Olá, pessoal! Aqui estou eu outra vez, Tamao-chan, trazendo mais uma resenha. Desta vez é de um mangá que veio ao Brasil pela NewPOP, uma editora que comercializa mangás bem… alternativos. Entre os BLs, GLs, Hentais, também temos algumas obras de comédia, drama, história, etc… E uma das obras de comédia que a empresa nos trouxe em 2014, que é Azumanga Daioh, será citada neste post.

Ler o artigo →

Olá, pessoal! Aqui é a Tamao-chan! Hoje farei algo que não costumo fazer. As minhas postagens geralmente são de resumos de mangás curtos que foram completados aqui no nosso país. Hoje, exclusivamente HOJE, falarei de um mangá que não foi publicado aqui, e que, infelizmente, não teve adaptação para anime. Estou falando de Yankee-kun to Megane-chan (O Garoto Delinquente e a Garota de Óculos), de Yoshikawa Miki, a mesma autora de Yamada-kun to 7-nin no Majo, ou Yamada-kun and the Seven Witches, ou até mesmo Yamada-kun e as Sete Bruxas. No fim é tudo a mesma coisa, mas vocês que escolhem a forma que chamam.

Ler o artigo →

Kawaii Hito é uma obra publicada desde 2014 na revista Ane LaLa (mesma revista de um ótimo mangá chamado Kanojo ni Naru Hi) e escrita por Saitou Ken. É um shoujo que contém outros gêneros como comédia, drama e slice of life (vulgo vida cotidiana). A obra tem uma temática interessante e não tão clichê assim, afinal, quantas obras você viu em que temos um cara que é “salvo” por uma garota? Sempre temos o oposto com aquela coisa chata de príncipe encantado que vai gostar da protagonista porque sim. Claro que há exceções em que a história acaba sendo boa e nesse caso, sendo o inverso e tendo uma espécie de justificativa decente, tornando a obra uma boa pedida.

Ler o artigo →

Ultimamente eu venho fazendo algumas listas de mangás com determinado gênero/característica em comum (especificamente sobre isekais) e tenho gostado desse tipo de artigo. Porém eu queria fazer uma lista com outro tipo e me lembrei de um amigo meu que costuma pedir recomendações de mangás com romance e me baseando nisso, decidi fazer esse artigo. As obras em questão têm personagens bem carismáticos, não possuem anime (uma delas tem e não tem ao mesmo tempo) e os casais têm uma química bem interessante (apesar de que um deles ainda não é real oficial) e eu pretendo fazer uma resenha específica de cada uma das obras eventualmente. De qualquer forma, eu espero que você, caro(a) leitor(a), fique satisfeito(a) com essa lista e se tiver algum pedido sobre determinado gênero é só comentar abaixo.

Ler o artigo →

Bom, I Am a Hero é um mangá já finalizado (fevereiro de 2017) com 22 volumes e 264 capítulos. Foi publicado pela revista Big Comic Spirits (Oyasumi Punpun, Uzumaki, 20th Century Boys, etc), possui 4 spinoffs (sendo 3 que se passam no mesmo mundo mas em cidades diferentes: Osaka, Nagasaki e Ibaraki) e é comercializado pela Panini aqui no Brasil. Em sua obra, o autor Kengo Hanazawa trabalhou com os gêneros seinen, drama, horror, sobrenatural e psicológico. Sobre a história, inicialmente vemos algo nada inovador mundo afora: um apocalipse zumbi. Ok, vemos inúmeras histórias sobre isso em várias mídias diferentes (séries, filmes, animes e etc) e aí é que mora o questionamento principal: qual é o diferencial dessa obra? O que faz dela uma obra boa o bastante para ser recomendável?

Ler o artigo →

Semana passada eu fiz um artigo sobre uma obra chinesa chamada Tales of Demons and Gods e continuando nessa “vibe” eu gostaria de recomendar uma outra obra chinesa do mesmo autor, Star Martial God Technique. Ela funciona no mesmo estilo que sua “irmã” tendo como original a web novel e com uma adaptação para “mangá”. Lançada desde 2016 (a versão “mangá”), a obra conta com 196 capítulos que são relativamente fáceis de terminar por conta da quantidade de páginas. A novel inclusive já está finalizada mas infelizmente não possui muitos capítulos traduzidos para o inglês ou português.

Ler o artigo →

Como podem supor pelo título, essa não é uma história para “estômagos fracos”, arrisco-me a dizer que foi uma das coisas mais – se não a mais – desagradável que já li – ao menos no círculo dos mangás. Não falo isso pela obra ter um traço ruim ou por ter uma história não tão bem desenvolvida, mas sim por abordar temas pesados – bullying, violência doméstica, psicopatia, etc – de forma extrema, com a intenção de causar profundo nojo e incômodo. É o tipo de obra que faz você pensar que a humanidade é horrível, e me arrisco a dizer que ela poderia deixar um gosto ainda mais amargo na boca se fosse mais longa ou melhor produzida.

Ler o artigo →

Tales of Demons and Gods (TDG ou TODG) é uma web-novel chinesa lançada desde 2015 e conta com 471 capítulos em andamento (em português, pois em inglês tem 470). Possui uma adaptação para mangá (que será a base para esse artigo) com mais de 250 capítulos (está no 199.5 para ser mais exato) em português. A obra também tem um spinoff que situa-se antes de seu começo, mas não possui adaptação para mangá.

Ler o artigo →

Gal Gohan é um mangá que atualmente possui 25 capítulos em português (tendo 38 em inglês) e 5 volumes publicados no Japão. Escrito e ilustrado por Taiyou Marii, a obra retrata algumas situações entre uma Gal e seu professor no dia a dia do clube que participam, o clube de culinária. É um mangá tranquilo de ler por conta da temática escolhida e sinceramente eu realmente espero que venha ter uma adaptação para anime um dia.

Ler o artigo →

Olá pessoal aqui é o Kakeru17 e hoje vou explanar um pouco sobre um mangá com nome e história bem peculiares, mas que indico para qualquer pessoa por ter achado excelente, conseguindo me cativar e me fazer refletir com a mensagem que ele quis passar. Se trata de Onanie Master Kurosawa, ou “Kurosawa, o Mestre da Masturbação”, para os íntimos.

Ler o artigo →