Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Quando o fim do ano chega, não importa em que país você more ou quão satisfeito/insatisfeito esteja com tudo o que possa ter acontecido na sua vida até aquele momento, natal e ano novo sempre serão ocasiões diferenciadas e especiais. Isso se deve ao clima de renovação, tanto de sonhos quanto de vínculos afetivos, que contagia a todos de alguma forma. Até mesmo a nossa preguiçosa favorita demonstrou empolgação para participar dos preparativos desses dias festivos e comemorá-los ao melhor estilo Umaru possível.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Episódios natalinos são cheios de clichês e essa palavra sempre faz muita gente retorcer a boca imediatamente em desaprovação. Eu nunca me importei com isso, afinal, cada anime é um universo diferente e faz com que as nossas impressões sejam (quase) sempre distintas. No caso de Himouto, eu diria que o resultado alcançado foi transformar a já estabelecida identificação que possuímos com a Umaru, em algo mais amplo e profundo. Digo isso porque, em meio a tão habitual alegria em celebrar a chegada do inverno e a sempre tão aguardada modificação da cidade para se tornar um lugar cheio de luzes coloridas, eu realmente não esperava conseguir perceber e sentir de forma tão poética os sentimentos de Umaru como foram retratados na primeira metade do episódio. Taihei teve que ir trabalhar na véspera de natal e isso fez com que Umaru ficasse um bom tempo sozinha. Por mais que ela goste de se isolar em casa para jogar vídeo game, ler mangás e comer besteiras (ela chegou a se chamar de “hikikomori profissional” nesse episódio! Haha); Umaru também ama a companhia de outras pessoas, especialmente de seu irmão, que tem sido sua única família nos últimos tempos. Era notável a ansiedade com que ela aguardava o retorno dele e a forma constante que olhava para a neve caindo lá fora, imaginando suas amigas passando o natal com suas respectivas famílias. Foi uma bela forma de transmitir ao público toda a solidão que ela estava sentindo naquele momento. Conseguir fazer com que a gente se sinta envolvido de uma forma tão simples com esse tipo de sentimento dela, só faz com que Umaru se torne uma personagem cada vez mais adorável e de um jeito tão natural que o foco não sai da comédia, mas também não cai no “pecado” do humor vazio.

Kotatsu é uma coisa tão legal. Eu sempre quis ter um.

Kotatsu é uma coisa tão legal. Eu sempre quis ter um.

Como já era esperado, Sylphyn e Alex são mesmo irmãos. O uso repetido de infinitas coincidências convenientes como essa, me irrita um pouco. Nesse caso, nem é pelo fato das respectivas amigas mais próximas de Umaru possuírem irmãos que sejam justamente os colegas de trabalho mais próximos de Taihei, mas sim pela obrigatoriedade que isso cria em haver um motivo direta ou indiretamente ligado a alguma relação com a Umaru para que qualquer personagem, por mais simples que ele seja, possa ter o “direito” de aparecer em cena. Para quê mostrar aquela reação completamente exagerada da Sylphyn ao ver o Alex (no quarto episódio), podendo facilmente ser confundida com paixão, se depois seria revelado que eles são apenas irmãos? Ele não poderia estar na história simplesmente para ser um pretendente da Sylphyn, sem precisar realmente de um motivo maior que justificasse a presença dele no “universo Umaru”?! Essa necessidade de colocar uma justificativa para tudo, deixa as relações muito forçadas. Até mesmo a nova personagem, Kanau, que já havia aparecido antes (stalkeando o Taihei) mas só agora ganhou um nome e um pouco mais de espaço, já mostrou sua justificativa para “ter direito” a estar ali: ela já possuía uma ligação anterior com o Taihei, pois era amiga dele e do Bonba desde a época da escola. Esse vínculo no passado acrescenta alguma coisa realmente relevante à história deles? Na minha opinião: não. Assim como ela não confessou seus sentimentos para ele quando eram colegas de escola, talvez também não confesse agora que estão em uma hierarquia diferente. De qualquer forma, acredito que não teria sido nada incomum se ela o conhecesse apenas depois que passaram a trabalhar juntos naquela empresa e mesmo assim ela ainda se apaixonasse por ele. A vida real não se preocupa tanto assim com a lógica, então porque um anime de humor deveria estar se amarrando a isso?

A Kanau é muito fofa, mas o shipp mais forte sempre será Taihei x Ebina.

A Kanau é muito fofa, mas o shipp mais forte sempre será Taihei x Ebina.

Se o foco do natal é a união das pessoas, o ano novo está ligado às promessas de mudança de vida (é como dizem: “o ano novo é a segunda-feira do gordo”). Eu não consigo cumprir nem as resoluções que planejo de um dia para o outro, quanto mais as que servem para um ano inteiro. Portanto, acho que Umaru entrou em uma grande roubada quando prometeu ao seu irmão que se comportaria melhor no ano que vem. De acordo com a cronologia de Himouto, o novo ano já começou e as cobranças de Taihei para que Umaru cumpra a promessa, também. Vou ficar por aqui observando como ela vai fazer para escapar disso, afinal, já está chegando aquela época do ano em que nós mesmos vamos começar a planejar quais resoluções devemos continuar não cumprindo ano que vem. Quem sabe a Umaru consegue nos dar uma forcinha nisso, não é mesmo?

Comentários