Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá, leitores! A temporada já começou e já trago o meu primeiro artigo dessa safra. O anime que irei abordar é de um estilo diferente do que costumo comentar normalmente no blog. Enfim, o anime que comentarei sobre é série de uma franquia muito conhecida no Japão chamada The Idolmaster, cuja sua fama se deve às idols fofinhas e bonitinhas. Mas que agora está trazendo sua versão direcionada ao público feminino. Aliás, essa foi uma bela jogada de marketing da franquia, que deve lhe render muito lucro.

Ler o artigo →

Quem aí gosta de animes malucos? Pois bem, você está no artigo certo. Urahara traz para essa temporada de Outono uma combinação inusitada de alienígenas, waifus e muita, mas muita cor.

A história começa calma e aparentemente normal, apresentando as personagens principais, mas do nada, o que parecia um simples slice of life se transforma em uma batalha contra extraterrestres.

O motivo dos alliens para atacar a Terra é meio nonsense, mas até que dá para compreender. Enfim, recomendo não levar a sério essa obra, pois se você levá-la a sério não vai gostar de jeito nenhum dela.

A princípio a obra não me conquistou, mas quem sabe posso dar umas boas risadas mais na frente, apesar da possibilidade do anime ser ruim do começo ao fim.

O maior destaque do anime baseado nesse episódio são as cores, o que contribui ainda mais para o aspecto nonsense da série.

As personagens interagem bem uma com a outra e não parecem ruins, com a exceção de uma que parece dramática demais, mas quem sabe ela não melhora ao ser desenvolvida. Sobre as outras, uma parece mais reservada, e a outra é mais animada e cheia de energia. Ainda tem uma quarta personagem que pouco se sabe ao seu respeito, fora o fato de ser fofinha e ter um mascote estranho.

Por fim, não há muito sobre o que comentar sobre essa estreia, que nem me desagradou ou me deixou empolgado para o próximo episódio.

Obrigado a todos que leram este breve e singelo artigo.

Caros leitores, eu convido vocês para conhecerem um lugar luxuoso e peculiar, o qual é principal cenário dessa história que irei abordar agora.

Konohona Kitan traz todo o conforto de uma pousada de estilo tradicional para que o espectador possa relaxar depois de um dia muito cansativo. Ao ver seu episódio de estreia me senti um hóspede que pôde acompanhar o dia a dia das suas simpáticas funcionárias, que são raposas em forma de garotas.

O character design faz jus à fofura e beleza das personagens, cujas interações de uma para com as outras aparentam ser um dos pontos fortes da série. E por falar em interações, isso será determinante para prender a atenção do público, pois em animes desse tipo as personagens tem mais relevância que o próprio enredo.

A história é muito simples, e não deve agradar a maioria, mas é aconchegante. O clima é muito leve e agradável, graças a uma paleta de cores colorida e do design bonitinho.

O ritmo lento não é um demérito aqui, pois faz com que o espectador fique bastante relaxado enquanto acompanha a rotina de uma nova funcionária que chegou para trabalhar no hotel.

As personagens seguem o padrão desse estilo de anime, sendo que a protagonista é a típica cabeça de vento. Temos a atlética e cheia de energia, temos a garota séria e responsável, entre outros tipos. Embora as personagens aparentam ser clichês, isso acaba sendo funcional, pois elas são agradáveis e fáceis de terem empatia do público que gosta desse tipo de obra.

Foi uma boa estreia para quem gosta de animes bonitinhos, mas acho que não deve ter chamado a atenção de quem não está acostumado a esse tipo de obra ou a animes mais lentos de modo geral.

Obrigado a todos que leram este artigo, e até a próxima!

Nisio Isin nos últimos anos vem nos presenteando com suas obras: a franquia de Monogatari, o mangá Medaka Box (2 temporadas de anime) e Zaregoto (8 OVAs) são exemplos disso. Juuni Taisen é um anime que apesar de ter uma proposta não tão chamativa, entregou um belíssimo episódio com cenas de ação fluídas e reviravoltas. Vamos saber mais sobre?

Ler o artigo →