Acho esquisito ter dois episódios e meio sobre Souya. Não estou dizendo que ele é um personagem ruim, longe disso. Mas não é alguém cujo qual estamos acostumados neste anime (pelo menos eu não estou). Apesar de ser uma pessoa quieta, há uma turbulência dentro dele, e esta turbulência talvez seja o que faça que ele tenha tanta história para contar. Agora quem tem tanta história, seja ganhando ou perdendo (o que infelizmente é o que mais a sua doença crônica permite, embora se esforce a ponto de não precisar da pena ou consolo de ninguém), é o Nikaidou. Ele é aquele personagem que se esforça, mesmo em momentos adversos.

Então, neste episódio nós temos a continuação das partes da tempestade branca! O que acontece é que o presidente do Salão de Shogi estava preocupado com Souya. O que acontece é que ninguém sabe o porquê ele consegue ouvir alguns sons e outros não. Nem os médicos conseguem dizer ao certo o que o indivíduo tem, e depois Kiriyama entendeu perfeitamente o que acontece em sua cabeça, enquanto assistia a uma aula (que devia ser chata para caramba, por sinal. Eu não sei se tenho mais pique para essas coisas, não lol).

Acontece que os sons das peças de shogi batendo naquele tabuleiro ficaram presos em sua cabeça e, provavelmente, Souya sente a mesma coisa. Por estar condicionado a jogar para ganhar, o Deus do anime consegue filtrar diversos tipos de sons, dentre eles os que atrapalham a sua concentração. Por que será que ele ganha partidas a fio? Deve ser por causa dessa capacidade que ele tem, coisa que os médicos dizem ser apenas estresse. Mas o jeito que ele dormiu tão profundamente até o dia posterior me faz pensar se é isso mesmo. Talvez antigamente Souya tenha mesmo passado por condições estressantes. Agora, mesmo com vinho derramado do paletó, ele se sente tranquilo, então é algo a se pensar.

O sono profundo de quem consegue filtrar os sons

No dia seguinte, aquela chuva torrencial se extinguiu e, por amostra de gentileza (eu acho), Souya pagou a conta de hotel dos dois. Talvez o Deus do shogi nem visse o Kiriyama como um “inimigo” ou “rival” em potencial. Estou dizendo assim porque Souya ajudou o menino em um momento de dificuldade, e porque também precisava saber o seu estilo de jogo para poder entrar em um embate, o qual um erro e um acerto ele respondia à altura. Talvez eu até tenha usado as palavras erradas, mas acredito que meu pensamento esteja certo.

Este foi o momento em que Kiriyama entendeu parte do que Souya sente

Pois bem, também teve um momento “Ana Maria Brega Braga” no anime, com as meninas ensinando como se faz um ovo cozido com a gema mole e usando o sulco de uma carne suína.

  1. Tire os ovos direto do congelador;
  2. Faça um pequeno furo embaixo do ovo, pode ser com alfinete ou taxinha. Assim, ele não estoura na panela;
  3. Cozinhe os ovos em água fervente por oito minutos. Nos primeiros dois minutos, elas aconselham a mexer com palitos, para que a gema fique concentrada no centro;
  4. Esfrie-os em água gelada.

E O KIRIYAMA VAI PERDER PARA FICAR ESTUDANDO AS JOGADAS DO ADVERSÁRIO?! QUE LÁSTIMA!

Enquanto Kiriyama estava ocupado estudando as jogadas do Souya (e quase foi atropelado por causa disso), soube que Nikaidou foi logo jogar uma partida de shogi depois de mal ter saído do hospital. Ele estava jogando contra um cara que o ajudou bastante, e ainda ganhou com uma jogada que estava jogando há bastante tempo. Ele simplesmente colocou o Rei na posição 7-9, e era algo que o seu adversário não poderia prever, já que o jogo consiste basicamente em proteger a peça que ele moveu, não é mesmo? Nikaidou ficou tão impressionado, que já queria batizar o movimento com o nome dele: “VACINA DO NIKAIDOU”. Aí pronto, né? Além de escrever 348794375934 livros sobre shougi, ainda estava pensando em ter uma jogada batizada com o nome dele. Esse momento foi de ouro e devo guardá-lo em meu coração.

Muito obrigada por lerem este artigo até aqui, e nos vemos no próximo!

Discussão