Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

A animação desse episódio foi uma frustração só. Quero dizer, que animação, né? O episódio foi praticamente um slideshow, uma grande sequência de imagens paradas, eventualmente com panning para não parecer estar tão parado assim. Algumas animações em super close-up de poucos quadros, a maioria de bocas se mexendo (o que dá uns três ou quatro quadros), e é isso aí. Claro que teve uma ou outra cena animada de verdade, mas se 90% do episódio não foi uma contínua alternância entre todos esses truques de animação que eu citei, rasgo minha carteirinha de Metido a Sabichão.

Mas não é a essa frustração que o título do artigo se refere. Afinal, Wake Up, Girls! tem um histórico já com animação limitada. É praticamente um dos elementos recorrentes da franquia, não poderia ficar de fora da segunda temporada para a TV, né? Mas que o show das sombras do I-1 Club no começo do episódio foi engraçado, ah, isso foi! E o tema “frustração” também tem a ver com as rivais das protagonistas.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Há alguns episódios o anime já vinha mostrando como os produtores por trás do I-1 Club estão frustrados com os resultados da banda. Não que estejam de qualquer forma vendendo mal, mas não importa o que façam, não conseguem mais vender como um dia já venderam. Será uma tendência da indústria? Será fadiga de material? Será que a formação atual do I-1 Club não está mais empolgando? Será o avanço da concorrência? Essas perguntas são todas retóricas. Não que o anime tenha exatamente respondido nenhuma delas, mas a produtora do I-1 é tão profissional que eu tenho certeza que já avaliaram e testaram todas as hipóteses possíveis. Eles devem ter um quadro bem mais claro do que eu tenho da situação, apenas não o revelam – porque não importa mesmo.

Sorrisos falsos. Esse é o problema.

O que importa para o anime é como a frustração da empresa com a queda nas vendas finalmente chegou ao palco. Aparentemente, outras como a Shiho possuem trabalhos paralelos em outras cidades. E duas, de cara, tiveram suas atividades extras canceladas. Tenho certeza que não foi a intenção do produtor, mas ele espalhou entre as artistas as sensações de medo, incerteza e dúvida (o idioma inglês tem um acrônimo legal para isso: FUD, de Fear, Uncertainty and Doubt, mas ele costuma ser usado muito mais no contexto de ações deliberadas de adversários). A Shiho acabou de voltar para a Next Storm e ela é realmente feliz lá, além de ser querida e dada como necessária por suas colegas, e ela está agora com medo que possa ser removida de volta para o I-1 Club. Isso afeta em sua atuação na novela, mas felizmente com a ajuda de Mayu ela consegue superar esse obstáculo rapidamente. Mas e agora que a novela acabou?

Talvez o anime não vá revelar tão cedo, já que o próximo episódio focará de volta nas WUG e em um tour que elas farão pela cidade de Sendai com fãs. Será a oportunidade para o trio ginasial passar horas em contato com suas idols preferidas – quem sabe não se torna até uma oportunidade de estreia no showbiz? Elas estão determinadas a seguirem carreira como idol mas não sabem de nenhuma agência realizando audições no momento. E francamente, elas provavelmente estão bastante cruas mesmo, a única chance delas é em um lugar maluco e semi-profissional, como a Green Leaves. Estou torcendo por elas!

Boa sorte, garotas!

De volta ao tema frustração e em como ele afetou o desempenho da Shiho. Cabe aqui mencionar o insano (e, infelizmente, verossímil) lema interno do I-1 Club: Não descansar, não reclamar, não pensar. Enquanto tudo está indo bem isso já é ruim, mas pelo menos o sucesso dá a ilusão de recompensa necessária para continuar um dia depois do outro. E quando as coisas começam a ir mal? É nesse momento que mentes começam a se espatifar – e isso não é fraqueza nenhuma! Tampouco exclusividade da indústria idol ou do Japão.

Você trabalha? Estuda? As duas coisas talvez? Então provavelmente está sujeito a isso também. Às vezes por exigências externas insanas, como é o caso do I-1 Club (e nisso elas são o padrão da indústria, as Wake Up, Girls! são exceção, e mesmo elas têm esse tipo de problema às vezes), às vezes porque nos deixamos levar por nossas próprias empolgações, e com alguma frequência um pouco de cada, nos dedicamos excessivamente ao trabalho ou algo semelhante, como estudos ou até um hobby levado à sério demais. Enquanto está indo tudo bem parece uma maravilha, e por vezes isso até leva a pessoa a se esforçar ainda mais. O problema se revela quando um tropeço ou uma sequência de resultados abaixo do esperado começam a pesar. Estresse severo, problemas psicológicos e depressão se seguem, e não raro sintomas físicos, como cansaço, dores de cabeça, entre outros, além da queda na imunidade do organismo e as doenças que o acompanham, como resfriados recorrentes. É a Síndrome de Burnout. Eu sei bem o que é isso. Digo, acho que sei, pesquisei no Google e fiquei indeciso entre burnout, câncer no cérebro e frieira, nessa ordem de probabilidade. Aproveitei esse episódio na cara dura para dar uma de He-Man e encerrar com uma curta lição de moral. Tome cuidado com o burnout! Não, sério, de verdade. Não estou brincando.

Comentários