Olá pessoal, aqui quem fala é o Kakeru17, e a partir desse artigo estarei assumindo a análise de Re:Creators. Espero que consiga manter o bom trabalho que meus colegas vinham fazendo e que tenha muitas coisas boas a falar do anime – o que, convenhamos, só dependerá dele!

Estou escrevendo sobre três episódios de uma vez, pois eles compreendem um momento específico da história. Do 17 em diante o contexto muda e, sendo assim, acho mais proveitoso falar logo desses e depois dos outros.

Em pouco mais de uma hora de anime podemos acompanhar as preparações para o evento que será usado para dar fim a Altair, o que não foi exatamente ruim, mas também não foi exatamente bom. Em um anime com uma penca de personagens com poderes especiais, designs legais e personalidades ao menos ok, passar vários episódios com extensos diálogos e nada de ação não me parece muito proveitoso.

“Me devolvam Gravity Wall e mantenham essas imagens, por favor!!!”

Acredito que estejam “economizando animação” para os episódios derradeiros, mas aí já é um problema de estruturação do anime. Desde o começo observo que ele vive muito de momentos, mas a maioria de seus episódios são diálogos por cima de diálogos, suposições feitas e logo tomadas como verdade e dramas que são até bem desenvolvidos, mas às vezes são explorados demais e ficam arrastados – sim Sota, essa foi para você, meu caro!

Bem, voltando a esses episódios em si, posso dizer que gostei da reunião com o pessoal da indústria do entretenimento. Quando via o episódio pensei: “Os otakus que vão salvar o mundo!” e, de certa forma, não estou errado. Eles foram vitais para desenvolver a “gaiola” do passarinho selvagem de uniforme militar, trabalhando com orçamentos apertados e prazos ainda piores, suponho eu. O anime perdeu uma boa chance de criticar diretamente a indústria na qual se baseia, uma pena, mas ao menos não deixou de “dar os créditos” devidos.

Design legal com história dramática como pano de fundo: confere!

Em meio a isso houve conflitos e inseguranças por parte dos criadores, que acredito terem sido bons, o problema mesmo é gastar um episódio todo só com isso e com a reunião. Uma forma boa de não deixar o episódio chato seria, em algum momento, mudar o foco para a Altair e seus companheiros, mas isso não foi feito e no final tivemos mais 20 minutos bem mornos.

Aproveitando essas “possíveis pistas” o anime ganhará pontos comigo!

Ao menos o 15 aproveitou o cliffhanger deixado pelo 14 e apresentou uma nova heroína, uma personagem de visual novel de encontro – daquelas que têm vergonha demais e calcinha de menos kkk. Ela é legal e, apesar de aparentemente ser inútil em batalha, pode vir a ajudar caso a ideia da aceitação de mudanças nos personagens e nas histórias dê certo. Não bastasse isso, conhecemos mais da história do Blitz, que aliás é realmente bem triste e espero que seja aproveitada para alguma coisa no futuro.

Se valer das fraquezas e traumas das “Criaturas” seria uma boa ideia do roteiro, já que no final são esses personagens que devem dar forma ao clímax da obra e precisam ter conflitos a serem explorados – lutar para salvar o mundo não é ruim, mas ter algo a mais sempre é bom…

Sonho de ver sua waifu se tornar real: confere!

O mocinho da história do Yuuya também foi “invocado” e ficará do lado dos vilões, o que é legal, pois pode render uma boa luta e um bom drama. Também houve uma conversa interessante da Magane com a cavaleira loira e da Altair com o Blitz, mas que ainda não acrescentaram nada demais à história. Outro episódio relativamente comum, porém, ele pareceu bem mais movimentado ao apresentar novos personagens e explorar ambas as partes da história. Teria sido melhor se tivessem dividido esses acontecimentos entre os dois episódios, mas fazer o quê né, a direção e o roteiro desse anime às vezes não parecem se encaixar muito bem.

Só não estou como ela porque o HYPE me sustém!

O 16 teve aquele clássico episódio de fontes termais que só os melhores animes têm e o acerto dos detalhes finais para o evento. Legal que na ED da primeira parte do anime havia cena de praia, mas tivemos foi um episódio com fontes termais, haha, olha um plot twist aí minha gente! Sarcasmos a parte, foi mais um episódio de preparação para algo maior, uma transição arrastada e que voltou a ser um tanto chata como foi no 14.

Transições entre um arco e outro não costumam ser muito movimentadas ou emocionantes, mas acho que esse anime pecou por ter gasto três episódios só com isso. Sabe o que teria sido bom? Usar uns dois ou três episódios para acrescentar coisas à história – ajudando a solidificar sua base – e formar o plano, e dois com esses preparativos. Isso com certeza daria uma sensação maior de recompensa pelo que quer que venha pela frente, já que poderia aprofundar dramas de personagens e problemas daquele mundo e assim aumentar o impacto de suas resoluções.

Waifu 10/10 com uma cara de “Onde foi que eu me meti?”: confere!

No geral foram episódios sem nada de muito interessante para comentar tanto no âmbito pessoal quanto geral. Não posso ser injusto e não dizer que a semente para um final interessante foi plantada; foi, mas fico receoso por serem seis episódios até o fim. Ou vai ser um evento arrastado ou vai ter algo a mais depois dele, o que teremos que pagar para ver!

Hip, Hip, Hurra!

Por fim, tenho que dizer que também achei interessante a Altair ter recrutado o protagonista masculino da história da Selesia. Quero saber com que argumentos ela o convenceu a se opor à sua companheira e quero que eles lutem e rendam boas cenas de ação e drama.

Se tem uma coisa que gosto em Re:Creators são as cenas de ação, então torço para que agora elas ganhem foco e movimentem o anime que por ter tido tanto tempo de preparação para esse evento acabou criando um hype considerável para ele. Acho isso arriscado, mas se o anime não corresse riscos agora não teria como ter um final melhor do que o já apresentado até aqui.

Party dos vilões fazendo pose estilosa: confere!

Bem, por hoje é só! Creio que o próximo artigo será mais animado e espero que nele eu não pareça só um chato reclamão que mais aponta pontos negativos que qualquer outra coisa. O que vai depender do anime, claro. Meteora e Altair, reúnam suas gangues de Nova York e me surpreendam!

Esse encerramento é excelente! Digno de um anime que fala de personagens de anime, etc…

Discussão