Muita gente sabe o quão difícil é o mercado de trabalho. Trabalhar em uma empresa, e às vezes ficar horas fazendo o mesmo serviço para ganhar pouco, pode ser desanimador, porém os animes a seguir mostram que, às vezes, os personagens podem estar em lugares que podem se tornar divertidos dependendo com quem se trabalha.

Claro que nem sempre é assim e o inferno na Terra está representado em forma de anime, porém dependendo da pessoa, é capaz de enxergar até mesmo uma luz de esperança no fim do túnel de sua vida chata no trabalho.

Enquanto outras pessoas estão lutando contra vilões, monstros ou alienígenas, pilotando robôs gigantes, curtindo a vida escolar (e talvez um romance?), ou apenas se aventurando como se não houvesse amanhã, os protagonistas dos doze animes abaixo estão dando duro no batente para que o mundo continue funcionando. Pode não ser grande coisa, mas é trabalho honesto!

 

New Game!

New Game!

Imagine a seguinte situação: você ama uma franquia de jogos e decide trabalhar nessa indústria. Então, manda seu currículo para a empresa responsável por essa franquia e além de ser aceita você terá como chefe a pessoa que você mais admira nessa indústria. Loucura né? Pois bem, foi o que aconteceu com Aoba Suzukane, uma jovem moça que logo em seu primeiro emprego está no trabalho “ideal”.

Parece mais fantasia do que vida real 😅

New Game é um anime que nos mostra um pouco mais sobre a indústria de jogos. Desde o início da produção até o fim, a obra mostra quase todas as etapas em vários setores de como os jogos são produzidos e claro, como o ambiente de uma empresa do ramo pode sofrer com prazos. Enfim, junte-se a Aoba para conhecer e aprender sobre essa indústria.

Quando trabalho e diversão se confundem, uma resenha de New Game!

 

Fune wo Amu

Fune wo Amu

Este é um anime que, mesmo sendo um pouco corrido, representa como é trabalhar em uma empresa onde se cria dicionários. Majime Mitsuya, da divisão de vendas,  não se dava nem um pouco bem com o seu trabalho. Ele não é confiante, não sabe falar alto e não tem pulso firme ao oferecer os seus serviços. Mal sabia que seria escalado para o setor de criação de dicionários.

Como Majime é um cara super sério, assim como o seu sobrenome explica, qualquer coisa que lhe parecia importante ele pesquisava e colocava no dicionário. O seu entusiasmo com o mundo das palavras era tanto que foi logo escalado como sucessor de Araki Kouhei, o veterano da área de dicionários que estava prestes a se aposentar. Com isso, começou a carregar em suas costas o último projeto de Kouhei: “A Grande Passagem”.

Com essa mudança de ares, Majime descobriu coisas que lhe faltavam e que foram importantes para o seu desenvolvimento, tanto pessoal quanto profissionalmente: companheirismo, confiança e amor.

O dicionário, os significados e a vida como ela é, uma resenha de Fune wo Amu.

 

Servant x Service

Servant x Service

Seja muito bem-vindo ao mundo dos servidores públicos! Yamagami Lucy é uma mulher super compenetrada e esforçada no trabalho e evita qualquer tipo de assunto que não tenha a ver com ele. Yutaka Hasebe é um cara que fez concurso para ser funcionário público por causa da estabilidade e não faz quase nada o dia inteiro, e Saya Miyoshi é uma funcionária super comportada, mas tem medo de dizer o que tem na cabeça e é obrigada e escutar uma idosa durante, pelo menos, metade de seu dia.

Ou é 8, ou é 80: ou você trabalha feito um cão e fica estressado no final do dia, ou você decide ficar zanzando por aí até terminar a hora do seu expediente. A vida de um servidor público é uma incógnita e ninguém sabe realmente o que fazer. Quem devia explicar isso a eles é o veterano Ichimiya Taishi, que é tão perdido quanto eles. Quem sabe um dia alguém consegue saber o seu lugar na empresa, não é mesmo?

 

Working!!

Working!!

Este é um dos animes mais conhecidos sobre trabalhar em restaurantes, conseguindo se estender por três temporadas, um spin-off e alguns especiais. O que o diferencia de muitos outros é o toque de loucura presente em cada personagem da obra. Vamos lembrar que é do mesmo criador de Servant x Service, então já se sabe de onde vem tanta maluquice.

Takanashi Souta, um menino que ama coisas pequenininhas e fofinhas, sente-se convidado a trabalhar por meio período em um restaurante por causa de Taneshima Popura, uma menina pequenininha e fofinha. Takanashi até que se esforça para aprender as coisas, mas também entende que precisa tomar cuidado com o que faz e o que fala.

Não, ele não precisa fazer isso apenas porque trabalha em um restaurante, mas sim porque um funcionário é mais louco que o outro, sem contar alguns clientes.

 

Shirobako

Shirobako

Como Aoba de New Game!, Aoi também tinha certeza que queria trabalhar produzindo animes e perseguiu seu sonho desde o começo. E ainda bem que ela gostava muito disso, porque mais de uma vez durante o anime é difícil de saber se o que estamos assistindo é a realização de um sonho um ou pesadelo do qual Aoi não consegue acordar!

Mas, de alguma forma, e graças ao esforço enorme de várias pessoas – inclusive a Aoi, e ainda que algumas possam ter deixado a bola cair em algum momento, no final tudo acaba dando certo. Quem assiste anime sabe que é mesmo assim que funciona, não existe a hipótese de fracasso e o prazo é o rei. Os raros animes cujos atrasos são tão grandes que impedem a transmissão normal ou prejudicam de forma imperdoável a qualidade da produção ficam marcados na história como os párias que são, exemplos a serem evitados.

Não é o caso dos animes do estúdio em que Aoi trabalha, felizmente. Suas demais amigas de clube no colégio também queriam trabalhar com animes, cada uma em uma função diferente, e cada uma em seu próprio tempo todas elas conseguem realizar seu sonho.

Sonhar exige trabalho duro, uma resenha de Shirobako.

 

Aggretsuko

Aggretsuko

Enquanto em Servant x Service mostra as dificuldades de se trabalhar como funcionário público (ou não, já que alguns têm a possibilidade de ficar zanzando por aí), Aggretsuko mostra a difícil vida de um funcionário de uma empresa privada.

Retsuko, uma panda vermelha certinha e dedicada, às vezes tem que trabalhar até tarde da noite porque faz serviço de gente que não está a fim de trabalhar, ou porque está ocupado demais treinando tacadas de golfe, ou falando mal do trabalho dos outros funcionários, ou por outros motivos que só gente folgada sabe arranjar. Para aliviar o seu estresse, Retsuko vai secretamente a um karaokê cantar death metal, onde inventa letras desaforadas sobre o seu dia.

Este anime (feito em parceria entre a SanRio e a Netflix) retrata não apenas a vida de funcionários que trabalham muito para ganhar pouco, como também a discriminação contra a mulher, machismo, solidão, estresse, entre outros assuntos que quem trabalha nessas condições conhece.

Estresse, fofura e rock n’ roll, uma resenha de Aggretsuko.

Eu quero me casar, não acho ninguém, uma resenha de Aggretsuko 2.

 

Hanasaku Iroha

Hanasaku Iroha

Ohana leva uma vida meio entediada em Tóquio, como se estivesse cansada do cenário que vê todos os dias, como se não tivesse nada de importante ou que valesse a pena em sua vida. Então sua mãe vai embora com o novo namorado e a manda ir morar com uma avó que ela mal conhece!

Passado o choque inicial, a garota até começou a se sentir empolgada, sabendo que a avó era dona de uma pensão em uma cidade do interior. Mal sabia a coitada que, uma vez lá, a velha botaria a garota para trabalhar para pagar suas contas! Justo ou injusto, Ohana não tem escolha, então apenas aceita. O esforço meia-boca que faz no começo coloca ela e seus colegas de trabalho em apuros, e aos poucos ela aprende o valor do trabalho infantil escravo.

Mais do que uma história sobre trabalho, Hanasaku Iroha é um coming of age sobre família e sobre a importâncias das coisas que temos em nossa vida e damos por certas, sem nos darmos conta de que podemos perder tudo de um dia para o outro.

 

Blend S

Blend S

Outro anime sobre trabalhos em restaurantes, porém a pegada é um pouco diferente. Neste tipo de serviço, quem é chefe se sente na obrigação de sempre reinventar, tanto no tratamento aos clientes, quanto na ambientação. Mas Dino, o dono do restaurante, pensou muito mais além: “E se eu contratasse garotas para servirem os clientes da forma que quiserem ser tratados?”. Assim, ele criou o Café Style.

Como tem maluco para tudo, principalmente no Japão, ele decidiu com que os clientes, a maioria homens, recebessem o tratamento digno de seus gostos pessoais, porém cada garçonete tem uma maneira de agir, característica de um outro personagem diferente delas mesmas.

Sakuranomiya Maika, estudante universitária, que tem uma feição assustadora e está desesperada por um emprego de meio período, foi contratada por Dino para ser garçonete desse restaurante, e o seu papel como garçonete é ser sádica…

Primeiras impressões de Blend S.

 

Denki gai no Honya-san

Denki gai no Honya-san

Denki-gai é uma divertida obra que acompanha a rotina de funcionários de uma livraria especializada em mangás. Nela, muitos otakus aparecem e junto deles, vários problemas que os atendentes (que não são lá muito normais) precisam resolver. A história segue o novato Umio, um cara que acabou de conseguir o emprego e está tendo que se acostumar com seu novo emprego.

 

Gaikotsu Shotenin Honda-san

Gaikotsu Shotenin Honda-san

Honda-san se trata de uma autobiografia. O autor descreve como foi a sua vida como vendedor de livros em uma livraria, escondendo-se atrás de um personagem representado como uma caveira ambulante. Apenas as pessoas que trabalham nesse local tem seus rostos mostrados de outra forma.

Enquanto trabalha, Honda-san descobre vários clientes com gostos diferentes uns dos outros. De vez em quando encontrava alguém com um assunto em comum com outra pessoa, e várias referências a mangás famosos são citadas, uns episódios com mais, outros com menos.

Apesar de ter vários momentos sofridos, principalmente em épocas onde há mais demanda, principalmente em datas festivas e no início de cada mês, quando vai receber mais obras novas, ou então quando tem que procurar um título tão antigo quanto os seus avós e encontra com muita dificuldade, Honda-san adora o seu trabalho e sempre agradece por mais um dia.

Quem quer ser um vendedor de livros?, uma resenha de Gaikotsu Shotenin Honda-san.

 

Sakura Quest

Sakura Quest

A vida no campo é um tédio e a vida na cidade grande é incrível. É assim que muita gente pensa em boa parte do mundo, e no Japão não seria diferente. Mesmo com as taxas de natalidade cada vez mais baixas, Tóquio continua inchando de gente.

Em Sakura Quest, uma dessas pessoas do interior que foi para Tóquio foi Yoshino Koharu, que se mudou de sua cidadezinha assim que se formou na faculdade. Pulou de trabalho miúdo em trabalho miúdo sem conseguir nada notável, até que recebeu a oferta para ser uma Rainha! A Rainha do Reino de Chupacabra em uma cidade do interior, mas ainda assim era um trabalho que poderia lhe dar visibilidade para que ela engrenasse depois uma carreira como modelo ou mesmo como idol, então por que não?

Exceto que foi tudo um engano. Os membros do Conselho de Turismo de Manoyama (Manoyama é a cidadezinha em questão) acharam que Yoshino era uma celebridade. Frustrada de várias formas, só restava à jovem ir embora … ou não! Ela decide pegar esse trabalho mesmo assim, que consiste em ações para ajudar a revitalizar a cidade de Manoyama. Ações que ela deve ajudar a planejar, executar, e ainda ser o rosto sorridente da Rainha para os visitantes.

Ela monta uma equipe com outras garotas locais (e uma toquiota que havia se refugiado no interior) e, com o Conselho de Turismo de Manoyama e com os comerciantes e moradores locais Yoshino tem o primeiro grande trabalho de sua vida!

Primeiras impressões de Sakura Quest.

 

Hataraku Saibou

Hataraku Saibou

Enquanto os demais animes retratam as pessoas que trabalham para que a sociedade funcione, Hataraku Saibou retrata o trabalho das suas células para que você funcione!

Este anime representa o trabalho de uma empresa, só que de uma forma diferente. Como é dentro do corpo humano, nada mais natural que tudo seja mostrado de uma forma agitada e sem paradas para descanso. Todas as células têm um serviço relacionado com o seu tipo e trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana.

Todos os dias têm perigos, e cada episódio mostra um diferente, embora vários tipos de antígenos possam estar relacionados uns com os outros, principalmente em casos de infecção. Apesar de tanto sacrifício no dia a dia, o humano com o corpo em constante perigo consegue sobreviver, graças às suas células.

Hataraku Saibou mostra como trabalhar em uma grande empresa é muito difícil, mas que, ao final do dia, apenas de manter o seu humano vivo traz a satisfação que todas as células precisam para conseguir trabalhar no dia seguinte.

Nada melhor que aprender com algo que se gosta, uma resenha de Hataraku Saibou.

 

  1. Avatar

    Hello Peoples!!! James na area (leaving the past behind…)…
    Só passando para citar também Black Lagoon e o papel do executivo da “Namdemo” Heavy Industries Co. Ltd. quem já trabalhou para uma Heavy Industries de lá sabe como é “Heavy”…

  2. Avatar

    Ah! E Patlabor também…Tem muita coisa a dizer sobre o mundo do trabalho….Eee….Ficamos por aqui, precisando é só chamar….Esse é James finalizando suas transmissões diretamente de algum mundo onírico…Abraçus a todos!

Comentários