Fala galera! Como vocês estão, tudo bem? Mais uma semana com esse espetáculo de Fate e hoje, ele mostrou realmente para que veio. Minha gente, que episódio sensacional!

Além de descobrirmos os dois servos que faltavam, também tivemos algumas surpresas e conseguimos também entender algumas coisas que apareceram no primeiro episódio.

Vamos conferir os acontecimentos marcantes dessa obra? Sigam-me os bons!

Bem galera, logo de início nós pudemos observar a facção Carmesim invadindo a área dos Black, para ser mais preciso, o Berserker, Spartacus e também os dois servos que faltavam (e foram reveladas suas identidades!): o Rider, Aquiles e a Archer Camesim, Atalanta. Parece que o Berserker Carmesim está se divertindo com os golens de pedra; mas será que ele aguentará por muito tempo? Atalanta sentiu a presença dos Black chegando, hora de se prepararem! Uma curiosidade que o Rider levantou: eles nunca viram seus mestres, somente quem os comanda, que é o Shirou. Eu ainda acho que esse Shirou vai tramar algo nesse Fate, anotem o que estou dizendo.

Bem, a Astolfo foi enviada para lidar com o Berserker, e muito a contragosto dela, mas como ela mesma disse: ” Trabalho é trabalho”, então, vamos nessa! Enquanto isso, no castelo, o homúnculo, que ainda não tem nome, está tentando achar forças para fugir de lá. Será que ele conseguirá? E assim então começa a luta entre o Berserker Carmesim e o Rider Black. Não foi nada demais, a Astolfo arrancou uma perna do Berserker e, logo após isso, Vlad e Avicebron aparecem, deixando Spartacus totalmente imobilizado e inconsciente. Parece que eles pretendem roubar o Berserker Carmesim para eles e forçá-lo em um novo contrato, enquanto no castelo, o Quíron está preparado para atacar, só aguardando o momento certo. Além disso, Darnic comanda a Frankenstein e Siegfried a atacarem os outros dois servos na floresta, no caso a Archer e o Rider Carmesim.

Astolfo aproveita que já fez o seu trabalho e corre para o castelo para aproveitar que todos estão ocupados com o ataque da equipe Carmesim e ajudar o homúnculo a escapar. Enquanto isso, na floresta, Aquiles estava aguardando a chegada da facção Black, e então começa uma nova luta, Aquiles contra Siegfried e Frankenstein. Parecia estar em desvantagem, até que do meio das árvores, Atalanta acerta uma flecha em Siegfried, equilibrando a luta. Porém o mestre do Saber Black gasta um de seus comandos para ordenar o seu servo a utilizar o Hougu e acabar com a luta e derrotar Aquiles.

Só para lembrar, Hougu = Fantasma Nobre.

Siegfried teve que obedecer a ordem, porém, quando a chapa ia esquentar, Darnic mandou Gordes desfazer o comando, gastando mais um de seus comandos, deixando somente mais um disponível. Agora Quíron aparece, de tão, mas tão distante, consegue acertar Aquiles e enquanto isso, Frankenstein corre atrás de Atalanta. Quando Atalanta acha que acertaria Frankenstein, Quíron precisamente acerta uma flecha na flecha de Atalanta, deixando Frankenstein livre para atacar a Archer Carmesim. Após Aquiles e Atalanta perceberem que não são capazes contra a facção Black sozinhos, eles recuam e parece que Quíron já sabe quem é o Rider Carmesim.

Astolfo foge, levando o homúnculo para dentro da floresta, porém ela não esperava que a facção Black estivesse realmente interessada no homúnculo e eles observaram ela fugindo com o próprio. Começa então a correria atrás dela. No meio da floresta, achei muito fofo da parte dela, ela deu várias palavras de incentivo para o homúnculo, sobre enquanto seu coração bater, você deve viver e outras. Parece que encontraram a Rider Black. E agora? Uma luta interna? Isso mesmo, e Joana D’arc sentiu isso e correu atrás para saber o que estava ocorrendo.

Siegfried foi atrás da Astolfo, porém a mesma jurou proteger ele, e então começa a tão esperada (ou não) luta interna. Gordes foi atrás do homúnculo e quando o homúnculo parecia abatido, ele reagiu e atacou Gordes, porém não foi muito efetivo, pois Gordes se defendeu e contra-atacou, deixando-o inconsciente. Enquanto isso, Siegfried estava pondo sua espada na garganta de Astolfo, quando a mesma implorava para ele deixá-la ir e salvar o homúnculo. Após as palavras de Astolfo de querer ajudar alguém necessitado e lembrar de como ela era enquanto vivia, Siegfried parece que abriu os olhos e se lembrou de quem ele foi em vida.

Siegfried pede para Gordes curar o homúnculo, mas o mesmo se recusa e após bostejar bastante, Siegfried dá um golpe em sua pança, para deixá-lo também inconsciente. E então, eis que chega o ápice de nosso episódio, o momento em que o Saber Black se arrepende de estar obedecendo ordens e quase deixar alguém morrer na sua frente. Em um ato heroico, Siegfried se sacrifica, dando ao homúnculo que ali estava caído, seu coração, ou melhor, o coração do dragão Fafnir, que em algumas versões do mito, dizia-se que o coração do dragão dava a imortalidade. E então o seu desejo foi descoberto: ele queria ajudar alguém por vontade própria. E assim se foi o nosso herói, se despedindo de forma espetacular, assim como nos contos que costumamos ler.

O primeiro contato entre Joana D’arc e o homúnculo

Siegfried pediu para Joana D’arc cuidar do homúnculo, então nós descobrimos de onde veio a ligação entre Joana e o garoto no início da temporada e também o por quê do garoto (homúnculo) aparecer em forma de dragão, ou seja, ele está com o Fafnir dentro dele (irado).

Agora  vamos comentar sobre os dois novos servos que apareceram para fechar o ciclo de heróis de Fate/Apocrypha!

Aquiles

Da Wikipedia:

Aquiles, na mitologia grega, foi um herói da Grécia, um dos participantes da Guerra de Troia e o personagem principal e maior guerreiro da Ilíada, de Homero.

Aquiles tem ainda a característica de ser o mais bonito dos heróis reunidos contra Troia, assim como o melhor entre eles. A figura de Aquiles foi sendo moldada por diversos autores num espaço de mil anos, o que explica suas diversas contradições. A mais conhecida é a que fala que Aquiles era invulnerável em todo o seu corpo por se banhar no rio Estige, exceto em seu calcanhar (conforme um poema de Estácio, no século I). Segundo estas versões de seu mito, sua morte teria sido causada por uma flecha envenenada que o teria atingido exatamente nesta parte de seu corpo, desprotegida da armadura. A expressão “calcanhar de Aquiles”, que indica a principal fraqueza de alguém, teria aí a sua origem.

As obras literárias (e artísticas em geral) em que Aquiles aparece como herói são abundantes. Para além da Ilíada e da Odisseia – onde é mostrada o destino de Aquiles após a sua morte – pode-se destacar, ainda, a tragédia Ifigénia em Áulide, de Eurípides, “imitada” mais tarde pelo dramaturgo francês Jean Racine (1674) e transformada em ópera pelo compositor alemão Christoph Willibald Gluck (1774), além das artes plásticas, onde podem ser encontradas, além das diversas pinturas de vasos e esculturas do próprio período da Antiguidade Clássica, telas de Rubens, Teniers, Ingres, Delacroix e muitos outros, que retratam as suas múltiplas façanhas.

Atalanta

Da Wikipédia:

Atalanta, na mitologia grega, é uma das Abantíades, ora ligada aos mitos da Arcádia ora às lendas da Beócia. Sua filiação é controvertida; é tida como filha de Íaso, ou de Mênalo, ou ainda de Esqueneu.

Como seu pai queria apenas filhos homens, Atalanta foi abandonada no monte Partênio logo após o nascimento, tendo sido alimentada por uma ursa e depois recolhida e criada por caçadores. Tornou-se também caçadora, protegida por Ártemis. Muito ágil, era tão rápida “que poderia competir com os deuses Hermes e Íris” os deuses mais rápidos.


Agora, só aguardar a próxima semana para conferirmos mais e mais coisas sobre essa obra que está sendo Fate/Apocrypha!

E vocês galera, o que acharam do episódio?
Espero vocês na próxima semana, forte abraço.

Sayonara!

Discussão