Já está sabendo da campanha do anime21? O seu artigo pode ser publicado aqui! Clique aqui para ver como. Sobre os animes da semana, começo com as ausências: essa semana não teve Cavaleiros do Zodíaco: Soul of Gold, não encontrei Sailor Moon Crystal embora devesse ter aparecido até onde eu sei, Ghost in the Shell: Arise Alternative Architecture também não encontrei embora devesse ter saído (talvez alguns animes não tenham sido transmitidos excepcionalmente essa semana e eu não estou sabendo?), Show by Rock!! infelizmente continua empacado no único fansub em português que o estava traduzindo, e Denpa Kyoushi saiu mas está com legendas faltando, e se eu já me irrito e não gosto dele normalmente, me desculpe mas não vou me dar ao trabalho de assisti-lo com legendas pela metade. Quando aparecer o episódio 9 de Denpa Kyoushi com as legendas todas traduzidas eu assisto (estou de olho). Assim, esse artigo lista apenas 20 animes, mas pretendo assistir tudo até o final da temporada, não se preocupe. Sem mais atraso, segue abaixo a classificação dos animes que eu assisti nessa última semana.

20 – Gunslinger Stratos, episódio 9

O professor Odhner desse e do outro mundo se uniram para derrotar os Guardiões do Tempo, o que é nobre, e para isso pretendem desenvolver a tecnologia para criar incontáveis cubos de energia, o que é temerário mas defensável. Mas como ele não gosta do Kyouhma mandou prender todo mundo, ao invés de desenvolver sua pesquisa em segredo (por exemplo, na outra Terra) ou pelo menos tentar convencer alguém para sua causa. Lógico que o pessoal não gostou muito de ser preso e agora todos se viraram contra ele, quando ele poderia ter pelo menos convencido alguns, se tivesse tentado. E não entendo porque todos os soldados do complexo obedecem cegamente a ele se quem manda de verdade ali é a família do Kyouhma. Ele prometeu dar cubos de energia pra eles? Eles matam a Lusha, que estava em uma cama de hospital e até onde pude ver sem esboçar qualquer resistência mas um grupo deles com armas de fogo foi derrotado por uma Kyouka convalescente usando a arara de soro como arma.

19 – Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darouka, episódio 9

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Tá muito chato. O anime continua falando em heroísmo e em aventura enquanto me mostra um cara que não precisa fazer nada para vencer (e agora ainda ganhou mais uma habilidade que permite a ele justamente isso) indo se “aventurar” em cavernas sem graça massacrando os monstros que aparecem.

18 – Seraph of the end, episódio 9

Que ruim. Os vampiros usam veículos militares de ponta, o que faz todo sentido (e estou falando sério), se é mais poderoso que eles em termos de poder destrutivo, por que não, né? E os humanos usam … arcos mágicos. Tá bom, os arcos são MÁGICOS. Mas posso até fazer vista grossa para os arcos e supôr que suas flechas sejam super-poderosas (são explosivas e perfuram metal, ok) e super-velozes (não pareceu pelo arco descrito no ar, mas vá lá), só que ainda assim são brandidos por seres humanos; bem treinados sim, mas com a percepção não muito melhor que um ser humano normal sem treinamento nenhum. E sabe, seres humanos normais não derrubam helicópteros de guerra à olho nu, não importa quão poderosas sejam suas armas. A magia da bateria anti-aérea moderna é ter seus próprios sensores, funcionar como os “olhos” do ser humano que a opera (ou como cérebro também no caso de armamentos autônomos), detectando as ameaças bem antes que sejam visíveis por uma pessoa e acompanhando seu movimento veloz com precisão. E no final, o anime encheu o saco sobre os cinco andarem juntos para caçar um grupelho de vampiros fracotes, mas agora que estão em zona de guerra vão dois pra um lado e três pro outro, assim sem mais nem menos? Ah vá.

17 – Plastic Memories, episódio 9

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

É compreensível que pouca coisa tenha sido compreensível nesse episódio. Quero dizer, depois de uma declaração de amor e uma rejeição (de quem na verdade também está apaixonada) é normal que logo em seguida os dois não consigam pensar direito. É normal também que as pessoas ao redor queiram ajudar, e mais normal ainda que acabem piorando. Foram 25 minutos de sentimentos confusos, decisões impulsivas e inconclusivas. E no final, a mão forte de quem está no poder decretando o resultado (misturar trabalho com relacionamento tem inúmeras desvantagens, e essa é uma delas).

16 – Knights of Sidonia 2, episódios 7 e 8

Quem foi que disse pro Tsutomu Nihei que haréns são legais? Devolvam meu anime de ficção científica! E aquilo foi tudo o que tinham anunciado que apareceria de Blame em Sidonia? Só aquilo? Se bem que “só aquilo” já foi bastante legal. Passei a achar que Blame pode render um anime muito bom sim, antes eu achava que não, é muita viagem, mas acho que fica legal. Mas voltando à Sidonia, acho que sei qual o problema. Mangás de ação longos quando adaptados para anime (animes curtos, não falo dos grande battle shounens que ganham animes infinitos) acabam com a parte de desenvolvimento de personagem totalmente decepada mesmo. É inevitável, o tempo no mangá é diferente do tempo no anime. E esse é mais um fator à favor de um possível anime de Blame: por ter poucos personagens e pouco desenvolvimento, não precisaria cortar nisso. Bastaria condensar a ação.

15 – Fate/Stay Night Unlimited Blade Works, episódio 20

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Teve uma porção de desenvolvimento de personagem do Shirou importante nesse episódio, e foi até interessante, mas o ritmo e a narrativa que ia e voltava para Rin quebrou a minha concentração e atrapalhou bastante.

14 – Ninja Slayer, episódios 6 e 7

No sexto episódio o protagonista ganha um mestre (??) enquanto tem sua primeira luta difícil e que no fim das contas não dá para dizer que ele venceu que eu me lembre, e no seguinte ele salva uma garota que pode vir a ser importante no prosseguimento da série e que não é uma ninja, interessante mudança de ares. No final do sétimo episódio ele conversa com um velho que fala sobre seu filho, ainda que tenha alguma mensagem para o protagonista ficou um pouco estranho.

13 – Re-Kan!, episódio 9

Realmente são os episódios que misturam humor com drama os melhores de Re-Kan. Esse aqui tentou fazer um pouco de suspense também, mas foi francamente previsível. A partir do momento que apareceu a velha esposa do velho rabugento, que ele não respondeu nada a ela e que ela ensinou a Amami como fazer os chocolates de dia dos namorados que o marido gostava, ficou claro qual seria o desfecho. Achei que mataria o drama, mas mesmo assim funcionou. Só o suspense que foi inútil mesmo.

12 – Triage X, episódio 8

Cada arco de Triage X está focando em um personagem. E sim, só agora eu percebi. Primeiro foi o arco da Mikoto que terminou com o suicídio da Chikage, depois o arco da Oriha na estação de TV, e esse episódio encerra o arco da Hitsugi. O próximo arco parece que será da Tsurugi. Me pergunto se terá um final, porque o mangá ainda está em andamento (ou “andalento“). Mas os arcos têm sido divertidos, então tudo bem.

11 – Punch Line, episódio 8

Que bom, não ficou repetitivo como eu temi que pudesse ficar, o Yuuta está conseguindo fazer coisas diferentes apesar do gato. Falando no gato, eu sei que provavelmente estou errado, mas até que se me prove o contrário vou continuar acreditando que ele é o grande vilão da série, porque só assim para explicar ele ter assistido o mundo queimar (literalmente) mais de seis bilhões de vezes e ainda ficar com regras idiotas. Não consigo imaginar ainda como algo do que está sendo feito poderá impedir um meteoro de cair no planeta. Chama o Bruce Willis e a Liv Tyler, sei lá.

10 – Etotama, episódio 8

Etotama volta ao normal, o que significa que foi outro episódio bastante anormal. Tudas as eto-shins (e a Nya-tan) participaram de uma corrida maluca que mais parecia Mario Kart, com a diferença que cair fora da pista ou coisa do tipo te tira da corrida de forma definitiva. A Uma-tan é a responsável por esse evento, que é tradicional e assistido por deuses, mas que vem perdendo audiência e está a beira de ser cancelado, por isso ela fica muito nervosa. No final só restam ela e a Nya-tan, e ao descobrir que não pode entrar para o zodíaco vencendo a corrida a Nya-tan decide abandonar e só muda de ideia quando a Uma-tan a desafia prometendo seu selo caso a Nya-tan vença. Corrida à parte, a graça toda é ver os comportamentos e personalidades bizarros da maioria das eto-shins.

9 – JoJo’s Bizarre Adventure – Stardust Crusaders, episódio 45

Episódio divertido, mas longe da excelência que foram os episódios contra o Vanilla Ice. A perseguição de carro foi legal, mas o “efeito teleporte” do poder do Dio ficou muito esquisito. Não sei se teria jeito melhor de representar, mas ficou bem estranho.

8 – Assassination Classroom, episódio 19

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Ainda que o risco que os alunos da 3-E enfrentem seja real, não parece ser real. O professor Koro comparou o que eles estão passando a férias, quando alunos ficam livres das amarras impostas pelos professores, mas eu acho muito mais parecido com um estágio, que é quando alunos trabalham junto com adultos, como adultos, mas ainda em um ambiente controlado, de forma semi-profissional. Essa diferença de percepção, contudo, deve ter a ver com as diferenças nos sistemas educacionais japonês e brasileiro.

7 – Arslan Senki, episódio 8

Estou devendo o artigo sobre esse episódio! O artigo dessa semana será sobre os episódios 8 e 9 para compensar, ok?

Quando o Kharlan morreu sem contar a razão de sua traição eu achei que o anime começaria a andar em círculos buscando desvendar o mistério por trás de sua traição e dessa guerra. E eu estaria ok com isso, foi um bom episódio e manteria o suspense por mais tempo. Mas entregaram tudo na cena pós-créditos. E estou ok com isso também, suponho que o anime irá se concentrar em ação e estratégia agora.

6 – Ore Monogatari!!, episódio 8

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Eu estava mesmo achando que faltava um episódio que caracterizasse o Suna como uma pessoa independente, como um ser humano individual, e não o cérebro ambulante do Takeo. Esse episódio faz mais ou menos isso, mostrando que ele tem suas próprias preocupações. Mas bom, a preocupação dele é com o pai morrendo, então é um pouco apelativo. Foi um bom episódio, mas eu preciso parar de esperar que Ore Monogatari tenha mais do que um personagem.

5 – Kyoukai no Rinne, episódio 8

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Nada sutil, o inferno em Rinne é um novíssimo prédio governamental, e tem níveis como “Inferno do Transporte Público”, “Inferno das Compras” e “Inferno da Dívida”. De algum jeito, graças à ajuda da Sakura e a patetice do Masato, o Rinne venceu e conseguiu levar a alma do garoto de volta. Puro humor padrão Takahashi.

4 – Nagato Yuki-chan no Shoushitsu, episódio 9

Final do arco na pousada com fonte termal. Com bem menos fonte termal. O relacionamento entre o Kyon e a Yuki progrediu a olhos vistos (inclusive para os personagens do anime), e para quem conhece a história original de Haruhi é divertido ver a Yuki tentando “pegar” as estrelas, porque lá ela é a alienígena do clube. Mas o que foi aquela cena pós-encerramento? Nagato Yuki-chan vai entrar no modo drama total? Droga, por que o episódio 10 não saiu ainda??

3 – Houkago no Pleiades, episódio 8

Quando se dedica aos dramas pessoais das suas garotas mágicas Houkago no Pleiades brilha de verdade. Dessa vez contou o triste passado da Nanako, que quase parece não ter personalidade nenhuma porque está a maior parte do tempo agindo como intérprete do extraterrestre pleiadiano. Seus pais se separaram quando ela ainda era muito nova, e seu irmão mais novo, de quem ela gostava muito, foi embora junto com sua mãe e ela nunca mais o viu. Desde então ela se sente solitária e nunca mais confiou em adultos. Mesmo os laços que ela formou com suas companheiras mágicas ela considera frágeis e não consegue confiar inteiramente que seja verdade. Adequado, portanto, que seja ela a viajar sozinha para os confins do sistema solar, aonde nem a luz do Sol chega, para encontrar um fragmento. Lá ela encontra um planeta gasoso gigantesco, maior do que Júpiter, e se identifica com ele em sua solidão. Detalhe: há teorias científicas sérias que especulam sobre a existência de um planeta ainda desconhecido, gigantesco e muito além da órbita de Netuno. Destaque para a questão da diferença na passagem do tempo para objetos próximos à velocidade da luz, principalmente se, como eu, você for fã da Gainax e se lembrar que um dos primeiros trabalhos originais do estúdio foi Gunbuster, um anime cuja questão central é essa.

2 – Kekkai Sensen, episódio 8

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Dois fatos sem nenhuma conexão contam uma boa parte do mistério da história, sem precisar narrar nada. White e Black estão conversando no quarto de hospital enquanto a Libra tem que lidar com o aparecimento de mais um vampiro que veio acompanhado do mestre do Zapp, e essa ação forma o núcleo do episódio. Descobre-se ao final que cada parte de um vampiro é capaz de agir de forma independente, se separada, embora a “identidade” (onde fica o coração, ou algo assim) continue em um único lugar. E isso é de vital importância porque parte do passado dos irmãos é revelado em flashbacks: assim como Leonardo e sua irmã, White e Black também passaram por uma experiência traumática juntos onde uma criatura de outro mundo muito mais poderosa forçou-os a tomar uma decisão. A diferença para o caso do Leonardo é que a irmã é quem estava aterrorizada e o irmão tomou a decisão e absorveu o monstro ou algo assim. Junte a descoberta após a luta da Libra com o que a mãe deles disse (que são “dois em um”, provavelmente querendo dizer que devem ajudar um ao outro ou algo inconsequente desse tipo) e se conclui que provavelmente Black não absorveu o mostro inteiro: parte está com a White. Não sendo o coração, Leonardo não consegue ver, mas não obstante ela possui o poder – ou é possuída por ele. Narrativa espetacular.

1 – Hibike! Euphonium, episódio 8

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Como os uniformes do colégio, nesse episódio a história parece ter mudado de rumo. Kumiko e Reina? Será? É Kyoto Animation, então não é saudável manter grandes esperanças que um romance possa se desenvolver, mas esse episódio foi muito forte nesse sentido. Embora eu não tenha percebido nada a primeira vista porque simplesmente sou ruim em perceber essas coisas.

Discussão