédia de “garotinhas” geralmente passam uma imagem feliz e positiva. Outra coisa a ser ressaltada é que antes da série estrear criou-se uma expectativa de que esse anime seria um “Shirobako” dos games (para quem não conhece, Shirobako é um anime que fala sobre animação e mostra um pouco da indústria de animes), entretanto, não recomendo enxergar New Game dessa forma, pois são propostas diferentes. Esse anime do qual estou comentando tem como objetivo mostrar situações engraçadas naquele ambiente de trabalho, que no caso é uma empresa de jogos. A história mostra também um pouco do processo de criação de um jogo, e claro, fofura na dose certa.

Aoba dormindo no trabalho (dizem que nos estúdios de animação também é assim)

Comentários