Esse episódio trabalhou as “rejeições” do anterior, mantendo a maioria dos pontos fortes da obra, mas apresentando uma clara queda na qualidade e consistência da animação. Felizmente, não foi nada que pôs a perder a experiência agradável de assisti-lo e nem de comentá-lo, como farei agora.

Com o começo das aulas toda a estranheza advinda das situações do final do último episódio vem à tona, só que os personagens lidam com isso de formas diferentes. Enquanto o Haruto tenta continuar normalmente com a vida a Horikawa acha estranho ele não parecer mal por ter levado o fora, o que eu diria que seria maldade da parte dela se não fosse pela conversa que ela tem mais à frente no episódio e por eu saber que é natural a pessoa esperar isso dá outra. Quem nunca brigou com alguém ou rejeitou alguém e esperou que a pessoa estivesse mal depois? Não necessariamente por querer ver a outra sofrer, mas sim por achar que foi grande o impacto que isso deixou na pessoa.

Por outro lado, o Eita evita a Natsume, mas ela reconhece que errou e procura se acertar com ele, o que é bacana, porque mostra que o que ele falou a fez refletir, que ela dá importância a opinião dele. Sobre os ciúmes da Natsume, acho isso bom, porque se ela sempre se incomodar com a constante presença da Komiya em torno do Eita isso vai acabar provocando na mente dela a sensação de que a proximidade dos dois pode afastá-la dele, o que deve ajudá-la a perceber o que sente pelo garoto. Espero que role isso, até porque ela parece sentir mais ciúmes dele do que o normal para um amigo.

Após esse primeiro momento na escola vemos a diferença entre quem tem que estudar para o vestibular e quem já tem um emprego garantido após se formar, caso do Haruto. Seu tédio por não ter que estudar, sua tristeza pelo fora levado e a melancolia por jogar fora sua luva de baseball meio que como se estivesse abandonando seus sonhos no esporte são bem retratados pelo anime e as partes do jogo que têm uma trilha sonora que favorece a comédia são até legais, mas o que brilhou mesmo para mim foi o momento em que o Eita devolve ao amigo a luva que ele resgatou do lixo.

Depois ele agradece a gentileza, mas sem se aprofundar o diálogo, o que foi ótimo, porque não foram precisas muitas palavras para percebemos que os dois são realmente amigos e que é isso o que amigos fazem, apoiar e animar um ao outro, não deixando que ele desista de algo que o faz feliz. Só senti falta deles conversando sobre o fora, mas imagino que devem ter falado sobre isso antes ou falarão depois. Por outro lado, tivemos um ótimo momento entre a Horikawa e a Natsume.

Amigo de verdade mete a mão no lixo por você se for preciso!

A conversa entre as duas foi bacana, porque apesar delas não serem muito próximas não é incomum uma garota se abrir com uma colega com a qual se dá bem e que estava por dentro da situação. Saber que ela não soube reagir de uma forma melhor a confissão por sua inexperiência e nervosismo e que tem motivos bem plausíveis para não ter aceito – afinal, eles se aproximaram a pouco tempo mesmo e se ela vai se mudar logo seria complicado namorar assim – ajudam a desfazer qualquer má impressão que o público possa ter tido da personagem e servem para mostrar que temos que levar em conta também o lado de quem recebe o sentimento e se a pessoa quer ou pode retribui-lo.

Inclusive, ela querer explicar porque o rejeitou é um sinal de consideração, e mesmo que seja doloroso para a pessoa dispensada deve ser melhor do que ficar só com uma resposta seca e direta. O interessante aqui é que ela passou a pensar mais nele após a rejeição, o que não quer dizer que ela aceitaria caso ele pedisse de novo, mas deve ser uma forma do anime ir trabalhando a ideia de que ela vai se tornar cada vez mais consciente dele e vai acabar se interessando e aceitando o pedido de namoro. É o tipo de coisa que vira e mexe rola na vida real – olha o anime sendo realista de novo! –, uma pessoa se interessar pela outra após tomar conhecimento dos sentimentos que ela tem.

Uma boa conversa sempre vem em boa hora!

Fechando esse momento e nos deixando com a promessa de que haverá uma conversa entre a Horikawa e o Haruto para esclarecer as coisas – espero que também para manter a proximidade entre os dois – temos a conversa entre o Eita e a “Eita, preciso me desculpar com ele”, que é boa, simples e sem muitos rodeios e consegue deixar as coisas aparentemente acertadas entre os dois.

Antes de voltar a falar disso, só queria comentar como achei belo, apesar de simples, o momento em que o Haruto encontra a sua mãe voltando para casa. Acho legal como o anime não trabalha só o romance e o cotidiano, mas também as responsabilidades e expectativas desses jovens sobre a vida adulta, o que é bem abordado com a diferença de adulto que o Haruto vê na mãe em comparação ao pessoal com o qual ele vai trabalhar após se formar. É o tipo de diferença que realmente existe e mesmo havendo não dá para dizer que um está certo e o outro errado, só que ambos podem aproveitar bem a vida do seu jeito. Espero que mais situações do tipo sejam exploradas no anime.

Uma mãe pode até ser ausente por conta do trabalho, mas não deixa de ser uma mãe ❤!

Ao longo de todo o episódio a Natsume não dá sinais de que pensou que o Eita gostasse dela depois do que ele disse naquela briga apesar do quanto ele se preocupou com isso, o que ou prova que a garota é uma tapada ou que ela realmente só o vê como um amigo e não consegue enxergar o óbvio. Não acho isso muito bom, mas ao menos se o romance entre os dois demorar mesmo a engrenar – só deve se resolver no último episódio, apostam? – não dá para dizer que foi forçado porque a garota não se toca e o garoto vive fugindo de dizer o que sente, talvez por medo de perder a amizade dela.

Confesso que passei a gostar um pouco mais dela depois desse episodio.

Não acho que isso não seja realista ou inverossímil, mas as personagens principais – tirando a Komiya, mas ela infelizmente mal apareceu nesse episódio – são muito bitoladas quanto a romance, o que dá para engolir pelo que foi mostrado delas até agora e se pensarmos em como os japoneses são sobre essas coisas – falo da maioria, mas claro que nem todos são assim. Ao menos a Horikawa parece estar desabrochando para o amor e espero que a Natsume vá se dando conta disso também.

Tem como não gostar de uma personagem fofa e carismática dessas? Difícil!

Por fim, foi um bom episódio que trabalhou bem as coisas após o primeiro clímax, teve bons momentos de estreitamento dos laços entre os personagens – e até um pouco mais das figurantes amigas da Natsume –, um pouquinho de comédia, um tanto de melancolia e uma animação que perdeu bastante a mão, mas se tratando de um anime feito por um estúdio sem muita experiência com animes de 24 minutos e que mandou razoavelmente bem nos quatro primeiros episódios, a queda na qualidade era deverás previsível. Só espero que não decaia ainda mais daqui em diante.

Agora vou ficando por aqui! Apesar de mais “morno” acho que esse foi um bom episódio. Que esse deleite da vida cotidiana e do romance juvenil também esteja agradando a vocês e até a próxima!

Também passei a gostar mais dela depois desse episódio. Que carinha fofa, meu deus ❤!

Discussão