Essa semana o artigo de saldo saiu no dia certo! Na imagem, todo mundo olhando pra esquerda! Quero dizer, na verdade eles estão olhando para suas direitas, mas do meu (e do seu) ponto de vista estão virados para a esquerda, então … você entendeu, né.

Todos os animes que estavam atrasados saíram essa semana: Sailor Moon Crystal, Show by Rock e Ghost in the Shell: Arise Alternative Architecture. E eu assisti e avaliei todos. Denpa Kyoushi continuarei devendo pois o episódio 10 saiu normalmente, mas o 9 ainda não teve sua legenda corrigida, conforme problema que expliquei no artigo de saldo anterior. A essa altura, sendo um anime que eu não gosto, provavelmente ele não constará mais em nenhum saldo, vou deixar acumular e assistir de uma vez só no final da temporada.

Provando que não foi acaso ou sorte, Euphonium ocupa o topo da lista essa semana de novo. Veja a seguir o que achei dele e de todos os demais episódios de animes que assisti nessa semana:

24 – Plastic Memories, episódio 10

Não é o pior episódio de Plastic Memories mas é bem ruim, e já estou a ponto de abandonar as esperanças de que sequer como um anime ruim Plastic Memories mereça, em um tema que deveria ser caro a ele, permanecer na memória. A Kazuki só separou o Tsukasa e a Isla porque ela queria ajudar do jeito bizarro, violento e mandão dela. E isso incluía chegar em casa e pedir ajuda ao Constance, porque ela não tinha a menor ideia do que fazer e acabou enchendo a cara e rabiscando o rosto da Isla (bêbadas que abusam de outras pessoas são super engraçadas, afinal). O escritório inteiro acompanhou passo a passo a resolução do caso, até que a Isla, em público, disse tudo o que pensava, porque havia agido daquela forma e que na verdade também ama Tsukasa. Teve até confete. E não foi confete jogado ao ar pelos personagens, foi efeito de animação confete. Se animes tivessem consciência, esse estaria dizendo “me mate, por favor”.

23 – Sailor Moon Crystal, episódio 23

Tá bom, a Chibiusa foi corrompida, isso eu já sabia. Fora isso, o que esse episódio acrescentou…? Aumentou a intenção incestuosa dela para com seu pai? Que vantagem! Sabe, só porque é a versão do passado dele não quer dizer que deixe de ser incesto. Se bem que faz sentido né, pessoas más (ou tornadas más por manipulação maligna) fazem coisas más, como controlar mentalmente e beijar o próprio pai. Bom, deixa pra lá, isso tudo foi uma cena só, nem foi tão importante assim, só estou insistindo nela porque realmente não teve nada digno de nota nesse episódio. Mas foi bonito e psicologicamente tenso, então acho que não foi ruim, foi só uma preparação excessivamente longa para o conflito final do arco.

22 – Re-Kan!, episódio 10

Um episódio um pouco confuso sobre um boneco zumbi da Ogawa que ganhou vida e um mangá antigo feito na escola no tempo que seu pai estudava lá, com zumbis e o gato pervertido. Antes e depois disso, novatas assustadas com os fantasmas que perseguem a Amami, mas no final tudo deu certo e ela encontrou duas novatas que se divertem com coisas sobrenaturais.

21 – Triage X, episódio 9

Eu me enganei, parece que não há mais algum personagem que mereça ser destaque de arco, né. E faz sentido, esse foi o penúltimo episódio. O Arashi acabou sem querer libertando um monte de garotas zumbis sedentas por sexo (bom, é do autor de Highschool of the Dead, né) enquanto salvava a detetive Suzue antes que ela própria acabasse transformada em uma garota zumbi sedenta por sexo. As gêmeas de vermelho tomaram uma surra da Hitsugi e fugiram no final (ou melhor, foram resgatadas).

20 – Kyoukai no Rinne, episódio 9

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Mais um conflito contra um damashigami. E pela prévia, no próximo episódio o “irmão” do Rokudou finalmente vai aparecer, e aí talvez o anime tenha um arco mais longo e com mais ação. No final, o Rokudou ganhou o concurso de drag-queen do colégio, derrotando uma Lum monstro que estava por ali. Poderia ter usado a peruca tsukumogami também, né? A primeira parte do episódio, com ela, foi divertida, mas ficou parecendo meio desperdício de tempo. Se o Rokudou tivesse usado a peruca na segunda parte, a luta contra o damashigami (e o concurso de drag-queen), eliminaria essa sensação.

19 – Seraph of the end, episódio 10

Oba, o Yuichiro matou o Mikaela! Quero dizer, matou nada, a prévia já desmentiu, e de todo modo nunca que iriam guardar o personagem esse tempo todo para ele ser morto de um golpe só antes mesmo que fosse reconhecido, né? Mas vai ser meio estranho, ele foi trespassado pela espada demoníaca bem no peito, e até agora todos os vampiros que sofreram ferimentos profundos dessas armas morreram em cinzas, como o Mikaela vai sobreviver? Certeza que ele é “diferente”, “muito mais forte”. Nada contra haverem níveis de poder, mas é sempre chato descobrir eles no instante em que são convenientes, assim sem nenhum aviso ou desenvolvimento. E o Guren, vai sobreviver também, não vai? Se ele morrer, quem ficará responsável pelo esquadrão? Só tem crianças ali e adultos anônimos, seria estranho um deles assumir a liderança.

18 – Gunslinger Stratos, episódio 10

Melhor episódio de Gunslinger Stratos até agora. E foi apenas medíocre. Pelo menos foi o melhor! A macacada toda conseguiu fugir e o Dr. Odhner é mesmo tão estúpido quanto pareceu ser no episódio anterior, já que foi facilmente derrotado nesse episódio. Os dois, nos dois mundos. Mas não mostraram isso, só o final com eles já sendo mortos. Ao invés, mostraram a evolução do relacionamento entre o Tohru e a Kyouka. Parabéns por não terem caído nos clichês de relacionamentos românticos entre adolescentes (e as vezes entre adultos também) em anime, mas isso era só a obrigação que Gunslinger Stratos tinha, além de ter sido algo que veio muito do nada. Quero dizer, o tempo todo eu sabia que ela gostava dele, e que ele também gostava dela embora procurasse se afastar, mas nunca isso foi trabalhado. Daí nesse episódio BAM!, eles saem em um encontro e se beijam e trocam juras de amor e vixe faltou pouco ali viu. Ruim não ficou, foi só inesperado mesmo. No fim do episódio, uma equação escrita no chão pela garotinha que veio do futuro para salvar a todos se transforma magicamente em um buraco para o passado, onde eles irão para derrotar os Senhores do Tempo, que vieram do futuro. Bem, sentido nunca foi o forte de Gunslinger Stratos então não é agora que vou reclamar disso, né.

17 – Cavaleiros do Zodíaco: Soul of Gold, episódio 5

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Episódio básico, mas divertido. Outro cavaleiro capturado, a barreira da Yggdrasil foi derrubada, e no próximo episódio as lutas contra os guerreiros deuses começam de verdade.

16 – Ninja Slayer, episódio 8

Ninja Slayer volta a ter um episódio de ação do começo até o fim. E dessa vez o protagonista venceu mas não levou. Ele derrotou os ninjas que encontrou no caminho, mas um deles tem a estranha habilidade de fazer todos voltarem à vida. Em um episódio lidando com clonagem e manipulação genética, não é tão estranho assim. De todo modo, Ninja Slayer e Nancy conseguiram impedir a produção de clones na fábrica, mas ele não obteve ainda o que queria – a cura para o vírus anti-ninja, que ela prometeu. Nancy diz que dará isso assim que obtiver através da análise dos dados roubados, mas o semblante dela depois dele ter ido embora sugere que talvez ela não esteja tão interessada em ajudar o protagonista assim.

15 – Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darouka, episódio 10

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Bem melhor assim. Bom, longe de seu máximo potencial, mas pelo menos foi divertido ver um episódio mais dinâmico, com mais ação, onde o Bell não pôde resolver tudo sozinho. Ele até teve um momento de super-superação de novo, mas agora não só já está definido que ele tem o poder pra isso (por idiota e chato que isso seja) como não foi o suficiente para tirá-los do aperto em que estão, só resolveu o problema imediatamente à frente deles. E ele ainda capotou depois disso. Talvez dessa vez ele realmente precise ser resgatado. Mas quão frustrante não seria se ele acabasse salvando a Héstia no próximo episódio, hein? Torço para que não aconteça.

14 – Ghost in the Shell: Arise – Alternative Architecture, episódio 9

O primeiro arco da série foi uma grande conspiração envolvendo agentes do governo que haviam participado junto a empresas e terroristas estrangeiros na criação de um vírus de ciber-cérebro que permite a criação de super-soldados. O agente governamental mais graduado tentou se livrar de todos seus “sócios” e daqueles que de alguma forma estiveram envolvidos em estágios de desenvolvimento do vírus para não deixar rastro nenhum e assim dominar sozinho um mercado que pretendia criar, mas foi frustrado no último minuto. Os arcos seguintes voltaram no tempo e contaram como surgiu e se formou a equipe de investigação e contra-terrorismo que foi fundamental na frustração do plano do vilão do primeiro arco, e como eles estiveram desde o começo envolvidos com o tal vírus também (o Fire-Starter). Esse episódio salta de novo para o presente pós-primeiro arco e um terceiro interessado surge para tomar o vírus para seu controle. Até aqui está bom na ação (e nas metáforas visuais para as ações de hacking) e divertido no suspense, mas o arco ainda não acabou, estou ansioso pelo que virá a seguir. Será já o último arco? Penúltimo?

13 – JoJo’s Bizarre Adventure – Stardust Crusaders, episódio 46

Não sei bem porque, mas a morte do Kakyoin não me abalou. Será que é porque foi muito súbita? Será que é porque o Kakyoin tinha desaparecido da série por um bom tempo e só voltou agora? Será que é porque ele é menos importante que os outros personagens? Será que é porque um desgraçado publicou spoiler desavergonhado no Facebook e estragou todo o episódio para mim? Não sei.

12 – Knights of Sidonia 2, episódio 9

A primeira metade do episódio foi horrível. Eu gosto do casal Nagate e Izana, de verdade, desde o começo gostei dela e torci para os dois (eu não gostava da Hoshijiro, me julgue). Então eu gosto de ver desenvolvimento entre os dois, mas quando é uma coisa artificial, (mal) engendrada pela avó dela e que obviamente dá errado, e quando ainda por cima tenho que aguentar assistir a Yuhata e a Tsumugi (pasme!) fazendo cena típica de ciúme em anime, eu morro um pouco de desgosto por dentro. Mas a segunda metade é muito boa, a tensão e o medo justamente da Izana morrer é real, eu provavelmente estava aqui tão tenso quanto Nagate dentro do anime. Na média ficou um pouco positivo, eu acho.

11 – Fate/Stay Night Unlimited Blade Works, episódio 21

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Mais um episódio que deitou falação. Não é ruim, mas eu preferia explicações mais visuais, menos verborrágicas – isso é o diferencial de uma mídia audiovisual afinal de contas. O final da conversa entre o Shirou e o Archer me fez entender, finalmente, o que o Shirou quer, qual o seu ideal. Ou se eu tiver entendido algo diverso da intenção do autor, não importa, está tudo bem assim também: o que eu entendi é coeso e completo, o que estava faltando até agora. Mas perceba quantos episódios e quanto tempo deles falando as mesmas coisas de novo e de novo, acrescentando um pouquinho mais a cada interação, foi necessário até esse entendimento ser possível. E longe de ser problema cognitivo meu, pelo menos isso foi obviamente intencional: não é à toa que só agora a luta acabou e o Archer morreu. Basicamente o que o Shirou defende é o herói, e ele quer ser um mesmo sabendo ser impossível ser um, porque herói é um conceito, é um ideal, não é algo que exista de verdade. Não obstante, a simples manifestação do seu desejo em forma de ações é suficiente para manter viva a esperança de todas as pessoas do mundo que precisam de um herói, e para manter vivo o próprio conceito de heroísmo.

10 – Show by Rock!!, episódio 7

Show by Rock voltou! Provavelmente é o anime mais bobo que estou assistindo na temporada, e estou gostando! Esse episódio deu destaque aos ShinganCrimsonZ, e acho que é o primeiro episódio que eles protagonizam que eu gostei de verdade. Usaram todo o poder cômico deles e ainda homenagearam vários estilos de traço de mangá. A história avançou um pouquinho, e agora parece que os Dark Monsters são músicos normais com algo sombrio nos corações e possuídos por uma meleca esquisita.

9 – Assassination Classroom, episódio 20

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Avança a 3-E! O Karma conseguiu derrotar o fortão usando a arma de gás do assassino que eles haviam derrotado antes, e depois as garotas atravessam um salão de balada para abrir uma porta para que todos pudessem subir para o próximo andar. Bom, as garotas e o Nagisa, vestido de garota. Sem grandes revelações ou reviravoltas, esse episódio é apenas continuação do anterior. No próximo, tiroteio no auditório?

8 – Punch Line, episódio 9

Mistério revelado! O meteoro não está em rota de colisão com a Terra, só vai passar muito, muito perto mesmo. O que a Qmay quer é convencer a Rabura de que vai para que ela convença a Meiko a invadir o satélite americano com mísseis nucleares (que viola o Tratado do Espaço Exterior) para que eles possam usá-lo para desviar o meteoro para que aí sim ele atinja a Terra. E por quê? Não está bem claro ainda, mas parece ser só vingança pessoal da garota que fazia parte do trio junto com a Narugino (que é a Chiyoko) e o Yuuta (que é o Pine no corpo da Chiyoko). E esse gato está me dando nos nervos. Diz ele que é fundamental que as garotas formem um laço forte para salvar o mundo, mas analisa bem tudo o que eu acabei de escrever: não é não! É só a Meiko não invadir satélite nenhum, que o meteoro não vai atingir a Terra! Assunto encerrado! E mesmo assim o gato fica de frescura! Sério, certeza que ele gosta de ficar vendo o mundo pegar fogo.

7 – Arslan Senki, episódio 9

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Etoile e Arslan se reencontram, e nenhum dos dois mudou nem um pouco de opinião. Só que agora as posições se inverteram e é o lusitaniano quem está em posição de poder. Mais ou menos como se estivesse devolvendo o favor de anos atrás, ele parte sem lutar contra Elam, que acabara de entrar na sala onde eles estavam. E entrega uma cópia de seu livro sagrado para Arslan estudar. Enquanto isso Daryun e Narsus enfrentam o Cavaleiro Mascarado em Ecbatana. Narrativamente esse episódio encerra as revelações sobre o homem mascarado que começaram no episódio anterior. Ele é filho do antigo rei que Andrágoras derrotou e tem um aliado que usa magia negra. Agora todo o grupo de Arslan deve se reunir e começar a pensar seriamente em estratégias para ganhar apoio para contra-atacar Lusitânia.

6 – Nagato Yuki-chan no Shoushitsu, episódio 10

Que episódio difícil. Nagato não foi atropelada, mas caiu e se arranhou (e bateu a cabeça) desviando do carro. E quebrou seu óculos. Agora a memória pode estar me pregando peças, mas acho que havia algo relacionado aos óculos da Nagato na série principal também. De todo modo, depois do acidente a Nagato virou outra pessoa. Sim, ela virou a Nagato inexpressiva da série principal! A Asakura percebe isso e o Kyon percebe isso. Ela passou a ler livros em silêncio, como a Nagato da série principal. Ela está até se movendo de forma meio robótica (na série principal ela é um andróide alienígena). Mudança de personalidade por causa de um trauma encefálico ou ela magicamente alternou de personalidade (ou trocou de lugar) com a outra ela do outro mundo? A pergunta que a Asakura faz no final do episódio tende a sugerir a segunda hipótese, mas eu acho que inserir os elementos fantásticos da série principal em um momento assim tão avançado do anime ficaria estranho (embora possa agradar alguns fãs), então por enquanto vou supôr que é só um trauma causado pelo acidente. Um trauma passageiro, de preferência.

5 – Etotama, episódio 9

Um episódio mais sóbrio e a proximidade do final me fizeram pensar: até o final do anime a Nya-tan terá recuperado sua memória e terá resolvido seu problema com a Chuu-tan, que certamente está apenas magoada. Ela irá ou não entrar para o zodíaco, isso é pouco relevante. O que quero dizer é: tudo o que ela está fazendo agora, intenso porque é como se fosse pela primeira vez, porque ela não tem memórias, é passageiro. Ela irá embora, todas elas irão embora. Não é algo um pouco triste para se pensar em um anime de comédia?

4 – Ore Monogatari!!, episódio 9

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Além da preocupação normal, natural, pelo pai estar passando por cirurgia cardíaca (uma valvoplastia, mais precisamente), Suna se sente culpado porque o dia em que ele chegou em casa e viu o pai desmaiado no chão ele se demorou passando noutros lugares antes de ir para casa, então é atacado pelo inevitável pensamento “e se eu tivesse chegado antes?”. Inevitável também que o Takeo desistisse do encontro no meio para ir encontrar o Suna no hospital. Deu muita pena da Yamato nessa hora, ela entendeu e até apoiou, claro, mas deu muita pena mesmo assim.

3 – Kekkai Sensen, episódio 9

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Se comprovou a minha hipótese de que “dois em um” foi algo que os pais de White e Black disseram deles bem antes de todas as desgraças acontecerem. Não que fosse algo muito difícil de se imaginar, claro. O episódio foi em grande parte o término do flashback dos irmãos. Além disso, teve a adição de outro membro para a Libra, Zed, meio-homem meio-peixe e pupilo do mesmo mestre que o Zapp.

2 – Houkago no Pleiades, episódio 9

O amor é científico? Ou é magia? Subaru e Minato passam um episódio inteiro juntos, e literalmente voam por um universo cheio de metáforas e significados, descobrindo no fim das contas que seu encontro era predestinado. Mas como um sonho, tudo aquilo seria esquecido em breve. Esse episódio busca tocar o espectador no coração, envolvê-lo na história ao deixar espaços em branco óbvios para que ele complete entre uma fala e outra, entre uma transição de cena e outra. E assim, de dentro, conseguimos deslumbrar o que sentem as estrelas de Subaru e Minato. É poesia em forma de animação.

1 – Hibike! Euphonium, episódio 9

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Episódio mais tenso de Euphonium até agora, e um dos episódios mais tensos de todos os animes que estou assistindo nessa temporada. Por causa das audições? Claro, elas também, com todo o clima de rivalidade que fez surgir, por ter feito aflorar o pior da Asuka, por ter deixado tanta gente insegura – com ou sem razão. Mas também por causa dos desdobramentos do episódio interior. As duas coisas juntas e misturadas criando não uma simples panela de pressão, mas uma verdadeira caldeira de trem à vapor. Após as audições e seus resultados, a pressão aliviou um pouco para alguns, bastante para outros. Mas a audição foi apenas uma estação, esse trem ainda almeja chegar vitorioso até o concurso nacional. E a Kumiko ainda tem outros problemas com os quais se preocupar.

Discussão