Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá pessoal, primeiras impressões de animes da temporada é aqui no Anime21, e de tal forma, trago para vocês um artigo sobre o que achei do primeiro episódio do anime Isekai Shokudou, que nesse começo se mostrou uma história leve e divertida de slice of life e fantasia.

Curta o anime21 no facebook:

O anime começa com um restaurante aberto de dia atendendo seus clientes normalmente, e horas depois mostra ele abrindo suas portas para seres de um mundo de fantasia, momento no qual os clientes conversam e apreciam a comida sob o olhar atento do dono do local, que é também o cozinheiro, – de mão cheia, diga-se de passagem – e o garçom.

A comida deve ser tão boa que até gera confusão pra decidir qual a melhor kkk…

Depois desse momento aparece um dragão – aparentemente um dos mais fortes daquele mundo – que assume forma humana, coloca um vestido e adentra uma porta, – que aparece meio que do nada e funciona aparentemente como um portal – que no caso é a entrada para o restaurante em sua versão “mágica”.

Belo design + personagem carismática = waifu detected!

Legal citar que o título do episódio é o nome de dois pratos, um mostrado na primeira parte sendo apreciado pela mulher dragão que parece ser cliente assídua do local, – e deixa em suas falas um mistério no ar sobre ter algo a ver com a existência dele – e o outro na segunda, sendo um café da manhã reforçado feito pelo dono do restaurante para a nova e bela personagem recém-chegada à trama, um demônio chamado Aletta.

Já que a porta se abriu mesmo, por que não entrar, né…?!

Ela acabou entrando lá “sem querer querendo” e provou a comida do restaurante, dormiu por lá mesmo e depois foi acordada pelo dono. Então ele foi legal com ela e a serviu um café da manhã, e depois dos dois conversarem um pouco, ele a ofereceu um emprego de meio-período como garçonete, e ela – é claro – aceitou, já que não vinha conseguindo trabalho no mundo em que vivia por ser um demônio e lá eles sofrerem preconceito.

Achei esse momento bem engraçado kkk…

Eu gostei de terem mostrado esse drama dela, – mostrando inclusive um flashback da moça e ela explicando sua condição como demônio – pois dá background ao personagem e faz com que o público possa se afeiçoar mais facilmente a ele – algo essencial em um slice of life. Os mistérios ficaram por conta do dono do restaurante em si e da mulher dragão, algo plausível, pois devem ser – ao menos é o que espero – melhor explorados mais à frente na história.

Linda sem ser espalhafatosa! Sexy sem ser vulgar!

Foi basicamente isso o episódio, simples e calmo como um bom slice of life deve ser, mas sem deixar de demonstrar personalidade ao trabalhar bem seus personagens: um dono de restaurante sem nada chamativo externamente, mas que tem bom coração e bom senso; uma mulher dragão que não é só estilosa, mas também confiante e misteriosa; e uma garota demônio que não é só fofa, mas também simpática e esforçada.

O anime não teve exageros quanto a comédia, o drama, a parte visual, – que estava boa – o desenvolvimento do enredo ou as ações e reações dos personagens, o que me passou uma sensação de equilíbrio entre a forma e o conteúdo, algo importante para uma história que por mais que seja de fantasia também se propõe a ser “pé no chão” e mostrar o cotidiano de trabalho – o que nos faz esperar seriedade – de alguns de seus personagens.

Eu realmente ADOREI essa personagem!

Isekai Shokudou se provou não ser só um anime de culinária, mas também não só de vida cotidiana. Acho que ele conseguiu misturar bem as duas facetas chegando a um ponto em que ambas se complementaram e contribuíram para tornar agradável a experiência de ver a série.

Indico o anime para quem gosta de slice of life e fantasia, para quem gosta só de uma coisa ou outra, ou para quem quer só uma história simples e boa contada de forma gradual e consistente, mas que não abre mão de instigar interesse no telespectador quanto aos seus mistérios e ao seu futuro.

E é isso, eu fico por aqui pessoal. Até a próxima!

  1. Este anime, foi a grande surpresa para mim, na primeira leva de estreias da temporada de Julho de 2017. Eu quando li o guia, nem tinha ponderado ver este anime, até que por acaso vi um trecho do episódio online e os poucos segundos que vi me conquistaram de imediato. Eu como grande fã de animes slice of life e de fantasia, fiquei espantado e a questionar-me como eu iria perder este anime. Gostei da forma como o anime começou, gostei da animação boa, dos personagens, mas foi o traço bonito das personagens femininas e a opening e a ending que me conquistaram completamente. A forma como este episódio iniciou o anime, foi o que mais me agradou, ver os velhos a brigar por causa da comida deliciosa foi muito engraçado (o facto dos seiyuus desses velhos serem veteranos na dublagem deixou logo tal cena com outro significado). O aspecto dos pratos estavam deliciosos e a as reacções dos personagens a comer esses mesmos pratos foi tão satisfatório. Como é agradável ver os personagens a saborear a sua refeição sem gritar, gemer e imaginarem todas nuas e a terem um orgasmo gastronómico como se via no food porn, Shokugeki no Soma. A dragão e a demónio, foram de longe as que originaram as melhores cenas do episódio. A dragão que se transforma em humana, para ir ao restaurante deu um toque de mistério ao anime, ao mesmo tempo que nos presentou com um pequeno fanservice (inofensivo) mais o seu belo design e carisma em ambas as formas (tanto na forma humana com em forma de dragão). Acredito que ela seja quase uma divindade naquele mundo de fantasia e que o dono do restaurante, seja alguém dentro do seu ciclo de influência, afinal os dragões protegem os seus tesouros com unhas e dentes.
    Mas passando à personagem que mais interesse me despertou desde a sua primeira aparição, a Alleta tem tudo para ser a best girl desta temporada. Como bem referiste Kakeru, o facto do episódio ter mostrado o passado e o drama da Alleta só melhorou, o desenvolvimento da personagem. Estava na cara que o chef do restaurante não ia fazer um grande alarido, por causa da Alleta ter comido o que ele tinha deixado em cima do fogão. Mas fiquei surpreendido com a atitude do chef, ao oferecer o pequeno almoço à Alleta, mais a proposta de emprego, o chef é mesmo gente boa. Gostei da forma como a Alleta explicou como funcionava o esquema de espécies no mundo dela, por momentos parecia que estava a ver uma cutscene de um jogo de fantasia, o que foi muito agradável. Como nos jogos de fantasia, a vida da Alleta no seu mundo, não era fácil por ela ser uma demónio e que teve que se disfarçar para poder trabalhar na cidade onde estava, o que é meio triste. Foi muito engraçado ver a Alleta a louvar ao deus dos demónios pela refeição, tal cena só reforçou o carisma da personagem. A Alleta, ficou muito bem com a vestimenta de empregada de mesa, ela já era bonita, mas nessa cena ela ficou muito sexy, como bem disseste sem ser vulgar. Aquela última cena, onde a Alleta regressa para o seu mundo e a dragão voa sobre ela e a abençoa com a sua protecção foi muito agradável. Acredito que agora os perseguidores da Alleta não se vão atrever a tocar nela, sem mexer com a dragão.
    A música da ending, é das mais agradáveis que já ouvi a algum tempo.
    Excelente artigo de primeiras impressões de Isekai Shokudou Kakeru17.

Comentários