Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Opa! Tudo bom com vocês? Hoje vamos falar sobre nada mais nada menos do que o episódio 2 de Gamers! (não diga). Para falar a verdade, Gamers no início me lembrou muito o anime “Netoge no Yome wa Onnanoko ja Nai to Omotta?”, por ter uma mesma pegada (grosseiramente falando), um romance, e um slice of life num clube de jogos. O que diferencia, e até mesmo melhora para mim em Gamers, é o jeito que a história é executada.

Comparado aos animes do estúdio de “Gamers!”(Pine Jam), esse é como se fosse uma “grande aposta”, uma vez que os outros animes são todos de curta duração. Isso muito provavelmente me fez ficar muito mais animada quanto à história, e mesmo deixando algumas coisas à desejar para mim, Gamers vem me satisfazendo em outros fatores, um deles, inclusive, é o desenvolvimento das personagens.

No episódio anterior eu realmente não havia gostado de um dos personagens, Uehara Tasuku. Eu havia achado ele muito chato. Namorando uma menina sem nem mesmo sabendo o porquê, e se vangloriando por isso. Mas esse segundo episódio me fez entender que ele tem um motivo.


Ele era isolado por curtir games e ser nerd (coisas que sinceramente deveriam ser mais normais, afinal são apenas hobbies e escolhas da vida de alguém), então ele decidiu virar um “popularzão da vida” (isso fez ele parecer bem babaca para mim no primeiro episódio).

O que foi muito interessante nesse episódio, foi o desenvolvimento dele na história. Eu pude criar um afeto através desse desenvolvimento, e perceber que ele é apenas mais uma pessoa oprimida e influenciada por um  modelo artificial de ser humano criado pela sociedade (sou profunda mesmo).

E agora ele largou mão de julgar nosso protagonista e procurou entendê-lo. Esse episódio foi essencial para isso.

Me surpreendi também porque o Amano mostrou que não é aquele tipo de protagonista que, mesmo sendo julgado de forma errada deixa isso quieto e segue em frente. Muito pelo contrário, quando ele foi julgado de forma errada, não ficou quieto e partiu para cima (boa garoto).

Nesse episódio, inclusive, foi mostrado como o Tasuku conseguiu uma namorada tão linda e afetuosa. Acredito que ainda há muito o que desenvolver sobre a Aguri, como, por exemplo, o quanto ela gosta de jogos, ou até mesmo qual é a importância dela na história fora ser a namorada de um “ex-gamer”, então espero mesmo que nesses 12 episódios isso venha à tona.

E é isso pessoal! Esse episódio, para mim, foi um total desenvolvimento de um dos personagens principais e do protagonista. Espero que nos próximos episódios possamos ver muito mais desses dois jogando juntos, e ver mais das outras personagens também. Bye :3

Comentários