Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Princess Principal enfim mostrou como Chise, a espiã samurai (eu a chamei de ninja até agora, não foi? Isso está bastante errado, me perdoe, Chise). Ela veio do Japão, lógico, mas junto com ela veio uma carga enorme de referências históricas que certamente te deixaram bastante empolgado caso as tenha reconhecido e se interesse por isso. Se não reconheceu todas as referências, esse artigo irá cumprir esse papel, enquanto comenta sobre o episódio.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Chise veio junto de uma delegação japonesa de alto nível que buscava renegociar acordos diplomáticos com o Reino. A citação à Guerra Boshin dá a necessária contextualização histórica para que se compreenda o que está acontecendo. A Guerra Boshin é conhecida também como Revolução Japonesa, e foi travada entre 1868 e 1869 entre as forças do xogunato e as forças imperiais. Com a derrota do xogunato, a Restauração Meiji se completou, encerrando mais de duzentos anos do Xogunato Tokugawa e devolvendo todo o poder político para o Imperador. Seu desfecho teve algo de irônico, pois a rebelião contra o xogunato começou em primeiro lugar por causa da abertura para as nações estrangeiras, o que o xogunato foi forçado a fazer pelo Comodoro Perry em 1854. Era, portanto, uma reação contra a ocidentalização do país e a abertura de seus portos para o comércio exterior – clãs insatisfeitos se levantaram contra o Xogum e se reuniram ao redor do Imperador, que por fim os acolheu. Mas antes do fim da guerra também a Corte Imperial se havia decidido a continuar modernizando (ocidentalizando) o Japão e mantê-lo aberto ao mundo. Teria sido uma vitória inútil para os supostos tradicionalistas, não tivessem eles galgado altos postos na burocracia do novo governo.

Ao longo do episódio Chise e Ange se entenderam

Além do novo alinhamento político, o que manteve o Japão na rota da abertura para o ocidente foram os múltiplos tratados assinados com nações estrangeiras desde aquele primeiro Tratado de Kanagawa (o do Comodoro Perry). Coletivamente, esses tratados ficaram conhecidos como Tratados Desiguais, por razões intuitivas: as potências estrangeiras ficavam com todas as vantagens e o Japão com todo o ônus. Foi precisamente para renegociar algum ou alguns desses tratados que Horikawa viajou meio mundo até o Reino, junto com Chise e perseguido por Jubei, secretamente apoiado pelo Duque da Normandia. A essa altura já é mais do que seguro afirmar que o Duque é o vilão principal de Princess Principal, certo? Ele quer casar a princesa com os russos, ele quer que ela morra, ele quer que tudo aconteça com ela exceto que ela continue vivendo sua vida normalmente. A vê como um empecilho – suponho que ele seja um dos três primeiros na fila para assumir o trono? Pelo menos foi isso que ele demonstrou temer que Charlotte possa conseguir fazer – ela é a quarta sucessora, mas e se ela passar alguns?

Chise é uma samurai do Domínio de Saga, em Kyushu, que durante a Guerra Boshin lutou ao lado das forças imperiais – daí que Jubei seja considerado um traidor. Após a Restauração Meiji várias rebeliões samurais aconteceriam no Japão antes do país estar completamente pacificado sob a bandeira imperial, e a primeira delas, em 1874, foi a Rebelião de Saga. Agora estou bastante curioso com o rumo que o anime irá tomar. Será que a traição de Jubei em si simbolizou a Rebelião de Saga e vai ficar por isso mesmo, ou será que ela ainda irá acontecer? Se ela acontecer, o que será de Chise? Ela não está no Japão, claro, mas será que ela não seria afetada nem um pouco? Me parece uma linha de enredo que o anime pode vir a explorar.

Em termos de drama o ponto alto do episódio sem dúvida foi a luta entre Chise e Jubei – entre pai e filha. Em algum momento lá pelo meio do episódio algo apitou na minha cabeça me dizendo: “Chise é filha do Jubei”, e bom, foi isso mesmo. Jubei foi descrito como sendo um mero assassino, e acho que isso não faz justiça à Chise, desvalorizou um bocado a história pessoal dela. Com o devido contexto histórico é fácil entender que Jubei não era um mero assassino, ele estava, a seu modo, lutando pelo que acreditava – assim como a Chise. O inevitável choque mortal entre pai e filha foi resultado do irreconciliável choque ideológico entre eles, fruto de uma nação ainda subdesenvolvida, passando por um período turbulento, cheio de mudanças políticas e sociais. Só resta à Chise chorar por sua perda, lamentar viver no tempo em que vive e as escolhas que é forçada a fazer.

  1. thiagofrancodeoliveira

    Obrigado por Todo o Contexto Histórico que vc colocou no Texto,eu já tinha gostado do Episódio e meio que entendido,agora eu o entendi completamente e gostei ainda mas,Parabéns pela Review e até a próxima Abraço !!!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Muito obrigado!

      Estou gostando bastante de Princess Principal, o anime tem sido impecável em tudo, animação, roteiro, personagens, e até mesmo inserção histórica.

      Volte sempre para ler e comentar =)

Comentários