Esse episódio me causou uma tensão constante e olha que nem teve terror ou suspense aqui, mas o fato de ter lidado com várias situações, cujo desenvolvimento e desfecho foram movimentando meu emocional a cada minuto, me deixou bem agitado enquanto assistia.

Curiosamente aquele que até então era um dos pontos baixos da obra, acabou sendo um sub clímax bem legal, abrindo espaço para a personagem que mais estava perdida na jogada, a Tanimoto.

A ideia de trazer o encontro de casamento, teve seu mérito em construir a personalidade da garota, onde ela finalmente mostrou mais e verdadeiramente quem é. No começo fiquei um pouco agoniado pensando que tudo ia acabar dando errado, mas fiquei satisfeito que o anime encontrou uma solução que não foi para lado nenhum, apenas decidindo ser coerente com os próprios protagonistas.

Ciente de que sua pretendida ia encarar o “omiai” e sem parecer incomodada com a ideia, Seigi ficou mal o suficiente para incomodar Richard. Enquanto o rapaz sabia o que queria mas não tinha coragem de ir em frente, apenas se lamentando, a menina já parecia certa do que faria, mesmo que não estivesse com seu interno completamente de acordo.

Achei bem interessante a forma como introduziram a jóia do dia e como ela ornou com o que estava acontecendo ali – incluindo a menção honrosa ao nosso país e o solo gaúcho. A aquamarine representa algo especial, o que a Tanimoto é para o Seigi, indo na contramão de como a própria se vê em relação a vida – no que me chamou atenção a comparação que ela faz entre si e as imitações da pedra.

A moça estava perdida sobre entender o tópico relacionamentos e acredito que no fundo ela se blindou do assunto sem perceber. Fiquei com um pouco de pena do rapaz – que me surpreendeu pela maturidade que teve com toda a situação -, mas principalmente do seu pretendente, o Homura de novo coitado, já que de certa forma ambos saíram perdendo.

Queria expressar aqui meus sentimentos a esse eterno noivo que morre na praia. Penso de coração que o Homura merece uma mulher que realmente o ame e aprecie a dedicação e bondade que ele tem, porque tá difícil. Ele é um homem bom, mas vive se envolvendo com as pessoas erradas, primeiro a Mami e agora a Tanimoto.

Confesso que fiquei bem dividido, porque embora eu estivesse torcendo pela felicidade dele, acho que a Tanimoto combina mesmo com o Seigi e estava óbvio que mesmo que ela levasse adiante o compromisso, provavelmente ele sairia machucado por não ser minimamente correspondido.

Nessa bagunça, o Richard deu uns conselhos bem legais através da sua parábola da vida real e isso foi importante para que seu amigo caísse em si quanto a sua insegurança, mas acho que o peso maior foi para ele mesmo, pois acredito que involuntariamente o toque que deu deve ter ajudado na decisão que tomou ao final do episódio.

Ele perdeu a pessoa que amava para seu dinheiro e ao invés de insistir e impedir, ele apenas permitiu que as coisas fluíssem como sua amada tinha escolhido, por achar que seria melhor deixá-la viver como ela estava decidindo naquele instante.

Richard carregava o arrependimento de “ter feito a coisa certa”, mesmo com o alto preço, então já conhecendo toda a infelicidade que causou e viveu, era natural que não permitisse que alguém inocente e bom como o Seigi, sofresse do mesmo mal.

Foi bacana ver o Seigi absorver mais um conselho do joalheiro e de fato abraçar o seu jeito do modo certo, deixando a covardia desnecessária para trás. O Homura por sua vez, novamente mostrou o homem digno que é e não só deu a oportunidade ao rival, como também deixou que a Tanimoto entrasse em paz com sua consciência.

Talvez no fundo, justamente por ser um velho amigo, ele sabia que ela estava metida em tudo aquilo apenas porque sim – e isso não mudaria tão cedo -, logo nem o próprio devia estar tão empolgado com a ideia do casamento . A Tanimoto também se provou uma pessoa bem mais complexa do que eu esperava, sendo mais do que a menina boba lá do começo, mas uma mulher com suas dúvidas, convicções, autoconsciente e sincera.

No fim ela e o Seigi decidiram vencer sua covardia e fizeram o que precisava ser feito, resultando em nada para ninguém. Para mim foi bom porque não forçou goela abaixo um amor que não existia, já que nas palavras da mesma, ela sempre o viu como o amigo que sempre quis ter e nunca encontrou – assim como seu amigo de infância e quase noivo.

Acredito que no futuro conforme as coisas andem ela possa acabar mudando de ideia, porém no atual momento apenas a amizade forte se mantém entre o trio nada romântico. Como eu disse antes, acho que o anime encontrou o caminho certo para os três recomeçarem do seu jeito.

O trecho final que foi a pá de cal para me deixar mais ansioso, já que o Richard não deu sinais de nada no episódio e simplesmente partiu sem avisar. Seu funcionário ficou bem mexido, porque a cada dia que passa eles estão se tornando mais próximos, como uma família e agora ele perde esse irmão e conselheiro que tanto admira.

Ainda tivemos uma pequena pista de que não foi algo do nada, porque além do encontro com o desagradável Ganapati, o Homura entregou que estava ciente de sua viagem com alguns dias de antecedência, então o protagonista já tinha algo em mente há mais tempo.

Se a conversa que teve com o Seigi teve alguma influência definitiva, ainda não sei, mas acho que ter se aberto da forma como fez, deve ter mexido com o joalheiro a ponto de ele se determinar mais a fazer algo.

Também pode ser que isso seja alguma outra missão de seu chefe, mas pelo que o joalheiro veio demonstrando nesses últimos episódios, não vejo essa fuga como outra coisa se não um acerto de contas com o passado e sua família – o fato de aparentemente ter ido para a Inglaterra, sua terra natal, só reforça minha teoria.

Housekishou me empolgou bastante nessa semana, fazendo um bom trabalho com a Tanimoto e agora me deixando ansioso ao extremo, tentando descobrir o que o Richard pretende indo embora, e como o Seigi chegará até ele.

  1. Avatar

    Episódio bem tenso, acho mesmo que o Richard foi resolver seus problemas de família. E Tanimoto eu acredito que ela possa ser arromantica/assexual por isso não ponho fé nela com Seigi. Também acho que não seria legal da parte dele confessar depois de tudo que ela contou, seria como empurrar uma dor de cabeça a mais e ser rejeitado com certeza.

    • JG

      Oi Verônica, realmente foi um episódio mais pesado que os demais por tratar justamente dos problemas mais graves na família do Richard – que foram só pincelados nesse comecinho.
      Olha, quanto a Tanimoto, eu não dizer o que ela é de verdade, acho que ela pende mais para a pouco interessada no momento, tendo várias outras prioridades e o romance deve ser a última delas. Realmente não seria bom o Seigi ganhar gás naquela oportunidade, felizmente ele soube entender o clima e a situação e evitou o transtorno para todos ali. Penso que ele amadureceu bastante desde aquele episódio que o Richard deu um “chamão” final sobre a mania que ele tinha de não se atentar para as palavras.

      Obrigado pela visita e volte sempre para dividir suas ideias com a gente!

Comentários