Que episódio legal foi esse, hein? E com direito a um final cruel, mas igualmente belíssimo. Próximo episódio vamos saber quem ganhou. É hora de Major 2nd 2 no Anime21!

Não lembro se falei do aparecimento do Goro episódio passado para ver o jogo, mas falo nesse, deixo de lado os momentos descontraídos com a esposa e o amigo até por, infelizmente, ainda não ter assistido Major e não saber como eram os personagens mais novos, mas não tem como não comentar o que ele diz sobre o filho. Contudo, isso fica mais para frente no texto, antes precisamos falar de um jogo emocionante.

A desestabilização emocional da Michiru foi se dando de maneira gradual e não atenua o bom desempenho das jogadoras da Fuurin, mas com certeza facilitou o trabalho para elas, e dessa vez ficou claro como a carga emocional, o descontentamento, da garota estava direcionada a elas, suas adversárias, rivais, ainda que não diretamente. Ela subestimou um pouco as meninas da Fuurin? Sim, mas sentiu na pele a qualidade delas.

Talvez por sempre ter tido talento, mas ter se esforçado de forma a sustentar e amplificar esse talento, a Michiru se ache especial, como se ela fosse uma garota diferente, como se não houvessem outras garotas capazes de competir com ela, que compete em pé de igualdade com os garotos. É aí que vemos como essa partida pode ser boa, afinal, não tem como ela não baixar a bola após ser tão desafiada por outras garotas como ela.

Por outro lado, ficou claro que a garota inesperadamente desequilibrante, a raçuda Mutsuko, estava bem desgastada e não vai ser estranho se no final não conseguir pegar a bola salvadora, o que eu acho uma pena, até cruel com a personagem que vinha resolvendo situações como essas em sequência, mas faz sentido e se a Fuurin tiver que perder nesse tipo de detalhe dá para aceitar, para vermos como a partida foi muito parelha.

Enfim, o capitão e receptor da Oobi subestimou o Daigo na cara dura e, claro, pagou o preço, Já a Michiru vê o ídolo e tenta se “apresentar” para ele, o que mostrou como ainda tinha uma carta na manga e não queria usá-la à toa. Isso significa que a Oobi subestimou a Fuurin mesmo com toda a dificuldade que teve? De certa forma sim, mas evidencia principalmente a relevância do fator psicológico em momentos decisivos do jogo.

Porque se por um lado a Michiru recuperou parte da confiança perdida e arriscou por um certo egoísmo, por outro o Daigo também restabeleceu sua confiança, mas não por perceber a presença do pai ou da mãe no estádio e sim por lembrar dos companheiros de time e dos próprios esforços para chegar até ali. O Daigo pode não ser nenhum prodígio, mas com certeza tinha condições de superar a Michiru e arrumar a virada.

E não só pelo emocional, mas claro, essa parte ajudou muito. Enquanto a Michiru queria se mostrar para alguém e se esqueceu de jogar para o time, o Daigo se manteve jogando para todos e conseguiu uma glória para levar a partida até os últimos estágios possíveis. A Fuurin pode perder, provavelmente vai, mas não terá sido fácil.

Enfim, a Oobi empatou e sobre isso nem tem muito o que falar, mais interessante é analisar o momento previsível, mas nem por isso desnecessário, em que a Tao “entrega” a verdade para o Daigo e o time. A Yayoi havia se lesionado antes e por isso evitava a posição de arremessadora, mas se estava recuperada, por que nunca tentou disputar a posição? Ela distorceu a verdade para não preocupar os companheiros ou quis pegar leve?

Dada a construção da personagem acho que é o segundo caso, mas isso nem deve importar tanto a partir de agora visto que o desgaste dela ou uma possível lesão não devem ser cruciais para o desfecho da partida. Aliás, o desgaste não deve se prolongar e a lesão não deve acontecer, exceto se o esforço final da Mutsuko não for realmente o final, mas duvido muito disso, o cliffhanger parece ter sido o ato derradeiro da partida.

Vai funcionar? No máximo na primeira metade do episódio, na outra vai vir algo mais pesado, até triste. Aliás, pela prévia do próximo episódio dá-se a entender que o time não venceu e se venceu há problemas com os quais deve lidar. Como acho que nada que pudesse acontecer provocaria esse clima (talvez uma lesão da Yayoi, mas nada pareceu diretamente ligado a ela), fico ainda mais com a impressão de que a Fuurin vai perder.

No fim das contas, isso faria sentido, afinal, o time rival era melhor e a Mutsuko foi atrás da bola mortinha da silva. Apesar disso, ao mesmo tempo em que deve ficar um gostinho de confronto igual, também deve ficar o amargor por uma vitória que escapou entre os dedos. Uma nova personagem, a irmã da Chisato, vai se integrar ao grupo e faltam poucos episódios para um torneio longo, então talvez role repescagem para o nacional?

Não sei, não faço ideia, talvez eles só treinem para um torneio que só vira em uma possível, acho até que provável, S3. Enfim, se tem uma coisa que posso comentar; além de frisar que o final foi mesmo bastante cruel, mas igualmente lindo devido ao encerramento que veio coladinho na sequência; é sobre genética, que pode ser um bom ponto de partida, mas certamente não ganha jogo sem alguma quantidade de esforço.

Se duvidar a Michiru é um exemplo melhor disso que o Daigo (ela parece ter “herdado” mais o talento do pai que o garoto), afinal, ela se esforça bem mais que a média e assim se destaca com o seu basebol. O Goro interferiu positivamente com o que ele fala do filho e até me surpreendeu com a confissão dele de que se abriu a possibilidade de virar treinador após ver o que o garoto estava fazendo ao desempenhar as duas funções.

Foi muito gratificante ver como o Daigo conseguiu ensinar algo ao próprio pai de forma tão espontânea, tentando encontrar seu lugar no basebol sem se preocupar mais em estar na sombra dele. Foi por isso que o Goro teve certeza que os méritos do filho vieram mais pelo esforço, porque ele viu o garoto dando tudo de si e mais um pouco e que, independentemente de vencer ou perder, deve sair de cabeça erguida do campo.

Por fim, foi um episódio exuberante, com direito a momentos tensos e reviravoltas, mas, principalmente, um descarrego de emoções, mas todas que culminavam em algo correspondente ao esforço e emoção entregues no jogo. A Michiru me irritou um pouco ao lembrar tanto dos amigos, mas a parte do Daigo foi irretocável, até por torcermos por ele, né. Ainda assim, não consigo cravar quem vai vencer, só o próximo episódio irá dizer.

Até a próxima!

  1. Avatar

    Como fiquei brava, furiosa por deixarem o resultado da partida pro episódio seguinte: dava para resolver, fazer o quê…

    Gostei de ver que o Goro aprendeu com o filho em não desistir do esporte, algo que já rondou nele em alguns momentos de “Major”, principalmente na segunda temporada, não se preocupe, sem spoilers a respeito. Sobre os personagens adultos que foram vistos nestas duas temporadas de “Major 2nd”, basta ver as três primeiras temporadas do anime anterior, por serem parte dos elencos que estiveram ao lado do Goro, por isso, muito feliz que estejam lá. Uma das qualidades de “Major” está em manter o seu elenco na ativa, mesmo quando o foco destes não está presente e é legal ver o crescimento de cada um deles.

    E que partida, cheia de reviravoltas, sorte e superação. Vejamos quem será o vencedor…

  2. Kakeru17

    Sim, dava, foi pura sacanagem com o telespectador kkk, mas ao mesmo tempo acabei curtindo, porque foi uma cena muito bonita.
    Vou tentar ver Major direitinho após o final dessa segunda temporada, imagino que ainda vá demorar uns anos a sair uma terceira, né. Quanto ao jogo, realmente foi bem legal, me deixou até com um gostinho de quero mais, mas não tem mais para onde correr mesmo, a partida vai se resolver e tende a derrota da Fuurin. Inclusive, o episódio já saiu e ainda não vi, porque quero ter tempo para escrever logo em seguida e organizar melhor meus pensamentos sobre o que deve ser o grande clímax da temporada, ainda que antes do fim.
    Obrigado pelo comentário, desculpa a demora em responder, e logo mais tem mais Major 2nd por aqui!

Comentários