Bom dia!

A Juri finalmente sai da inércia e se mostra mais útil fazendo uso do seu poder conveniente como já havia falado, e agora, também mais ou menos explicado. Tem sido realmente interessante ver como ela e seu avô formam uma boa dupla, de modo que ele é meio que a voz do conhecimento dando as informações sobre a estagnação e ela sendo “os músculos” (imagine que aí há muitas aspas, por favor). Kokkoku tem feito um bom trabalho em termos de desenvolvimento de mundo e de (alguns) personagens e relações entre eles; aqui, ambos parecem acontecer paralelamente, onde a maioria das coisas reveladas sobre o mundo influenciam diretamente nas ações dos personagens, seja no presente, futuro ou passado. Há apenas algo que eu gostaria que fosse – e provavelmente vai – melhor desenvolvido, que é a relação da Juri com a Majima no passado – se é que realmente tem alguma – e como elas reagirão quando se reencontrarem nos próximos episódios.

E agora sim, finalmente a Juri parece ter tomado consciência de que a saída não é apenas ficar fugindo, mas sim lutar, visto que eles ainda têm que salvar o Takafumi e encontrar o Tsubasa e o Makoto, que agora, eles perceberam que estão “acordados” por aí – na verdade ficou mais claro uma suposição da parte deles quanto a isso, mas como é algo tão óbvio, vamos dizer que eles têm certeza. E como eu já havia falado antes, os espectros que saem do corpo dos mortos vão mesmo para o corpo de algum paralisado, vimos isso claramente quando aquele homem tentou assediar aquela mulher no mercado; a questão é: os espectros são de fato seres vivos ou feitiços? Aparentemente a “escolha” do hospedeiro é feita involuntariamente, afinal, qual utilidade um imbecil padrão teria neste momento? Se a Juri pode tirar os espectros de dentro das pessoas, não me espantaria se ela também pudesse colocá-los dentro de outras. Tendo isso em mente, será que em algum momento ela vai fazer isso? E até que ponto isso é viável para o enredo? Talvez o mínimo possível, pelo menos neste momento.

A trilha sonora realmente empolga quando ela precisa empolgar e dá um suspense quando ela precisa passar esta sensação no espectador, o que devo dizer, é mais bem feito do que eu imaginaria quando li sobre o anime. A animação também tem sido bem legal e não me pareceu inconsistente mesmo na hora em que foi um pouco mais exigida – sabem que eu falo sobre a “luta”, certo?

O flashback foi extremamente interessante e bem encaixado, pois o anime precisa mesmo se aprofundar na relação da Juri com o mundo em estase, precisa mostrar qual a relação da Majima com ela, e acima de tudo, explicar o poder dela de ejetar os espectros; não exatamente como ele funciona, mas sim como ela o ganhou.

Aparentemente um Arauto é apenas uma pessoa, pelo menos se seguirmos o que o episódio mostrou, afinal, quando aquele Arauto morreu, havia uma única pessoa dentro dele – e aparentemente era um Samurai ou qualquer coisa do tipo. Já sabemos que provavelmente há mais de um Arauto, pois a Majima menciona que viu uma pessoa de sua família virando um; ela quer achar essa pessoa, e isso me parece uma motivação válida!

Espero que nos próximos episódios tenha mais algum aprofundamento no passado da Juri e da Majima, pois isso parece ser o ponto mais interessante da obra atualmente, visto que muitas das perguntas que cercam Kokkoku podem ser respondidas através desses flashbacks.

QUE MULHER!!! Bom, se você também lê meus artigos de Garo: Vanishing Line, deve saber que eu gosto de personagens femininas fortes, certo?

Bom, obrigado por ler até aqui! Nos vemos por aqui em breve. Até mais!

Discussão