Tudo bem… Tudo bem… Estou me acalmando. Tenho o hábito de escrever o artigo do episódio logo que acabo de ver para que os acontecimentos fiquem mornos na minha cabeça, mas desta vez, não tem nada morno, está tudo queimando. Que episódio sensacional!

O episódio dessa semana foi com toda certeza, o melhor episódio de anime que eu assisti no ano de 2018 e provavelmente é o melhor de Garo: Vanishing Line! – é evidente que isso é só a minha opinião.

A resolução do caso ElDorado foi feita da melhor forma possível, onde os embates foram travados entre indivíduos “semelhantes”, digo, a Gina lutou contra a Queen por motivos óbvios: ambas são mulheres extremamente fortes e nada mais justo que elas se enfrentem; o Luke lutou contra o pai dele meramente por precisar resolver as coisas com ele, e bem, são assuntos de família; o Sword ficou contra o King por ser o mais forte, e de fato, ele é o protagonista. Notem que eu disse protagonista! Pois na minha cabeça, a personagem principal é a Sophie, pois exatamente tudo que acontece no plot real do anime é por meio dela, então, ela basicamente carrega a história, sendo assim, a personagem central de Garo: Vanishing Line. Apesar do caso em questão ter sido resolvido, ainda havia aquele acerto de contas entre o Cavaleiro Negro e o Sword, e é claro que não ficará só no papel, pois nós precisamos dessa luta para fechar não só com o Luke, mas com o Sword também que tem assuntos inacabados com o nosso querido vira-casaca. Aquela cena final com ele chegando onde o Sword está é bem engraçada pela expressão que o Sword faz ao vê-lo, o engraçado se deve exatamente pela duração que teve, pois mesmo com aquela expressão de “que?”, se o tempo fosse mais curto não teria o mesmo sentimento.

Por um momento cheguei a pensar que o Luke morreria, onde o pai dele diz que aquele é o caminho que ele escolheu. Acho que ficou muito evidente que ele mataria seu filho, mas no fim, deixou-o viver. E bem, neste caso, não só Luke tem dificuldades de abandonar o passado, mas o grande Cavaleiro Negro também! Ora ora… Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Essa terceira investida de Garo tem umas coisinhas bem legais em alguns episódios, como por exemplo, a parte do monólogo do King falando das eras e dos Cavaleiros Makai que tentam parar ele e no fundo fica passando os personagens das duas primeiras temporadas de Garo; e a outra parte é a luta entre o King e o Sword naquele espaço preto e branco onde nada tem luz, segundo o próprio King.

O monólogo do Sword sobre cair e levantar também foi muito interessante, e a única coisa que consegui pensar na hora foi naquele monólogo do Edward de Fullmetal Alchemist Brotherhood em que ele diz praticamente a mesma coisa que o nosso Garo e no Batman de Batman v Superman, na parte da luta, onde o Batman fala mais ou menos isso “você não é valente. Homens são valentes.” – É claro que o “homens são valentes” é referido às mulheres também, e foi basicamente o que o Sword disse para o King. A humanidade é tão valente que mesmo depois de cair, consegue se levantar e lutar pelo que acha certo, e essa é sem dúvidas uma das maiores qualidades dos nossos heróis.

Admito que após aquele final de episódio meio “ok, acabou”, com direito a créditos subindo e tudo, achei que era realmente o final do anime, então fui ver a prévia do próximo episódio para me certificar e bem, vai ter mais um episódio sim – eu não costumo ver prévias pois gosto de ser surpreendido até nas coisas mais simples, então, deixo tudo ao acaso mesmo.

  1. Fiquei muito surpreso por lembrarem das animações anteriores, pois dava a impressão de não haver conexão entre elas. Isso dá margem pra imaginar que a luta eterna dos cavaleiros makais contra os horrors é desde tempos antigos, cada um ao contexto que enfrentaram em suas aventuras. Amei a resolução do embate e mesmo tendo uma aparência simpática, o King por dentro mostra toda sua maldade e crueldade contra o Sword, que teve de botar na cara do horror quem realmente pode seguir em frente.
    Agora resta o último episódio e a conclusão desta série. E tava com medo que tinha terminado, de boa? Todas as animações de “Garo” fecham com 24 episódios e gosto de ver as prévias, pois dá gostinho de quero mais.

    • Eu também fiquei bem surpreso, bem, acho que funcionaria muito mais comigo se tivesse visto o 2º anime também, mas esse eu devo ver agora que Vanishing Line está chegando ao fim, claro, junto com a série original. E ficando na torcida para uma próxima temporada de Garo.

  2. Só tem um detalhe que eu não gostei nesse episódio. O King merecia mais um episódio. O conflito da Sophie sempre foi o plot principal de Vanishing Line e isso eles executaram com perfeição. Sophie provavelmente se tornou a personagem melhor desenvolvida da franquia Garo, talvez superando até mesmo o Leon da season 1. Voltando ao King, ele era o boss, então creio que se Vanishing Line fosse uma série de 25 episódios, esse arco El Dorado teria sido praticamente perfeito.

    Outra coisa. Pobre Luke. Pelo menos fugiu do clichê dele derrotar o pai dele. Apesar de que para mim bastou a derrota moral. Luke é um baita personagem e foi a grande surpresa da série, levando em conta que ele aparentava ser aquele personagem clichê no início da série.

    • De fato! A verdade é que Vanishing Line enrolou muito com episódios fechados, assim preparando El Dorado e deixando aquele gosto de ansiedade para a chegada, e bem, devo dizer que também esperava mais, mas não só do King, mas de El Dorado em si. Apesar de estar gostando muito mais do final de VL do que do começo.

      Sim, o Luke é um dos personagens mais interessantes de VL, pois ele começa sendo apenas um clichê e a partir do episódio 6 ele começa a ter um desenvolvimento legal e neste episódio 23 temos o final do arco dele de uma maneira que acho que ninguém esperava, e isso é ótimo!

      • Isso´é um mal de todas as animações de Garo. A diferença de Vanishing Line para as duas séries anteriores é que o Sword recebeu o power up antes de enfrentar o boss, e não no clímax da batalha final. Nesse ponto não tenho o que reclamar. Foi muito mais legal ver Sword destruindo o King através de argumentos do que ganhando uma armadura nova. Me lembrou Guren lagann de alguma maneira, principalmente o visual do King dentro do mundo preto e branco (aliás, sequência incrível).

        Fora o plot twist do Knight… vai ser muito mais legal ver uma luta dos dois se esmurrando do que uma simples exterminação de hollow.

Discussão