Bom dia!

A jornada é um elemento narrativo tão antigo, universal e flexível que faz pouco sentido chamá-la de clichê ou tropo. Pode ser muita coisa diferente.

Jornadas eram contadas no passado distante, como a Odisseia de Homero, em que Odisseu (Ulisses, em latim) tem uma dificultosa viagem de volta para casa após a Guerra de Troia. O Êxodo bíblico, no qual Moisés guiou seu povo para a terra prometida por Deus, fugindo da escravidão no Egito. A Jornada ao Oeste chinesa, na qual o monge Xuanzang parte para a Índia em busca de textos sagrados budistas.

Jornadas ainda são contadas hoje, como a fantasia épica de O Hobbit, o trágico road movie Thelma & Louise, a fábula animada Em Busca do Vale Encantado.

E animes, claro, muitos animes. Tantos animes que eu tive que fazer uma seleção difícil, cortando várias obras que adoro em favor da diversidade de indicações nessa lista.

Ler o artigo →

Nem só de comédia, drama e romance vive o slice of life. O subgênero, entre os iyashikei (animes ‘curativos’) e as estórias de vida escolar (outro subgênero), pode estar atrelado a animes que encontram no sobrenatural elementos instigantes para entreter o espectador – encantando ou gerando tensão –, seja como parte fundamental da narrativa, seja como subtrama.

Ler o artigo →