Se até o Rei dos Lolicons perde quem é você para não aceitar uma derrota? É hora da chave de cadeia Ai e do Yaichi superarem seus mais novos desafios, é hora de Loli Shogi aqui no Anime21!

Eis com vocês o Rei das Lolis e Rei dos Lolicons!

É engraçado como esse episódio em sua maior parte trabalhou em cima da derrota do Yaichi e do que ele tinha que fazer para tentar vencer seu adversário mas, por outro lado, o que afligia a Ai era a vitória. Como vencer e “passar por cima” do adversário pode ser algo danoso para quem vence. No episódio passado ela mesma perdeu e derramou lagrimas por isso mas, dessa vez, ao se ver do outro lado ela não sabia o que fazer após ver a amiga chorar, porém o seu mestre lhe diz as palavras certas, o que apazígua um pouco o coração da garota e faz a sua vontade de se sair vitoriosa não fraquejar.

São em momentos como esses que a história desse anime brilha e pode nos mostrar que ele é mais que um anime para lolicons – apesar de continuar sendo um ótimo anime para eles também. Quanto ao Yaichi e o seu problema, pedir ajuda a um “mestre temporário” para dominar uma nova forma de jogo foi uma atitude humilde – mesmo ele já sendo um profissional de alto nível – e inteligente, que da forma como foi feita me lembrou muito a iniciativa de um protagonista de shounen a fim de convencer um mestre a treiná-lo e passar pelo treinamento em si antes de um confronto, mas isso não foi algo ruim, pois Ryuuou no Oshigoto! se dá melhor exatamente quando “enfeita” essas coisas.

Eu até elogiei o anime, mas só eu vi esse trabalho infantil descarado aí? Kkk

Fico feliz por esse episódio não ter apostado alto no fanservice de lolis mesmo tendo se passado na maior parte do tempo em uma casa de banho – ele poderia muito bem ter avacalhado nesse sentido. É verdade, teve um pouco de fanservice, mas mais com personagens mais velhas e não vejo o que reclamar disso. Poderia reclamar por ainda não terem dado mais foco ao universo do shogi feminino, mas vendo que era um episódio focado no desafio do protagonista e um pouco na Ai – a primeira, pois a segunda nem apareceu e achei isso estranho, mas não muito preocupante –, entendo que isso tenha sido apenas citado – sugerindo que vão falar mais disso depois? – em meio ao caso do Yaichi.

Loli Shogi ainda tem mais seis episódios para em ao menos um ou dois deles deixar de ser um pouco “Loli” para ser mais “Shoujo” Shogi – espero que assim o faça. Quanto ao fechamento dessa primeira metade, às vezes é bom fechá-la concluindo um arco, mas não é nenhum problema estar no meio de um. Quem chegou até aqui deve ver o anime até o fim e é sempre bom terminar um episódio encurralando o protagonista, afinal, isso aguça o interesse do público para ver como ele vai sair de tal situação desvantajosa. Quanto aos outros personagens, velhos ou novos, não há muito o que se falar, só que a Ai deve ficar bem, as rivais da Ane-deshi são mais simpáticas que ela – que ganharia uns pontinhos se se confessasse – e agora devem aparecer vários novos personagens até que todos os que estão na abertura sejam apresentados. Só espero que eles sejam úteis como o “maestro” foi.

Será que um dia veremos algo além de Lolis tendo foco nesse anime?

Deixar as “brincadeiras” com lolis um pouco – mas só um pouco – de lado para transformar esse momento em um “arco de treinamento” e um bom ponto para o protagonista parar e refletir sobre o seu shogi a fim de melhorá-lo foi uma decisão acertada, que se não empolgou tanto, ao menos não assustou o telespectador entupindo besteirol por todo lado – apesar de que a light novel de Loli Shogi está tendo um boost de vendas, então não duvido que isso esteja é agradando aos japoneses, que é o público que realmente importa, ao invés de estar os afastando. Outra coisa bacana feita nesse episódio – e não nos anteriores desse anime – foi falar sobre o Meijin, – se você assiste Sangatsu no Lion já deve saber disso – o verdadeiro número 1 do mundo do shogi. O anime começa de uma forma confusa(?) ao dar a entender que o título de Ryuuou é o mais importante. Okay, ele é muito importante e já coloca o jogador entre os melhores desse meio, mas não o coloca realmente no topo do mundo do shogi. Se o Yaichi quiser de verdade ser o melhor vai ter que vencer o atual melhor e seria ridículo que isso acontecesse nessa temporada, mas quem sabe não seja esse um bom final para a obra(?). Claro que após ele ter treinado a Ai para vencer um título e se tornar profissional.

Não acho que veremos isso acontecer no anime, mas se a obra for bem-sucedida comercialmente uma segunda temporada é possível, porém, talvez mesmo assim não desse para chegar até lá. Só espero que o autor não “viaje na batatinha” e faça ele enfrentar o Meijin com chances de vitória já nesse anime, aí ele já vai estar extrapolando do que deveria pedir da nossa suspensão de descrença.

No geral esse foi um bom episódio e que me animou para os próximos, mas é com certo pesar – e também felicidade, pois isso vai beneficiar o blog – que anuncio que vou estar deixando de cobrir este anime a partir deste episódio e o próximo já será comentado pelo meu parceiro Flávio-senpai, um redator das antigas e que já tem um belo histórico comentando animes moe. O cara manja do assunto e manda super bem falando desse e de outros tipos de animes, então acredito que ele cuidará bem de Loli Shogi e que vocês vão gostar dos artigos dele. Me demito da posição de redator de Loli Shogi e promovo o Flávio garantindo que nem as lolis e nem o shogi ficarão desamparados. Achei bem divertido comentar Ryuuou no Oshigoto! mesmo reclamando tanto dele aqui com vocês!

Me despeço dos artigos, mas não deixarei de ver o melhor anime da temporada: Loli Shogi! 

Discussão