Nesse episódio Sherlock teve um grande desenvolvimento, que só não foi melhor devido a forma como aconteceu, que de fato me desagradou bastante.

Resta só mais um episódio, e ainda há alguns mistérios para se questionar, além de mais confusões para se esclarecer. As respostas somente o tempo dirá, e o tempo de Kabukichou Sherlock está chegando ao fim.

Mas vamos ao episódio.  A forma como os detetives de Kabukichou reagiram ao seu companheiro que agia tão parecido com Moriarty, o qual eles queriam tanto esquecer, fez bastante sentido.

Sherlock continuou mais louco do que nunca. E serei direto sobre o grande problema aqui. Não há “ele não faria isso”, ele poderia ter feito.

Mesmo que ele não tenha matado aqueles caras, o que duvido que tenha feito mesmo, fato é que poderia. Ele se sentiu feliz após eles terem morrido, tudo que importava para ele era Moriarty. E, ele quase atirou no próprio irmão. Então sim, ele poderia muito bem ter matado eles.

Nesse sentido, ele é de fato perigoso. Ou melhor, era, já que Watson e companhia o ajudaram a recuperar a sanidade. Com uma grande ajuda da Irene Adler, que inclusive ajudou no final utilizando uma das bonecas “de você o que” como distração para enganar a polícia enquanto eles fugiam.

Um personagem que venho comentando a bastante tempo é o Mycroft. Tudo que ele faz é sem sentido e estranho, mas novamente eu tive a impressão de ser uma grande falha do roteirista de explicar as motivações do personagem.

A forma como ele ficou irritado parece esconder um drama pessoal, algo como ele ter inveja ou aversão ao Sherlock, algo da criação deles ou coisa do tipo. Faria sentido, porém estaria muito mal colocado aqui. Se isso não for devidamente explicado será um erro.

Claro que isso pode ser uma falha proposital para nos fazer desconfiar dele, mas convenhamos que é um grande erro narrativo. Aliás, uma coisa que parecia ser um erro, mas pode ter sido escondido propositalmente é os acontecimentos da mansão.

Sherlock encontrou diversos corpos, mas não mostrou o que aconteceu com o Mycroft. Da mesma forma, tivemos uma personagem que reapareceu nesse episódio, aquela secretária do Moran. É impossível não pensar que tem alguma coisa por trás disso, e aqui há várias possibilidades.

Pode ser alguém disfarçado como ela, o que seria muito o estilo de Detective Conan. Mas não há nenhum motivo para isso, a pergunta deve ser sobre o porquê dela ter sobrevivido.

Moriarty hesitou? Ela disse o nome “Alexandra” antes dele atirar, mas não acho Moriarty teria hesitado só com isso. E é bem estranho ela estar tão serena, já que teria passado por um grande trauma ao presenciar os acontecimentos da mansão.

Sherlock voltou a si, então eu acredito que ele possa esclarecer muitos pontos importantes. E muitos mistérios, já que há uma grande dúvida sobre quem é o culpado por esses assassinatos.

Se não foi Sherlock então ele deve ter uma dedução sobre quem é, e talvez com algumas informações o detetive possa chegar até as respostas que precisa. Mas, realmente tem alguma coisa a ser contada? Não nego que ainda há mistérios, mas eles foram muito mal apresentados.

Parece que a confusão aqui é mais pelos erros do roteirista em apresentar o problema do que pelo problema em si. Mas claro, temos mais um episódio para que tudo possa se esclarecer.

Se o roteirista tiver bolado algo para se elogiar, então eu elogiarei. Enfim, é só isso mesmo. Até mais.

  1. Avatar

    O Sherlock pirou e ponto! Realmente, tem coisa estranha nisso tudo e ainda não foi confirmado se Moriarty morreu ou não; a reação da governanta tá esquisita, achei que tivesse morrido, pois o Moriarty fez uma chacina na casa. Sobre se alguém está disfarçado, olha, o anime é bizarro no seu modo e disfarces costumam ser dos mais simples, nada do estilo dos contos do detetive que não só disfarça bem como é um ator de ponta. Se rolar, vamos ter de esperar. O bom é ver o Sherlock de volta à sanidade e parece que máscaras vão cair.
    Deixe suas expectativas lá pra baixo quanto ao último episódio, pode surpreender ou não, eis a questão. E, tá me deixando animada, por citar “Detective Conan” nestas análises: quero resenha e pra já, hein!!!

    • Avatar

      Complicado, estou desgostando do caminho que o anime está seguindo. E também estou com minhas expectativas lá pra baixo, mas é como disse, quem sabe esse final ainda consiga surpreender, né.

      Já sobre “Conan” não tem o que fazer, é uma grande referencia quando se trata de animes de mistério e tem uma inspiração gigantesca em Sherlock Holmes.

      E olha, resenha do anime eu não sei, mas como sempre sai filme novo de Conan, então quem sabe uma resenha dos filmes que lançarem. Já faz tempo que quero ver os filmes, então seria uma boa desculpa para acompanhar os novos.

Comentários